Justiça condena prefeito a pagar multa de R$ 30 mil por propaganda ilegal no Facebook
Josino Filho, condenado pela Justiça Eleitoral. Foto: Divulgação/PMA

O prefeito de Alenquer (PA), Josino Filho (PP), acaba de ser condenado pela Justiça por propaganda eleitoral antecipada no Facebook, sendo penalizado com multa de R$ 30 mil. Ele é candidato à reeleição.

O caso foi noticiado pelo Blog do Jeso há 10 dias. A representação contra o gestor alenquerense foi movida pelo PL (Partido Liberal) e teve o parecer favorável do MPE (Ministério Público Eleitoral), assinado pelo promotor Diego Libardi Rodrigues.

 

A sentença é assinada pelo juiz eleitoral Flávio Oliveira Lauande. Que determinou ainda ao Facebook a retirada da postagem feita por Josino em sua página naquela rede social no prazo de 24h, sob pena de multa diária de R$ 5 mil.

Para o magistrado, o crime de propaganda eleitoral extemporânea ficou explícito nas provas juntadas pelo PL, cuja defesa foi feita pelos advogados Julian Lennon Aleixo e Ícaro Ricardo da Silva.

“Não há dúvidas de que não existe outra intenção dos propaladores da propagada irregular [Josino e Facebook] senão a de que os visualizadores do conteúdo votem no número 11, configurando pedido explícito de voto”, escreveu Lauande na sentença de 6 páginas.

“Comprovada a irregularidade, após o devido processo legal, outro caminho não resta senão a aplicação de multa, consoante preceitua a lei. Não há aqui como se alegar o desconhecimento, não sendo razoável admitir que seja do desconhecimento do candidato que sua esposa, filha e secretário, postem mensagem em rede social em seu favor”.

Justiça: teses rechaçadas

“Não se pode conceber que”, afirmou Flávio Lauande, “os candidatos beneficiários da propaganda e seu partido não tenham conhecimento de sua existência, motivo pelo qual a tese de desconhecimento das propagandas deve ser rechaçada de pronto”.

“Portanto, rechaçadas todas as teses defensivas de mérito, não há outro caminho senão reconhecer como irregular a propaganda objeto de julgamento nos presentes autos, devendo ser retiradas”, destacou.

A defesa derrotada do prefeito foi feita pelo advogado Marjean Monte. Cabe recurso junto ao TRE (Tribunal Regional Eleitoral) do Pará, em Belém.


As penalidades impostas aos réus

Sobre esse caso, leia também:

PL processa prefeito por propaganda eleitoral criminosa no Facebook;

Justiça nega censura pedida por prefeito a críticas da TV Ponta Negra no Facebook;

Juiz rechaça nova liminar de censura contra jornalistas feita pelo prefeito de Alenquer

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *