O que quer a TV Tapajós ao cancelar o debate? Por Paulo Cidmil

Publicado em por em Opinião, Política

O que quer a TV Tapajós ao cancelar o debate para prefeito? Por Paulo Cidmil
Prédio da TV Tapajós, afiliada da Rede Globo em Santarém. Foto: Arquivo BJ

A absurda decisão da TV Tapajós em cancelar o debate com os candidatos a prefeito de Santarém (PA), feita em comunicado aos partidos neste dia 9 de outubro, revela o quanto pode ser perniciosa a interferência das redes de comunicação nos pleitos eleitorais.

 

Usar como pretexto a pandemia para negar à população santarena o debate mais importante de toda a campanha política, quando é possível ao eleitor conhecer a diversidade de propostas e o confronto de ideias essencial a democracia, é de uma intervenção que salta aos olhos.

Paulo Cidmil *

Os debates vem sendo realizados nos quatro cantos do país. Norteados por medidas de segurança como ausência de público, limite de dois assessores e a redução no número de candidatos, ao máximo de cinco, definido pelos melhores posicionados nas pesquisas. E, em alguns casos, estão sendo deslocados para lugares com maior espaço e ventilação.

A pandemia não pode desferir esse golpe na democracia. A quem interessa a não realização desse debate? O que está por trás de decisão tão antidemocrática? Por que essa tentativa de polarizar o pleito eleitoral a apenas duas candidaturas? Por que alijar os demais candidatos do processo eleitoral?

A quem a TV Tapajós quer favorecer? Seria a Nélio Aguiar que não quer ser confrontado para explicar por que fez uma administração desastrosa e mente na propaganda eleitoral mostrando uma Santarém que só existe nas manipulações de marqueteiros e na mente de Nélio Aguiar?

Seria a Maria do Carmo, querendo ser vista como a única alternativa para a administração desastrosa de Nélio Aguiar e não querendo explicar que a nova Maria esta abraçada ao PP, um dos partidos que engendrou o golpe em Dilma Roussef, que é símbolo do Centrão e que sistematicamente atua na desmoralização e destruição do PT?

Os partidos políticos com candidaturas majoritárias devem urgentemente protestar junto aos órgãos competentes, denunciando essa forma açodada de interferência no processo eleitoral, assim como manifestar esse protesto à presidência do Sistema Tapajós de Comunicação.

 

Se o espaço de entrevistas da TV Tapajós é inadequado, que se desloque o debate para outros espaços, como a Casa da Cultura ou casas de eventos. Se são custos, que o TRE e partidos equacionem o problema.

O que não pode é deixar o eleitor sem esse importante confronto de idéias, oportunidade única para que os candidatos exponham suas propostas à população e sejam confrontados os seus planos de governo, assim, o eleitor, pode democraticamente, melhor definir o seu voto.

A decisão da TV Tapajós nos revela as sutilezas de uma intervenção no processo eleitoral e é de um cinismo vergonhoso. Precisa, a bem da democracia, ser revertida.


— * Paulo Cidmil é diretor de Produção Artística e ativista cultural. É filiado ao PSOL.

LEIA também de Paulo Cidmil: A esperança se chama Maria


Publicado por:

4 Comentários em O que quer a TV Tapajós ao cancelar o debate? Por Paulo Cidmil

  • Se bem sei a TV Tapajós se enquadra como prestadora de serviço público, sob concessão do governo federal. Não seria o caso, do juiz eleitoral, um dos guardiões da Constituição e da democracia, determinar que a emissora realize o debate?

  • Existem outros canais de tv. Porque so a TV TAPAJOS? A BAND é da família BARBALHO. A TV Ponta Negra e do irmão da DONA da TV TAPAJOS. So restam a TV Guarany que foi vendida mas nao ENTREGUE ao comprador e a TV do WLAD. So esta parece ter condições de realizar o debate dos candidatos.

  • Não existe somente a tv Tapajós….procurarem as demais tvs na cidade. Ou então que uma outra tv de Manaus ou Belém faça isso…

    1. tá louco cara. Belém? Manaus? esses estados vizinhos são muito distantes, existe uma coisa chamada logística.
      as outras emissoras não tem experiência na realização de debates como esse e muito menos estrutura. É bom lembrar que veiculos de comunicação são concessões públicas e que os custos com a produção dos debates são remunerados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *