Ministério Público mira em familiares de secretário que estão na folha da prefeitura
Edivan Siqueira (à esq): na mira do MPPA. Foto: Facebook

O Ministério Público do Pará (MPPA) iniciou investigação no município de Faro, no oeste do Pará, com o objetivo de apurar suposta prática de nepotismo e crimes conexos envolvendo o secretário de Educação e alguns dos seus familiares.

Notícia de Fato 027109-003/2020, procedimento inicial que se instaura quando recebe uma denúncia, já aparece no Portal do MPPA. Várias pessoas envolvidas no escândalo foram notificadas.

 

O caso ganhou repercussão após o Blog do Jeso publicar matéria com o levantamento feito com base em informações do Portal da Transparência de Faro, onde se constatou a presença de membros da família de Edivan Siqueira no quadro de pessoal da PMF.

Instaurado no dia 22 de julho, o procedimento é conduzido pelo promotor de justiça Osvaldino Lima de Sousa.

A Promotoria de Justiça de Faro estabeleceu que no prazo de 10 dias, o setor de Recursos Humanos (RH) da PMF informe se as pessoas citadas na série de reportagens sobre o caso possuem vínculo com a prefeitura, se são efetivos ou contratadas e “esclareça as circunstâncias em que ocorreram as contratações desses servidores e encaminhe as portarias de nomeações”.

Semsa e Semma: notificação do Ministério Público

Os secretários de Saúde, Victor Guerreiro Almeida, e do Meio Ambiente, Gilson da Costa Guimarães, também foram notificados. Devem esclarecer detalhes sobre as contratações que envolvem suas respectivas pastas.

O Ministério Público quer saber também se os gestores possuem parentes atuando na área educacional do município. “Caso exista, a qualificação dos servidores deve ser informada, assim como a forma em que ingressaram no serviço público, se foi por meio de concurso ou contratação”.

Segundo consta, a família de Edivan Batista Siqueira Pinto, secretário de Educação, vem acumulando cargos em diversas pastas do município de Faro. Na Secretaria de Educação, estão lotadas Maria Luzia Brito de Carvalho, esposa do secretário, e Kimberlly da Silva Costa, sobrinha dele.

 

Conforme o blog revelou, a esposa do secretário foi contratada em março de 2019, para atuar no ensino fundamental e recebe o salário de quase R$ 2 mil. A sobrinha ganha também R$ 2 mil.

Já na Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma) estão lotados Yuryanne Carvalho Pinto e Jarlan Carvalho Pinto, filhos do secretário, além de Kerleson Carvalho Ramos, sobrinho.

Yuryanne exerce o cargo de bióloga; Jarlan; de geólogo, e Kerleson, engenheiro florestal. Todos recebem a quantia de R$ 2 mil.


Gastos da PMF com o clã


Por fim, na Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) estão lotadas Mayume Carvalho Pinto e Yumme Danna Carvalho Pinto, filhas do secretário. Mayume, fisioterapeuta, recebe salário de R$ 2 mil, e Yumme, que é enfermeira, R$ 3,5 mil. Ambas foram contratadas no início deste ano. 

Edivan Pinto tem ainda uma irmã, Leana, lotada na Semsa, cujo salário é de R$ 1,7 mil.

Sobre esse caso, leia também:

Família de secretário recebeu quase R$ 300 mil em salários entre 2019 e 2020

Família de secretário acumula cargos e embolsa R$ 20 mil por mês em Faro

Secretário diz que esposa, filhos e sobrinhos na folha é fruto de “sacrifícios” e estudo

Irmã de secretário também ganhou emprego em Faro; família tem 9 na folha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *