Intimidades

Não sei sentir o que me basta
quero coisas impossíveis
coisas que o olhar não vê diante dessa dimensão.
Muito gosto
Muito amor
Sinto um canto de um riso amoroso
melodia em gozo e satisfação profunda
por isso e disso quero mais
quero mais
quero mais e mais …
desse gosto insaciável que em minha boca fica
e as sensações nas pontas dos dedos que se perdem entre os cabelos.
há um rio à navegar.
É um rio.
ondas batem de prazer intenso.
os olhos mergulham em infinidades.
Intimidades.
E mais, e mais, e mais, … uma loucura de viagem.
Não há porto a ficar.
É só um seguir viagem.

—————————————————–

De Neucivaldo Moreira, de Santarém.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *