A história do feminismo e seus estereótipos. Por Regiane Pimentel

Outro dia estava conversando com uma de minhas melhores amigas e ela disse que não se considerava feminista porque ela queria casar, ter filhos e construir uma família.

Essa ideia da minha amiga sobre o feminismo é quase unânime na sociedade, muitas todas as pessoas tem essa ideia deturpada sobre o tema.

Regiane Pimentel *

O mais engraçado é que quando questiono da onde as pessoas tiram esse conceito, a resposta também é unânime, não sabem responder, não conseguem explicar como chegaram a tal conclusão. Se você não conhece determinado assunto por que o dissemina de maneira equivocada por aí?

Outro estereótipo que ouço muito é de que feministas não gostam de homem, que elas odeiam os homens. Mais uma mentira. É preciso conhecer o movimento e ter responsabilidade ao falar de algo tão sério e importante.

É assustadora a quantidade de gente que não sabe o que é feminismo. Ninguém tem a obrigação de saber, é claro, mas a partir do momento em que você decide opinar sobre um assunto, é de bom tom saber do que se trata.

O feminismo (do latim femina, significa “mulher” ). O movimento feminista no Brasil surgiu no século XIX com a luta pela educação feminina, direito de voto e abolição dos escravos. Uma das maiores influências foi a Revolução Francesa e as alterações sociais que começaram a acontecer nesta época.

 

Atualmente virou um movimento social, político e filosófico, que tem como finalidade propor direitos iguais entre as mulheres através do empoderamento feminino, sem a existência de padrões patriarcais impostos pela sociedade.

O feminismo luta para que as mulheres deixem de ser vítimas de diversas formas de opressão social para levar a sociedade a estruturas mais justas. A mulher foi vista durante muito tempo como algo que pertencia ao homem, como propriedade, como um ser inanimado, não tínhamos direito de pensar, de estudar, de se manifestar, de estudar.

E o feminismo veio para quebrar todas essas construções sociais que nos impediam de sermos tratadas como seres humanos constituídos de direitos e sentimentos.

A primeira onda feminista que ocorreu defendia causas ligadas aos direitos políticos, à liberdade de escolha das mulheres e ao direito de usufruir da vida pública. Depois de muitas lutas ainda hoje questionamos todas essas formas de submissão e desigualdades que enfrentamos, ainda exigimos liberdade de escolha sobre nossas vidas e corpos, e nossa luta busca principalmente igualdade de direitos, oportunidades e tratamento igual entre homens e mulheres.

O feminismo é um movimento cultural e social, a luta está em estabelecer igualdades para homens e mulheres. O intuito é de que ambos, independentemente do gênero, possuam os mesmos direitos, oportunidades e tratamentos.


Muitas mulheres antes de mim foram mortas, violentadas e expostas para que hoje nós possamos nos divorciar, votar…”


Nossa luta, entre tantas outras, é principalmente contra o machismo. Vale ressaltar que feminismo não é o oposto de machismo, pois o machismo é uma construção social que promove e justifica atos de agressão contra às mulheres. Já o feminismo é o movimento social que luta contra as manifestações do machismo na sociedade.

O movimento feminista nos concedeu muitos direitos. Muitas mulheres antes de mim foram mortas, violentadas e expostas para que hoje nós possamos nos divorciar, votar, escolher nosso futuro marido, estudar, escrever, enfim, são inúmeras coisas que nos foram cedidas por causa desse movimento que ainda hoje é tão julgado e estereotipado.

Bom, mas eu preciso muito falar desses estereótipos que tanto rondam o feminismo. Primeiramente, se você não conhece o movimento, não participa, nunca leu nada a respeito, então tenha responsabilidade e não dissemine mentiras, não faça um desserviço para um movimento que tanto já lutou por você.

