Santarém pode ficar de fora de pesquisa nacional do Ibope sobre a covid-19

por Iza Tapuia (*)

A Cidade de Santarém está prestes a ser substituído no Estudo Epidemiológico Nacional sobre o avanço do covid-19.

O projeto é uma iniciativa do Ministério da Saúde, que contratou o Ibope para realizar as pesquisas de campo. O entrevistador deverá usar equipamentos de proteção, como óculos, máscara e luvas, e visitará as pessoas em suas casas.

Coletará uma gota de sangue de um dos moradores de cada domicílio e colocará o material em um aparelho que fará a análise. Se der positivo, o entrevistador deverá testar todos os moradores dessa casa.

Iza Tapuia

Com os testes rápidos, será possível saber o percentual de pessoas que têm anticorpos contra o novo coronavírus, ou seja, que já entraram em contato com a doença. Os testes rápidos, porém, têm uma limitação: só detectam a doença se a pessoa estiver infectada há, pelo menos, 7 dias.

Ou seja, muitas pessoas que fizerem o teste podem ter resultado negativo, mas estar infectadas e continuar sem saber disso. A metodologia da pesquisa definiu que a cada rodada de teste apresentará o retrato de um momento. O plano do Ministério da Saúde é que a comparação dos resultados das diferentes rodadas mostre a velocidade com que o vírus está se espalhando pelo país.

Esse tipo de informação poderá ser útil, por exemplo, para balizar uma decisão sobre medidas de relaxamento do distanciamento social em uma determinada região. Para esse trabalho, o Ibope contará com o apoio da Universidade Federal de Pelotas.

Em Santarém,este trabalho está sendo coordenado por um pesquisadora, professora de sociologia e um grupo de pesquisadores da área da Saúde. No entanto, a importantíssima pesquisa nacional realizada pelo Ibope sobre Covid-19 foi atropelada pela precipitada ação de autoridades sanitárias no município de Santarém, resultando na inusitada detenção policial das pesquisadoras.

 

Essa atitude inconsequente da Anvisa, ajudada pela falta de comunicação da Sespa e Semsa pode ocasionar a retirada da cidade de Santarém da amostra nacional. O Ibope, pelo recente vexame ocorrido, pode excluir Santarém da pesquisa, a qual daria subsídios para a melhor tomada de decisão sobre as eventuais restrições.

Acredito que o prefeito deve de maneira imediata conversar com os diretores do órgão de pesquisa nacional e consertar essa falha, esse equívoco.

Na verdade, o prefeito, a Câmara de Vereadores, a ACES e a sociedade santarena devem se mobilizar no sentido de fazer com Santarém participe do estudo, inclusive, aqueles que vivem reclamando das restrições, querendo que seja flexibilizado as ações de controle, os empresários deveriam ser os primeiros a querer esse estudo, pois, a partir dele se pode ter subsídios para se manter ou retirar as medidas de combate ao coronavírus.

Vamos nos mexer, solicitar ao Ibope que realize seu estudo, dar suporte a esse trabalho. Santarém é uma cidade polo, com um diagnóstico assustador quanto ao número de contágio e o empresariado querendo abrir o comércio. Será que vamos perder essa oportunidade que não vai custar um real para o município?

Conclamo a todos para nos manifestar e pedir pra Santarém permanecer no estudo! É urgente e fundamental.


— * Iza Tapuia, professora, mestra em Antropologia. É membro do Conselho Municipal de Saúde de Santarém

LEIA também: Hospital referência em covid-19, Regional tem 15 funcionários com a doença

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

5 Comentários em: Santarém pode ficar de fora de pesquisa nacional do Ibope sobre a covid-19

  • Precisava tanto alarde e tamanha humilhação quando tudo poderia ser esclarecido pelo diálogo civilizado? Não posso deixar de censurar com veemência o ocorrido.

  • Tais coisas só servem para implantar terror. Deixe toda desgraça que acontece na sua casa dentro da sua casa

  • O prefeito não quer que façam esses testes, quer continuar escondendo os números da doença em Santarém pra não fechar o comércio. A atuação da prefeitura é vexame nacional, já virou motivo de piada em rede nacional o comércio ficar aberto e a noite toque de recolher que ninguém respeita…

  • Tenho certeza que não havia necessidade de usar da força com os(as) pesquisadores, imaginem que os mesmos foram levados à delegacia de polícia no camburão da Policia Civil algemados, como se fossem criminosos e tudo por conta da incompetência dos órgãos responsáveis por acompanhar, é esdrúxula a desculpa que a titular da Sespa forneceu: “a informação veio por e-mail e chegou no final da tarde, então deixei para enviar aos órgãos na manhã do dia seguinte, ou seja, o dia da ação, Um e-mail, que não leva 5 minutos o enviou. Se ela tivesse ficado 5 minutos teria evitado todo o transtorno sofrido pelos profissionais de saúde que estavam trabalhando, sem contar o constrangimento na casa da coordenadora local do estudo, segundo a mesma, os policiais e o chefe da Anvisa revistaram até o cesto de roupa suja, deixando as calcinhas espalhadas pelo chão, o que esperavam encontrar nesse local, é uma interrogação que somente os policias e o chefe da Anvisa podem responder. No entanto, acreditamos que está havendo uma mobilização de pesquisadores junto a reitoria da Ufopa no sentido de sensibilizar o Instituto e a Universidade de Pelotas para permanência de Santarém no estudo. Acredito que vamos conseguir e espero que tanto a ANVISA, quanto a SESPA e a SEMPA respondam por suas ações intempestivas, e descabidas. .

  • A pesquisa e testes rápidos aplicados pelo IBOPE Inteligência e consultoria Ltda contratada para atender o convênio 01/2020″Evolução da prevalência de infecção por covid-19 no Brasil:Estudo de base populacional”vinculado a Universidade de Pelotas-UFPel.,convênio com o ministério da saúde, para fins de enfrentamento de emergência da saúde pública de importância internacional decorrente do novo coronavirus. Objetivando politicas as públicas frente a nova pandemia. A pesquisa configura se na coleta de dados de estudo sorológico com testes rápidos para detecção do covid 19 em todo território brasileiro.
    Realmente quem perde é o nosso município um tanto carente no atendimento dos novos casos da pandemia. As autoridades locais precisam rever esse equivoco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *