ONG indígena denuncia à PF a 'iminente' invasão de sua sede por madeireiros

ONG (Organização Não Governamental) com sede em Santarém (PA), o Conselho Indígena Tapajós Arapiuns (CITA) encaminhou nesta segunda (3) pedido de apoio à PF (Polícia Federal) para que evite a invasão “iminente” da sua sede por supostos madeireiros.

“Por ser a Polícia Federal o órgão encarregado de reprimir e prevenir os crimes cometidos contra as comunidades indígenas, vimos solicitar que seja feita uma averiguação com o objetivo de proteger o patrimônio e a integridade física das pessoas que encontram-se no momento naquele local”, diz o documento.

 

A sede da ONG está localizada no bairro Vista Alegre do Juá, às margens da rodovia Fernando Guilhon.

A iminente invasão estaria atrelada à insatisfação de madeireiros com a decisão do TRF1 (Tribunal Regional Federal, 1ª Região), em Brasília, de suspender processos de manejo florestal dentro da reserva extrativista Tapajós-Arapiuns.

A decisão foi proferida pelo desembargador Souza Prudente na semana passada (dia 30). Nos autos de uma ação civil pública movida pelo Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Santarém (STTR) e pelo Conselho Indígena Tapajós Arapiuns.

Sede do STTR invadida por madeireiros nesta segunda-feira (3). Foto: Reprodução

Ontem, a sede do STTR foi invadida por madeireiros por conta dessa decisão.

O CITA também solicitou apoio à Funai (Fundação Nacional do Índio) contra a invasão. “Que pode em implicar violência física contra os membros da entidade e depredação do [nosso] patrimônio”, ressaltou a ONG.

O documento foi encaminhado ao delegado Gecivaldo Vasconcelos Ferreira.

— LEIA também: Dar a vida, história de luta: nasceu Rudá Arapiun. Por Luanna Silva

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

Um comentário em: ONG indígena denuncia à PF ‘iminente’ invasão de sua sede por madeireiros

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • SELMA DA SILVA CASTRO disse:

    Os moradores da resex das comunidades do nova canaã,porto rico,prainha do maró,e vista alegre do maró São essas comunidades e moradores tradicionais que estão sendo chamadas de madereiros…onde na Verdade só querem trabalhar,mais estão tirando os seus direitos