No feminismo, a mulher pode casar, pode não casar se não quiser, pode ter filhos e pode não tê-los também se assim o quiser. Gente, pelo amor de Deus, não há regras, não usamos um uniforme e não temos uma varinha para bater em outras mulheres que não seguirem nossas regras, até porque não há regras, nós queremos justamente quebrar essas barreiras.

Nós também não odiamos os homens, ah não, não os odiamos e nem desejamos que eles deixem de existir. Acho que esse pode ser considerado um dos maiores equívocos sobre o feminismo que é tão difundido.

Nós só não gostamos de homens machistas, de estupradores, de agressores e de homens que usam de seu poder para oprimir as mulheres. Desses homens realmente não gostamos. Você pode ser mãe e ser feminista, você pode ser divorciada, solteira, você pode ser o que quiser no feminismo, nossa luta é para sermos livres de tantas regras que o patriarcado nos impôs durante séculos.

Defendemos que as mulheres tenham liberdade sobre seu próprio corpo, ou seja, que elas possam fazer suas escolhas. Nós queremos tirar das costas das mulheres qualquer obrigação social. Se quiser se depilar tudo bem, se não quiser tá tudo bem também.

 

Feminismo não é contrário de machismo. Para o feminismo nem homem e nem mulher são superiores. Eles devem estar em condição de igualdade social. Machismo é um comportamento que subjuga a mulher, que a coloca como inferior ao homem. O feminismo defende a condição de igualdade entre homens e mulheres e o direito delas decidirem sobre suas vidas individualmente.

O que deve ser combatido é o sistema patriarcal que coloca o homem em situação de superioridade em relação à mulher, seja por justificativas biológicas ou pelos papéis de gênero que cada um assume na sociedade.

Também não somos contra batons e saltos, claro que não. Você pode usá-los se desejar, mas só se isso for uma vontade sua e não algo imposto pelos padrões de beleza.

Não sei se estou conseguindo ser tão clara o quanto gostaria, mas nós lutamos pela direito de escolha da mulher, que ela faça o que tem vontade, que decida por si só, e não pela cabeça de um homem ou por qualquer regra que não se identifica. Parece simples não? Pois não o é, em pleno o século XXI ainda lutamos por liberdade de escolha.

Feminismo é um movimento social por direitos civis, protagonizado por mulheres, que desde sua origem reivindica a igualdade política, jurídica e social entre homens e mulheres. Sua atuação não é sexista, não busca impor nenhum tipo de superioridade feminina, mas a igualdade entre os sexos.

Ainda somos em menores números em cargos políticos, ainda ganhamos menos que os homens mesmo desempenhando as mesmas funções. Somos o maior número nas universidades, estudamos mais, porém ganhamos menos.

Ainda sofremos assédios no nosso ambiente de trabalho por nossos superiores, ainda temos que comprovar o tempo todo a nossa competência, nossa palavra ainda é invalidada. E tudo isso só porque somos mulheres, sim, só por conta de nosso gênero.

Nenhuma de nossas conquistas caiu do céu, nada veio de graça, nada. Foi preciso muita luta e exposição, então respeite o feminismo e não fale mentiras a respeito de um movimento tão sério.

Claro, não posso falar por todas as feministas. Somos um movimento diverso e em constante construção. Mas posso, ao menos, falar sobre o feminismo que tento construir diariamente, baseado em tudo que já ouvi, aprendi e continuo aprendendo com tantas feministas que admiro.

“Eu nunca me considerei feminista, mas não acredito que se possa ser mulher nesse mundo e não ser uma” (Oprah Winfrey).


— * Regiane Pimentel é assessora do DEM, bacharel em direito, feminista e ativista social. Reside em Santarém (PA).

LEIA também de Regiane Pimentel:

Invisibilidade feminina na sociedade patriarcal.

Feminicídio: parem de nos matar.

Mulheres, cultura do machismo e a pandemia.

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

Um comentário em: A história do feminismo e seus estereótipos. Por Regiane Pimentel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *