Oriximiná: servidor público diz que acusações contra ele são “inverídicas”

Publicado em por em Contraponto, Oriximiná, Segurança Pública

Oriximiná: servidor público diz que acusações contra ele são
Kalebe Almeida, servidor estadual em Oriximiná: “acusações inverídicas”. Foto: Arquivo pessoal

Servidor público estadual acusado de envolvimento em um suposto esquema de corrupção em Oriximiná (PA) e, por isso, alvo da Justiça no início da semana (dia 24), Kalebe Nascimento de Almeida rebate as acusações que o MPPA (Ministério Público do Pará) o faz no bojo da ação penal sobre o caso.

“Em meio a acusações inverídicas, as quais tive o [meu] nome envolvido, certamente em breve a verdade prevalecerá”, defendeu-se em texto remetido ao JC nesta quinta-feira (26) e publicado originalmente na sua página no Facebook.

A defesa de Kalebe, conduzida pelo advogado Matheus Harada, ainda não foi notificada da decisão liminar (provisória e urgente) do juiz Wallace Carneiro de Sousa.

“Estamos aguardando sermos notificados, para entrarmos com pedido de absolvição sumária, pois não existem provas quanto à minha participação no caso”, disse ao JC.

Eis a íntegra da nota de Kalebe:

“Conquistar meus objetivos é a minha missão e não vou parar até alcançar tudo o que eu desejo”.

Cristão, pai, marido, servidor público estadual, tenho a 2°profissão mais perigosa do mundo, sou grato a D’us por esta oportunidade.

A persecução penal ganhou as manchetes divulgando fatos ainda não provados e atribuindo condutas criminosas a determinadas pessoas sem dar a elas o direito de defesa previsto na Constituição federal e no Código de Processo Penal.

Ninguém está a salvo de uma condenação sem culpa formada, de uma punição injusta ou desproporcional, em nome de uma pseudojustiça praticada por pessoas que buscam alimentar suas próprias vaidades.

Reputações são jogadas na lama por meras elucubrações, sem prova de ilicitude e sem que o investigado tenha sequer sido ouvido.

O Brasil vem assistindo a prisões arbitrárias e espetaculosas e à prevalência do escândalo em prejuízo da presunção de inocência.

Em meio a acusações inverídicas, as quais tive o [meu] nome envolvido, certamente em breve a verdade prevalecerá!

Rogo a D’us que abençoe a vida das pessoas que compartilharam em suas redes sociais a decisão Judicial referente ao PIC [Procedimento Investigatório Criminal] do MP, onde meu nome estava em Alto-contraste”.

  • JC também está no Telegram. Siga-nos e leia notícias, veja vídeos e muito mais.


Publicado por:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.