Belém, Marituba, Tomé-Açu, Acará, Inhangapi e Vitória do Xingu são os alvos da operação

Polícia Federal deflagra operação em 6 cidades do Pará contra desvio de recursos públicos, Vitória do XinguVitória do Xingu, um dos alvos da operação Lesson, da PF

A Polícia Federal, em ação conjunta a Controladoria Geral da União (CGU), a Receita Federal (RF) e o Ministério Público Federal (MPF), deflagrou na manhã de hoje (23/5) a Operação Lessons no Pará.

O objetivo é desarticular esquema de desvio de dinheiro público em empresa fornecedora de materiais didáticos para prefeituras municipais paraenses.

Leia também – Vitória do Xingu fica em 2º lugar no concurso de alimentação escolar promovido pelo MEC.

O grupo desviava recursos públicos que deveriam ter sido utilizados na educação básica com verbas oriundas do Fundeb, o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica.

Estão sendo cumpridos 15 mandados de busca e apreensão, 3 mandados de prisão preventiva, 3 mandados de prisão temporária e 8 conduções coercitivas nas cidades de Belém, Marituba, Tomé-Açu, Acará, Inhangapi e Vitória do Xingu.

As investigações se iniciaram em 2016, e revelaram que a empresa foi constituída com o único objetivo de contratar com entes públicos, por meio de inexigibilidades de licitações e licitações fraudulentas, com preços superfaturados, além de não prestar apenas parcialmente os serviços contratados.

Os livros fornecidos pela empresa aos entes públicos são de autoria do próprio sócio administrador da empresa, caracterizando-se como fornecedor exclusivo.

Para tanto, as licitações foram direcionadas para favorecer a contratação da empresa.

O material didático é composto por 3 livros inglês e 3 dvd’s, os quais eram vendidos ao preço unitário de R$ 1,8 mil para as prefeituras.

Os presos serão indiciados de acordo com o grau de participação pelos crimes de associação criminosa, frustrar o caráter competitivo do procedimento licitatório, peculato, corrupção passiva e tráfico de influência. Participam da operação 70 policiais Federais, 17 auditores da Controladoria Geral da União e 08 auditores da receita federal.

O nome da operação é uma alusão ao material fornecido pela empresa.

Fonte – MPF do Pará

  • 146
    Shares

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

5 Comentários em: Polícia Federal deflagra operação em 6 cidades do Pará contra desvio de recursos públicos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Manoel menezes disse:

    Quando vai chegar aqui em Alenquer e Monte Alegre, não esquecam daqui da região.

  • ELEITOR. disse:

    E AQUI EM SANTAREM QUANDO CHEGARA ESTAS OPERAÇOES?????

  • rafael disse:

    Rapaz um dos acusados nessa operação é o radialista nonato pereira da mix rádio do Carlos Santos. Falaram que encontratam maconha e cem mil reais na sua residênciaa. Eita peste esse cara, ouço ele todos os dias a caminho do trabalho nos comentários dele ele diz ” que odeia corruptos que não tem medo e nem rabo preso com ninguém que alguns prefeitos vereadores empresário são vagabundo todos corruptos” vaaaai Brasil so rindo mesmo hahahahaha

    1. J. B. disse:

      E ele berrava durante a greve dos professores da Rede Estadual que os mesmos são vagabundos, mesmo os professores estando lutando por um direito legítimo que é o Piso Salarial e que o JÁMENTE não está pagando esse ano na cara dura diante da legislação em vigor e não pega nada com esse diabo!

  • De Altamira disse:

    já foi tarde este Vando de vitória do Xingu gastou mais de 10 milhões na campanha da sua mulher para deputada para comprar votos, conseguiu ainda comprar 33 mil votos, mais graças a deus não foi eleita,’no. Aniversário da cidade ano passado ele gastou mais de 5. Milhoes em shows com artistas, em vitória do Xingu a farra é grande, vamos ver se agora eles pedem este prefeito.