De Valdileide Aires de Araújo, da cidade de Prainha, a propósito do post Médicos são punidos pelo CRM do Pará:

Sou enfermeira há 13 anos no município de Prainha – Pará, e o que esta acontecendo aqui é revoltante. Foi contratado um médico peruano, Edgar Contreras Hidalgo, que trata mal os clientes, não se entende por parte dos pacientes o que ele fala, e está aprendendo a fazer cirurgias.

Perfurou alças intestinais de um cliente numa cirurgia de hérnia, e ultimamente decapitou uma criança por apresentar anomalia craniana, excesso de medicação num mesmo paciente.

Gostaria que o CRM-fiscalização viesse até o municipio, e ouvir a população. A secretaria [municipal de Saúde] e diretora [do hospital] são coniventes com o que acontece. Punição é pouco pra essas pessoas insensíveis e desumanas.

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

7 Comentários em: Médico peruano é denunciado por enfermeira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Fabrício disse:

    Isso é muito grave deve ser apurado, pois não só está manchando o nome dos bons profissionais da medicina, como também está denegrindo a capacidade dos nossos co-irmãos latinos.

  • Defensor disse:

    Cadê a OAB? esse caso pode bombar na mídia, se isso acontecer, a OAB com certeza irá aparecer!

  • Roberto disse:

    Não se questiona aqui o fato de ele ser peruano ou nao…. é o fator ATENDIMENTO AO PACIENTE (que prefiro nao chamar CLIENTE)…. é bem capaz da enfermeira ser demitida e o medico continuar!

  • Armando S S Jr. disse:

    Assim como esse médico peruano existe brasileiros mesmos quem sem capacidade intelectual de entrar em faculdades nacionais se lançam para outros paises com faculdades sem requisitos para admissão a procura de “comprar” seus diplomas e depois voltam ao Brasil para praticar medicina .

  • Filipe disse:

    Infelizmente esse caso não é único. Vários profissionais, não só da área de saúde, exercem seu mister fora dos padrões éticos e morais, tratando os “clientes” como se atende-los fosse uma obrigação.
    Todos os órgãos competentes para fiscalizar as atividades profissionais de suas determinadas classes têm a obrigação de faze-lo de forma mais viril, pois sem isso, fatos como estes, e outros, continuarão acontecendo diariamente.

  • Paulo Paixão disse:

    Isso é muito grave. Nossas autoridades devem agir e com pressa. Aguardamos pelas providências.

  • ISSO É MUITO GRAVE, PRECISA DENUNCIAR ESSE CIDADÃO NÃO SÓ NO CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA MAS NA POLÍCIA FEDERAL.
    URGENTE.