Operação Rios Voadores: irmã do chefe da quadrilha de desmatadores é presa em São Paulo, Ana Luiza Junqueira Vilela Viacava

A pedido da Polícia Federal, a Justiça Federal concedeu a prisão preventiva de Ana Luiza Junqueira Vilela Viacava (foto), irmã de Antônio José Junqueira Vilela, o AJ Vilela, chefe da quadrilha que desmatava e grilava terras no interior do Pará, desbaratada na semana passada na operação Rios Voadores.

Ana Luiza chegou no Brasil hoje, dos Estados Unidos e foi presa ao desembarcar, em São Paulo. Ela está sendo interrogada na capital paulista.

Leia também – Pousada em Jacareacanga começa a ser investigada pelo Ministério Público.

O pedido de prisão foi feito com base nas interceptações telefônicas e o Ministério Público Federal deu parecer favorável, pelo risco de destruição de provas.

Após a prisão de 9 integrantes da quadrilha na semana passada, Ana Luiza foi flagrada ordenando, por telefone, a um homem não identificado que destruísse provas dos vários crimes de que ela e outras pessoas são acusadas.

O irmão de Ana Luiza, AJ Vilela, considerado o chefe do esquema pelas autoridades, continua foragido, assim como o marido dela, Ricardo Viacava.

A operação Rios Voadores uniu investigadores do Ministério Público Federal, Polícia Federal, Receita Federal e Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e cumpriu um total de 28 mandados de prisão preventiva, condução coercitiva e buscas e apreensões nos estados do Pará, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

O esquema movimentou R$ 1,9 bilhão entre 2012 e 2015 e destruiu 300 km quadrados de florestas em Altamira, no Pará, área equivalente ao território de municípios como Fortaleza (CE), Belo Horizonte (MG) ou Recife (PE).

O prejuízo ambiental foi de R$ 420 milhões.

Criação de gado

Segundo as investigações, o grupo invadia florestas em terras públicas, retirava e vendia a madeira de valor mais alto, e depois derrubava a mata remanescente e ateava fogo.

Na terra devastada, era plantado capim e instalada criação de gado.

Para praticar esses crimes, a organização criminosa utilizava mão de obra submetida a condições semelhantes às de escravos. Após a consolidação das pastagens, o grupo registrava os terrenos em cadastros ambientais rurais oficiais. Os registros eram feitos em nome de laranjas (pessoas que servem como intermediárias em negócios fraudulentos). As pastagens, então, eram exploradas pelos próprios integrantes do grupo ou arrendadas para terceiros.

Por essas e outras irregularidades, Jotinha figura hoje como o infrator que recebeu multas de maior maior valor já aplicadas pelo Ibama na Amazônia (R$ 163 milhões em dez autos de infração), e que é responsável pela maior área já embargada pela autarquia na região (300 km quadrados).

Os investigados na operação Rios Voadores

Mandados de prisão preventiva expedidos contra:
Adilce Eleotério Garcia, o Panquinha
Adriano Campos de Almeida
Antônio José Junqueira Vilela Filho
Arnildo Rogério Gauer
Bruno Garcia Almeida
Cláudio Roberto Bratz
Clesio Antonio Sousa Carvalho
Douglas Dalerto Naves
Edson Mariano da Silva
Eremilton Lima da Silva
Evaldo Mulinari
Francisco Antônio Junqueira Franco
Jerônimo Braz Garcia
Jhonatham Brito Medeiros
Laura Rosa Rodrigues de Sousa
Leilson Gomes Maciel
Luciano Bello Lorenzoni
Márcio Kleib Cominho
Nélio ngelo Santiago
Nilce Maia Nogueira Gauer
Thiago Bello Lorenzoni
Ramão Benites Gimenes
Ricardo Caldeira Viacava
Rodrigo Siqueira Pereto

Mandados de condução coercitiva expedidos contra:
Alisson Fernando Klimek
Ana Luiza Junqueira Vilela Viacava
Ana Paula Junqueira Vilela Carneiro Vianna
Cleber Rodrigo de Oliveira
Clemar José Fais
Dione Regina de Lucca
Eduardo Góes da Silva
Fábio Brustolin Giaretta
Heládio Cezar Menezes Machado

Proibição de comunicação com arrendatários citados na investigação, proibição de deslocamento de município e controle por monitoramento eletrônico contra:
Antônio José Rossi Junqueira Vilela

Mandados de busca e apreensão expedidos para os endereços das seguintes pessoas físicas e jurídicas:
A. E. Garcia Comércio e Trasnporte ME – Panquinha Compra de Gado (Altamira/PA)
Adilce Eleotério Garcia, o Panquinha (Altamira/PA)
Adriano Campos de Almeida (Novo Progresso/PA)
Antônio José Junqueira Vilela Filho (São Paulo/SP)
Bruno Garcia Almeida (Sinop/MT)
Ecritório Campos Organização Contábil (Presidente Prudente/SP)
Edson Mariano da Silva (Novo Progresso/PA)
Empresa Adepará de Castelo dos Sonhos (Altamira/PA)
Fertimig Fertilizantes Ltda (unidades de Rondonópolis/MT e Sorriso/MT)
Jeronimo Máquinas Ltda – ME (Sinop/MT)
Jerônimo Braz Garcia (Sinop/MT)
Jhonatham Brito Medeiros (Sinop/MT)
Nilce Maia Nogueira Gauer (Guarantã do Norte/MT)
Ricardo Caldeira Viacava (São Paulo/SP)
Sociedade Comercial AJJ S.A (São Paulo/SP)
Sociedade Comercial do Rochedo (Cuiabá/MT)
Sociedade Empresária Terra Engenharia-PA (unidades de Altamira/PA e Novo Progresso/PA)

Fonte: MPF/Pará

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

9 Comentários em: Operação Rios Voadores: irmã do chefe da quadrilha de desmatadores é presa em São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Sampaio disse:

    Pena que esses bandidos estejam todos passeando livremente em shoppings ao invés de estarem presos por destruírem nossa pobre e indefesa natureza. Animais morrendo queimados vivos com seus filhotes…. indígenas sofrendo mais do que na colonização pelos portugueses, enfim…. isso é o BRASIL DA PIZZA

  • Cc disse:

    Quero ver justiça. Quero ver se essa família vai estar na cadeia ou desfrutando suas férias com dólares. Sim, não são os únicos, mas que sejam os primeiros e um grande exemplo de justiça. O povo e o planeta merecem saber que a família inteira cumpra de acordo com a lei

    1. Sampaio disse:

      Pena que esses bandidos estejam todos passeando livremente em shoppings ao invés de estarem presos por destruírem nossa pobre e indefesa natureza. Animais morrendo queimados vivos com seus filhotes…. indígenas sofrendo mais do que na colonização pelos portugueses, enfim…. isso é o BRASIL DA PIZZA.
      Um dos membros dessa quadrilha mora no meu prédio aqui em SP, vive numa boa e ainda é sindico do prédio! Pode???????? Sim, no Brasil, pode!

  • Jozemar disse:

    Jeso,
    Ai nessa região de Almeirim/Amapá, quem manda é a Orsa florestal, diga-se: Sarney e Cia!
    E desse lado do Pará tem Sidney Rosa, é mole:
    Parada dura!

  • J. Soares disse:

    Aqui em Almeirim está havendo desmatamento ilegal. Se a fiscalização (se é que existe isso na Amazônia) der uma olhada no mapa de satélite do google, vai observar o descarado, e, às vezes, sutil desmatamento ao longo da PA que corta o Município de Sul a Norte até Monte Dourado na divisa com o Amapá. Tem gente grande do meio político local envolvido nisso, pois suas propriedades foram desmatadas fora da Lei Ambiental e Código Florestal. Vamos mapear tudo e entregar a Imprensa em geral. Com a palavra as autoridades locais do Poder Judiciário p/ averiguar e começar a punir esses canalhas destruidores do meio ambiente por pura ganância.

    1. Jeso Carneiro disse:

      Mande os mapas para o blog, J. Soares.

  • Jozemar disse:

    O lastro de apropriação dessas nossa parte da Amazônia é muito complexo. O apoio de Zé Geraldo e Paulo Rocha foi fundamental para que as grandes áreas fossem desmatadas. Aqui no Oeste com o apoio de Lira Maia as terras foram entregues e os sojeiros vieram com tudo, inclusive com dinheiro do Petrolão, BNDS e BASA. Ai com o apoio do Governador, a Gleba Nova Olinda Sucumbiu, além da beira dos Rios na divisa do Jacareacanga com o Mato Grosso que foram tomado pelos grupos mafiosos que ali criaram os grande empreendimentos de pesque e pague com pista e Cia!
    É crime em cima de crime, imaginem o que resta da nossa fauna com essa invasão de tratores, cachorros e teçados dentro das matas, deixando tudo em polvorosa. Enquanto isso o futuro para os donos da terra: Êxodo Rural!

  • estamos de olho disse:

    agora não tenho dúvidas, que irão pegar a máfia do incra que doaram 18 mil has do assentamento cruzeirão em óbidos, para luiz vacario neto, para tirar toda a madeira, e onde foi uma das investigações da operação madeira limpa, onde prendeu a turma do pmdb, enquanto que a turma do pt, cleide e seus amigos estão soltos.

  • D. Pedro disse:

    Acaba que não vai dar em nada, mas, se fosse um pobre diabo que tirou uma lasca da copaibeira pra fazer um remédio, já estava preso, multado e condenado a 5 anos de xilindró.