Por uma gestão descentralizada da Secult. Por Jota Ninos, Úrsula Vidal
Úrsula Vidal, futura titular da Secult

Querida Úrsula Vidal,

Inicialmente lhe parabenizo pela escolha para assumir a condução da Cultura no Pará, embora tenha causado muita polêmica nos bastidores políticos por conta da filosofia de seu partido, o PSOL, de não aceitar sua postura considerada individualista e levando ao seu desligamento da legenda.

É bem verdade que a filosofia nos partidos de esquerda é a de priorizar o debate coletivo antes da decisão individual, e nesse sentido você pode ter pecado.

Mas como integrante da direção local do PCdoB, um partido de esquerda e que tem uma militância cultural reconhecida nacionalmente, e já tendo sido aliado dos camaradas do PSOL local, quero deixar esse debate de lado e acreditar que sua postura tenha sido por uma causa maior que você acredita, como bem salientou em seu primeiro pronunciamento em sua fanpage.

A história dirá se foi um passo acertado ou não. Por eu ser jornalista e militante das causas culturais aqui em Santarém, cidade pela qual você passou várias vezes nos últimos anos, seja como profissional da comunicação ou como política, quero aproveitar a oportunidade de apresentar-lhe uma proposta de trabalho em prol da cultura paraense regional.

É sabido que nos últimos anos de governo tucano, a cultura foi relegada a uma política centralizada em grandes eventos que privilegiaram muito mais o público da capital.

Para o interior, o investimento sempre foi pífio, como acontece, historicamente, em todos os departamentos e que já levou a população a se organizar para criar dois novos Estados no oeste e no sul do Pará: o Tapajós e o Carajás.

Se você quiser marcar sua gestão com uma política cultural que tenha um olhar mais sensível para a cultura que pulsa nos grotões, proponha ao governador Hélder Barbalho a efetivação de um processo maior de DESCENTRALIZAÇÃO da gestão, retomando a criação dos Núcleos Regionais da Secult, que existiam na década de 1980, quando o pai do atual governador era o mandatário.

À época, a Secult se chamava Secdet, porque abrangia também o desporto e o turismo, hoje desmembrados em secretarias diferentes.

Em Santarém, o Núcleo Regional para o Oeste do Pará funcionava na Casa da Cultura Historiador João Santos, que inclusive recebeu grandes investimentos e foi reinaugurado já com esse nome, por ser o principal espaço de eventos culturais da região.

Hoje, a situação do espaço é a foto 3 x 4 dos investimentos em cultura na região, com um palco deteriorado e que pode transformar um belo evento numa vergonha lastimável, por conta de goteiras, problemas de iluminação e som, etc.

A descentralização da gestão da cultura, creio eu, facilitaria a interlocução com os agentes culturais em cidades com uma cultura tão rica quanto Santarém e os outros 20 municípios dessa região.

Aguardamos ansiosos por uma concepção mais abrangente no âmbito territorial do estado, por uma pessoa como você que sempre se mostrou sensível a isso.

O Pará cultural está nos quatro cantos do estado. Basta você conectá-los com uma gestão que privilegie a descentralização. Abraços e boa sorte.

Jota Ninos, jornalista, dirigente do PCdoB e ativista cultural.

Leia também:
Faro, que faz hoje 250 anos, é o pior município em transparência do oeste do PA

  • 1
    Share

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

5 Comentários em: Por uma gestão descentralizada da Secult. Por Jota Ninos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • j0rge moraes disse:

    Essazinha usou o PSOL para se candidadar e já debandou !!!! já está se articulando para se candidatar à prefeitura de Belém !!!! é a típica arrivista politica !!!

  • j0rge moraes disse:

    Seria uma boa ter uma anta dirigindo a ” cultura ” por essa bandas!!!!

  • BATISTON disse:

    Já pensou o JOTA NINOS SENDO SECRETÁRIO DE CULTURA DE SANTARÉM, INDICADO POR JADER BARBALHO KKKKKKKK

  • j0rge moraes disse:

    Cai na real Jota meninos !!! o estado estado está falido! mal arrecada para pagamento da máquina !!! o Bozo vai acabar com a Lei Rouanet !!! Essa Secretaria vai receber uma verba apenas para pagar água , luz e cafezinho e algumas esporádicas viagens da secretaria para Salinas alter do chão e Brasilia !! as unicas noticias culturais que tomaremos conhecimento é de incêndios dos poucos museus e prédios públicos desabando!!! este país na administração do Bosonazi acabou de vez !!!! ainda bemque estou me mudando para o Uruguay um país decente e não esta terra de broncos e caipiras !!!!1

  • PMDB de Juruti disse:

    PSOL COMENDO NA MÃO DOS BARBALHOS E LIRA MAIA,. CHORA TIBÉRIO JÁ SOUBE QUE O TIBÉRIO VAI PEGAR UMA BEIROTINHA AQUI EM SANTARÉM KKKKKKKK