Pará é o 3º do país em número de localidades indígenas; Amazonas lidera
IBGE: estatística indígena e quilombola. Foto: Agência Brasil

O IBGE acaba de disponibilizar sua “Base de Informações Geográficas e Estatísticas sobre os Indígenas e Quilombolas”, resultado do levantamento feito em 2019 que, inicialmente, serviria para orientar as ações do órgão durante o Censo Demográfico 2020 (adiado para 2021, devido à pandemia). 

A divulgação dessas informações estava prevista para após o censo, mas foi antecipada para ajudar no enfrentamento à pandemia junto aos povos tradicionais, em todo o Brasil. 

 

Com base nesse levantamento, estima-se que existam 7.103 localidades indígenas e 5.972 localidades quilombolas, até 2019, em todo o país. Na região Norte registrou-se 63,4% do total de localidades indígenas, sendo o Pará o terceiro estado com mais localidades indígenas do país e também onde está a maioria das localidades quilombolas com delimitação oficial: um total de 75. 

Do Censo 2010 até as estimativas de 2019, o número de localidades indígenas deu um salto de 1.856 para 7.103, aumento que se justifica pelo aperfeiçoamento da capacidade técnica do instituto, nos últimos anos. Essas localidades estão distribuídas em 827 municípios brasileiros. 

Norte: a liderança

Na região Norte registrou-se 63,4% do total de localidades indígenas de todo o país: 4.504 localidades. Em seguida vem o Nordeste (1.211), o Centro-Oeste (713), o Sudeste (374), e o Sul (301). 

Entre os estados, o Amazonas vem em primeiro, com 2.602 localidades indígenas, seguido de Roraima (587) e Pará (546). Dos dez municípios com mais localidades indígenas, sete são no Amazonas.

São Gabriel da Cachoeira (AM) é a cidade com mais localidades indígenas (429). A segunda é Alto Alegre (RO), com 149, e a terceira é Jacareacanga (PA), com 112 localidades. 

 

A região Norte também reúne o maior número de terras indígenas oficialmente delimitadas: 305 no total, com quase a metade no Amazonas (148). O segundo estado com terras reconhecidas é o Mato Grosso (73), seguido do Pará (54). 

Já sobre a população quilombola, não existem dados oficiais anteriores ao levantamento de 2019. O próximo censo será o primeiro em que essa população será contada. 

O IBGE calcula que o país tenha 5.972 localidades quilombolas, divididas em 1.672 municípios brasileiros. A região Nordeste do Brasil possui 3.171 localidades quilombolas (mais da metade do total), seguida pelo Sudeste (1.359), Norte (873), Sul (319) e Centro-Oeste (250).

Bahia lidera em quilombolas

A Bahia tem o maior número de localidades quilombolas entre todos os estados do país: 1.046 no total, seguida por Minas Gerais (1.021), Maranhão (866) e Pará (516).  

As estimativas da Base revelam que Barreirinha, no Amazonas, seria a cidade brasileira com mais localidades quilombolas (167) do país, seguida de Alcântara (74) e Itapecuru Mirim (45), ambas no Maranhão, e Oriximiná (41) e Moju (38), no Pará.

Com informações do IBGE

LEIA também: 3 membros de uma família residente em Porto Trombetas testam positivo para covid-19

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *