Audiência de instrução e julgamento da Perfuga inicia com depoimento de delgado, Audiência da Perfuga

Delegado Castro à frente do juiz Rômulo Brito

Começou hoje, 13, a audiência de instrução e julgamento dos 28 réus da Perfuga, acusados pelo Ministério Público do Pará de prática de 6 crimes, entre os quais associação criminosa, falsidade ideológica e corrupção passiva.

Hoje, 13, e amanhã serão ouvidos apenas testemunhas – tanto os arrolados pela acusação como os pela defesa. Na sexta-feira, 15, será a vez do interrogatório dos réus.

O juiz Rômulo Nogueira de Brito, da 2ª Vara Penal de Santarém, é quem preside a audiência.

O delegado Kleidson de Castro, responsável pelas investigações da Perfuga, foi a primeira testemunha ouvida. Liliam Braga, promotora de justiça, deu o pontapé nas perguntas.

Representam ainda o MP nessa ação penal a promotora de justiça Maria Raimunda Tavares e Rodrigo Aquino.

Considerado o chefe da organização criminosa, o ex-vereador Reginaldo Campos (PSC) está no auditório do fórum, onde a audiência é realizada.

Advogados de todos os réus também estão presente.

Audiência - defesa - Perfuga

Advogados dos réus da Perfuga presentes na audiência

Leia também:
Juiz marca audiência de instrução e julgamento dos réus da Perfuga para dezembro

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

8 Comentários em: Audiência de instrução da Perfuga inicia com depoimento do delegado Castro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Estou de Olho disse:

    Jeso,

    Vejo dois servidores públicos municipais efetivos (advogados) que no horário de expediente da prefeitura deveriam estar defendendo o direito para afastar todos os princípios suspeitos da administração pública nada mais nada menos fazendo o contrário.

    É Santarém, é Pará, é Tapajós, é Amazônia, é Brasil.

    1. Joselma de Sousa Maciel disse:

      Em que pese entender que não precisava responder ao vosso comentário, até pq se vale do anonimato, devo lhe informar, como servidora efetiva, diga-se, não entrei apadrinhada de ninguém, passando por concurso público, e ainda que esteja acobertada por resolução da OAB, que permite o exercício da advocacia fora do serviço público, lhe informo que estou em gozo de férias, a partir do dia 13 passado.

      1. André Lisboa disse:

        As pessoas falam as coisas sem saber. Não merece nem comentário, tendo em vista que nossas particularidades funcionais dizem respeito à nós mesmos e à nossa chefia.

      2. Jeso Carneiro disse:

        Bem explicado, Joselma. Grato pelas informações.

        1. Joselma de Sousa Maciel disse:

          Eu que agradeço.

  • PEDRO DA MENDONÇA disse:

    SE GUILHERME DE PADUA MATOU UMA ATRIS AGORA E PASTOR PORQUE REGINALDO NÃO PODE SER PASTOR DEPOIS DESSA????????????

  • $$$$$ disse:

    hum!!!!

  • LINGUA DE JAMBU disse:

    sera que albinha vai estar la como testemunha?????