Vereador do PSD é indiciado por incêndio criminoso de cartório em Terra Santa, Milenildo Freitas, vereador de Terra Santa

Vereador eleito pelo PSD no ano passado, Milenildo Freitas, o Professor Milenildo, é suspeito de ser um dos responsáveis pelo incêndio no Cartório de Único Ofício de Terra Santa, ocorrido em agosto de 2016.

Ele é o oficial do cartório, juntamente com Amanda dos Santos D’Antona, oficial substituta, ambos indiciados no inquérito policial que apura o caso, sob o comando do delegado Jaime Paixão, da Polícia Civil do Pará.

O inquérito foi concluído semana passada, e imediatamente entregue à Justiça.

Milenildo foi reeleito com 362 votos e pertence à base de apoio do prefeito Doca Albuquerque (PSD) na Câmara de Vereadores. Tem 42 anos e nasceu em Santarém.

Chegou-se a cogitar que o incêndio teria conotação política e os responsáveis seriam opositores políticos do parlamentar. Essa hipótese, no entanto, foi totalmente afastada com a perícia realizada no cartório.

ACESSO AO CARTÓRIO

Não se constatou, por exemplo, na porta de acesso ao cartório danos compatíveis com arrombamento. A entrada pelo telhado foi forjada.

A perícia concluiu ainda que os focos de incêndio foram ateados propositalmente, e nenhum deles queimou documentos ou arquivos de importância.

As únicas pessoas com acesso a chave do cartório eram Milenildo Freitas e Amanda D’Antona.

OUTRO LADO

Alcançado pelo site Jeso Carneiro na manhã de hoje, 3, o vereador Professor Milenildo disse que ainda não havia lido a reportagem e que só iria se manifestar após a leitura.

Leia também
Inquérito criminoso em Terra Santa ganha retoques finais

  • 45
    Shares

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

Um comentário em: Vereador do PSD é indiciado por incêndio criminoso de cartório em Terra Santa

  • Mais uma vez a perícia sendo de fundamental importância para resolução de casos como este. Parabéns ao CPC Renato Chaves.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *