Aimex e servidor do Ibama: os alvos no Pará da operação Akuanduba da PF nesta 4ª
Veículo da PF estacionado às proximidades do prédio do MMA, em Brasília. No Pará, a Aimex foi um dos alvos. Foto: Rdivulgação/PF

A Polícia Federal deflagrou nesta quarta (19) a operação Akuanduba, que teve como alvo nº 1 o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. No Pará, a ação policial autorizada pelo STF mirou a Aimex – Associação das Indústrias Exportadoras de Madeira do Estado do Pará.

Assim como também Artur Vallinoto Bastos, servidor público do Ibama (analista ambiental) lotado na cidade de Belém, a capital paraense.

— LEIA também: Justiça acata denúncia contra 8 do grupo Boi na Brasa por garimpo ilegal no Pará

 

Os investigadores apuram suspeitas de exportação ilegal de madeira.

Segundo a PF, a ação investiga desde janeiro deste ano suspeitas de crimes como corrupção, advocacia administrativa, prevaricação e facilitação de contrabando. A investigação, diz a PF, começou a partir de denúncias feitas por autoridades estrangeiras sobre suposto “desvio de conduta de servidores públicos brasileiros no processo de exportação de madeira”.

A operação foi autorizada pelo ministro Alexandre de Moraes, que determinou o afastamento do cargo de 10 servidores, incluindo o presidente do Ibama.

Leia a íntegra da decisão.

Operação da PF contra titular do MMA by Blog do Jeso on Scribd


Assine e participe, comente no canal do Blog do Jeso no Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *