Lava Jato prende maior empresário de ônibus do Pará e Rio de Janeiro, Jacob Barata Filho preso no RJ. Foto - Domingos Peixoto/O Globo

O empresário Jacob Barata Filho, sócio de várias empresas de ônibus no Rio de Janeiro [e em Belém, no Pará], foi preso na noite deste domingo pela Polícia Federal (PF). A informação é do jornal O Globo.

Ele foi detido no Aeroporto Internacional do Galeão enquanto tentava embarcar para Lisboa, em Portugal.

Investigadores à frente dos desdobramentos da Operação Lava-Jato no estado monitoravam a situação de Barata Filho e suspeitavam que ele tentaria fugir do país, já que havia comprado uma passagem apenas de ida para a Europa.

No fim da noite, Barata Filho foi levado para o Instituto Médico Legal, e em seguida, para a Superintendência da Polícia Federal, ambos na Zona Portuária.

O pedido de prisão foi feito por procuradores que integram a Força-Tarefa da Lava-Jato no Ministério Público Federal (MPF) e assinado pelo juiz Marcelo Bretas, titular da 7ª Vara Federal Criminal.

GUANABARA

Após revistarem a bagagem do empresário, agentes da PF verificaram que ele levava um ofício que seu banco recebeu com a ordem de Bretas determinando a quebra do sigilo bancário. Os responsáveis pela investigação interpretaram o fato como um sinal claro de que ele sabia que havia uma investigação em andamento.

Jacob Barata Filho - Foto - Folha de S. Paulo

Jacob Barata Filho, a família é sócia de 26% das empresas de ônibus do Rio

As investigações encontraram indícios de que o empresário despejou milhões de reais em propinas pagas a políticos no Rio. A expectativa era de que a prisão acontecesse nos próximos dias, mas, com a possibilidade de fuga, a ação foi antecipada.

O pai do preso na noite deste domingo, Jacob Barata, atua no ramo dos transportes via ônibus no Rio de Janeiro há várias décadas. Ele é conhecido como “Rei do Ônibus” e é fundador do Grupo Guanabara, no qual Jacob Barata Filho também é um dos gestores. Várias empresas do conglomerado atuam no transporte de passageiros no Rio.

Em nota, a assessoria de imprensa de Jacob Barata Filho negou que ele estivesse fugindo. Segundo o texto, ele “estava realizando viagem de rotina a Portugal, onde possui negócios há décadas e para onde faz viagens mensais”. A defesa do empresário acrescenta que vai se pronunciar assim que tiver acesso aos autos do processo.

R$ 20 E PEDRAS

Em 2013, durante a época das manifestações contra o aumento de R$ 0,20 na passagem de ônibus no município do Rio, o luxuoso casamento da filha do empresário, Beatriz Perissé Barata com Francisco Feitosa Filho, herdeiro do ex-deputado federal cearense Chiquinho Feitosa, foi marcado por protestos.

As manifestações aconteceram na porta da Igreja do Carmo, no Centro da cidade, e seguiram para a frente do Copacabana Palace, na Zona Sul do Rio, onde foi realizada a festa do casal.

Houve convidados que jogaram notas de R$ 20 em cima dos manifestantes, que revidaram com pedras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *