TJ do Pará cria comissão para apurar denúncias de juíza em
Juíza Ana Carolina, autora de duras críticas ao TJ do Pará

A presidência do TJ (Tribunal de Justiça) do Pará publicou nesta quinta portaria instaurando comissão para apurar as denúncias contidas em carta redigida pela juíza da comarca de Xinguara, Ana Carolina Barbosa Pereira.

Foram designados para compor a comissão, como presidente, o desembargador Luiz Gonzaga Neto, e os juízes Lúcio Barreto Guerreiro, auxiliar da presidência, e André Filo-Creão Garcia da Fonseca, indicado pela  Amepa (Associação dos Magistrados do Estado do Pará.

Na terça (2) foi compartilhada em redes sociais uma carta da magistrada de Xinguara com denúncias de omissão de órgãos diretivos do Poder Judiciário do Pará, seguida de um pedido de exoneração.

Horas depois, a juíza desistiu do pedido de exoneração, considerou o oferecimento de apoio médico pela Amepa e requereu passar por junta médica do TJ.

↳ Leia: Juíza pede exoneração com críticas duras ao TJ do Pará, OAB e Ministério Público. Mas volta atrás.

Com a finalidade “de bem esclarecer os fatos, em especial para dar, de modo transparente, explicações à sociedade e tranquilizar os jurisdicionados, bem ainda a salvaguarda do bom conceito institucional do Judiciário do Estado do Pará”, o presidente do TJ, Ricardo Ferreira Nunes, estabeleceu o prazo de 45 dias para a que a comissão apresente um relatório conclusivo, que será submetido ao Pleno da Corte e divulgado para conhecimento público. 

Na mesma portaria, o presidente do TJ deferiu os pedidos de desistência da exoneração e de realização de perícia médica solicitados pela juíza Ana Carolina Barbosa Pereira.

Neste link, a íntegra da portaria.

Com informações do TJ do Pará

  • 4
    Shares

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

Um comentário em: TJ do Pará cria comissão para apurar denúncias de juíza em “carta-bomba”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *