Delator diz que nº 1 da Câmara de Monte Alegre recebeu dinheiro de empreiteira

Publicado em por em Justiça, Monte Alegre, Pará

Delator diz que nº 1 da Câmara de Monte Alegre recebeu dinheiro de empreiteira
Jorginho da Z-11, presidente da Câmara de Monte Alegre, e o delator Bruno dos Santos. Foto montagem: JC

Uma empreiteira cuja sede fica em Altamira (PA) é uma das empresas envolvidas em um suposto esquema de corrupção montado na Câmara de Vereadores de Monte Alegre (PA) pelo atual presidente da Casa, Jorginho da Z-11 (MDB).

O caso foi denunciado ao Ministério Público paraense por Bruno Augusto dos Santos, ex-assessor direto do parlamentar, também envolvido no esquema, em delação premiada.

A Projetar Engenharia (JA Fontenele Júnior Engenharia Ltda.) foi quem construiu o novo prédio da Câmara de Monte Alegre. A reforma foi orçada em quase R$ 800 mil e concluída no início deste ano.

Antes da sua conclusão, porém, a obra recebeu aditivo de R$ 198,6 mil. Parte desse recurso, segundo o delator, foram repassados pela empreiteira ao vereador Jorginho da Z-11.

Todo o modus operandi do esquema foi detalhado por Bruno Santos ao Ministério Público. O delator também revelou esquemas similares de corrupção envolvendo o atual presidente da Câmara e outras empresas prestadoras de serviços para a Casa.

O caso tramita sob sigilo no MP.

O JC tentou, mas não conseguiu falar com o presidente Jorginho da Z-11. O contraponto dele será incluído nessa matéria assim que chegar à redação. O espaço também está aberto à manifestação da Projetar Engenharia, cujo sócio proprietário é Jairo Alves Fontenele Júnior.

Representação

No último dia 29, o delator Bruno Santos protocolou pedido de cassação de Jorginho da Z-11, o vereador mais votado nas eleições de 2020.

A representação é “por quebra de decoro parlamentar e prática de corrupção” contra Jorge Luís de Andrade Tavares.

Naquele dia, a Casa, em decisão do plenário, cassou por 12 votos a 3 o mandato do vice-prefeito Cabo Leonardo (PL) por suposta infração político-administrativa.

Na terça-feira (12), o plenário, por 8 votos a 4, arquivou a representação contra Jorginho da Z-11. Votaram contra a abertura do processo de investigação do presidente os vereadores John Miller, Eliselmo Picanço, Fatinha do Carrão, Denilson Oliveira, Kemmer Xavier, Marinete Macedo, Gil Silva e Cupuzinho.

A favor: Airton Sousa, Jair Paraná, Agenor Martins e Adson Leão. Os vereadores Wilson Lopes e Manel não estavam presentes na sessão.

— O JC também está no Telegram. Siga-nos e leia notícias, veja vídeos e muito mais.


Publicado por:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *