No Jornal Nacional, Ciro Gomes responde a acusações contra presidente do PDT, Ciro no JN
Ciro Gomes entrevistado pela bancada do JN

O candidato a presidente Ciro Gomes (PDT) comentou, ontem, 27, em entrevista dada ao Jornal Nacional/Rede Globo, sobre processos na Justiça envolvendo o presidente do seu partido, Carlos Lupi.

O apresentador William Bonner, segundo o site Poder360, listou os casos de corrupção envolvendo Lupi e perguntou a Ciro se não havia contradição no fato de ele afirmar que o presidente Michel Temer (MDB) está cercado “de quadrilheiros” e dizer que Lupi tem “total confiança para ocupar o cargo que quiser”.

Eis os episódios de corrupção citados:

  • Responde a inquérito no STF (Supremo Tribunal Federal) por uma investigação sobre compra de apoio político a Dilma Rousseff (PT) nas eleições de 2014;
  • Denunciado pelo delator Carlos Miranda por receber R$ 100 mil de mesadas do esquema de corrupção do ex-governador Sergio Cabral (MDB-RJ);
  • Réu por improbidade administrativa na Justiça do Distrito Federal;
  • Quando ocupava cargo no governo Dilma, o conselho de ética da Presidência recomendou a demissão dele, o que acabou acontecendo.

Ciro respondeu que não escolheu ninguém para ser ministro, mas reafirmou que se for eleito Lupi terá o cargo que quiser.

A pergunta levou a uma discussão entre o candidato e o jornalista sobre se Lupi seria ou não seria réu:

Ciro: “Me surpreende essas informações. Réu ele não é”.

Bonner: “Ele é réu”.

Ciro: “Réu com certeza ele não é”.

Bonner: “No fim da entrevista vou disponibilizar para o senhor os dados”.

Ciro: “Eu me comprometo a adicionar qualquer esclarecimento necessário no meu site cirogomes.com.br”.

O pedetista afirmou que não há contradição em criticar Temer e reitera confiança em Lupi.

Ciro: “Temer é acusado formalmente pela PGR [Procuradoria-Geral da República] por corrupção. Não é o caso de Lupi que não foi denunciado formalmente. Temer tem ao redor Cunha e Geddel, que estão presos, e Padilha e Moreira Franco, que estão protegidos pelo foro privilegiado. Todos notórios corruptos”.

Lupi publicou nota nas redes sociais negando as acusações.

Ciro foi questionado sobe ataques feitos por ele ao PT. Sobre isso, fez elogios a administração do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e centrou os comentários negativos na gestão da ex-presidente Dilma Rousseff (PT)

“Nunca esperei o apoio do PT. Para mim o Lula não é satanás, como certos setores da imprensa e da opinião brasileira pensam, nem Deus, como certos setores metidos a religiosos do PT pensam. Conheço ele há 30 anos, tive a honra de servi-lo como ministro. Foi 1 bom presidente do brasil. Da Dilma para cá tudo isso foi perdido, mas isso não quer dizer que devemos rasgar a história”.

A entrevista foi a 1ª de uma série que o telejornal vai fazer com 4 candidatos. Ao longo desta semana participarão Marina Silva (Rede), Geraldo Alckmin (PSDB) e Jair Bolsonaro (PSL).

Eis outros assuntos abordados na entrevista com Ciro:

  • Apresentou 1 livreto [leia a íntegra] aos jornalistas William Bonner e Renata Vasconcelos com detalhes das proposta de eliminar as pessoas da lista de devedores do SPC (Serviço de Proteção ao Crédito);
  • Negou ter intenção de unir a esquerda e comparou sua chapa formada com Kátia Abreu (PDT) com a dos ex-presidentes e vice Lula e José Alencar;
  • Respondeu a questionamento sobre a crise de segurança pública vivida no Ceará, onde seu grupo político governa. Ele afirmou que houve investimento de aparato técnico no Estado, mas que o problema é causado pelas facções criminosas. Defendeu que o combate a esses grupos criminosos deve ser responsabilidade do Governo Federal.

Leia também:
TCM explica por que gestores com contas irregulares saíram da lista entregue à Justiça

  • 1
    Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *