Sindicato afirma que compra de imóvel foi legal e submetida à assembleia geral
Jefferson Sousa, atual presidente do Sinprosan: denúncia rechaçada. Foto: Reprodução/Vídeo TV Tapajós

Em contraponto à matéria Estreante na Câmara de Santarém e mais 4 são acusados de falsidade ideológica, o Sinprosan, sindicato que congrega os profissionais da rede pública municipal de ensino em Santarém, afirma que não há qualquer ilegalidade na compra do imóvel que hoje abriga o ginásio poliesportivo da entidade.

E mais: que o negócio fechado em 2018, no montante de 240 mil reais, foi submetido à assembleia geral da categoria e aprovado pelos presentes.

 

“Todos os documentos originais e oficiais que comprovam a licitude, e descaracterizam a denúncia crime, encontram-se à disposição na Sede Social do Sinprosan, para serem consultados a qualquer momento no horário de expediente”, reforça o atual presidente do sindicato, Jefferson Sousa.

Eis a íntegra do contraponto:

NOTA DE ESCLARECIMENTO A IMPRENSA

O Sindicato dos Profissionais das Instituições Educacionais da Rede Pública Municipal de Santarém – SINPROSAN, em razão da matéria jornalística publicada no Blog do Jeso, envolvendo este sindicato na compra de imóvel (terreno) onde foi construído o ginásio poliesportivo, em que é publicada a prática de suposto fato criminoso de Falsificação Ideológica se tem o seguinte a esclarecer:

— 1. Tanto a compra do imóvel (terreno) como o projeto de construção e a prestação de contas da construção do ginásio poliesportivo deste sindicato foi submetido no respectivo tempo a Assembleia Geral com os associados, em que aprovaram todos os atos emitidos pelos diretores a época. Portanto, todos os atos emitidos foram amplamente publicizados e chancelados pelos associados;

— 2. Todos os atos e procedimentos realizados no evento em questão, foram lícitos e praticados com total transparência, legalidade, respeito e compromisso para com a categoria de Profissionais da Educação de Santarém que escolheram fazer parte desta instituição, por confiarem e reconhecerem a seriedade com que são administrados os patrimônios da Entidade.

Promessa de campanha: Grupo que presta apoio a crianças com câncer recebe salário doado por vereador

— 3. Todos os documentos originais e oficiais que comprovam a licitude, e descaracterizam a denúncia Crime, encontram-se à disposição na Sede Social do SINPROSAN, para serem consultados a qualquer momento no horário de expediente.

— 4. Como se trata de uma notícia crime que sequer foi recebido pelo Juiz de direito, não se pode tirar conclusões precipitadas, pois é necessário que todos os envolvidos exerçam na plenitude o direito de defesa para o esclarecimento dos fatos.

 

— 5. Comete crime de denunciação caluniosa (art. 339 do Código Penal), quem “dar causa à instauração de inquérito policial, de procedimento investigatório criminal, de processo judicial, de processo administrativo disciplinar, de inquérito civil ou de ação de improbidade administrativa contra alguém, imputando-lhe crime, infração ético-disciplinar ou ato ímprobo de que o sabe inocente”.  

Santarém, 25 de fevereiro de 2021    

Jefferson Júnior de Oliveira Sousa

Diretoria Executiva do SINPROSAN/Presidente do SINPROSAN


📹 Assine o canal do Blog do Jeso no Youtube, e assista a dezenas e dezenas de vídeos.

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

Um comentário em: Sindicato afirma que compra de imóvel foi legal e submetida à assembleia geral

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Jaqueline disse:

    Perfeito , a fala do professor Jeferson Sousa , nos associados estamos indignados com tanto ódio que esse homem que os processou carrega de uma diretoria honesta