Família culpa prefeitura por morte de bebê, faz BO e denuncia negligência no MP
O carro atolado e a bebê a bordo: morte por falta de oxigênio e negligência. Foto: Divulgação/Família de Kemilly

A família de uma bebê, que faleceu na madrugada de domingo (29) por suposta negligência e omissão da Prefeitura de Almeirim (PA), gestão Lúcia do Líder (MDB), já comunicou oficialmente o caso à Polícia Civil, onde foi lavrado BO (Boletim de Ocorrência), e ao MPPA (Ministério Público do Pará).

A via crúcis de Kemilly Victória Silva dos Santos, de apenas 2 meses, começou no dia 5 de agosto quando sua mãe, Hemilly Silva dos Santos, 21 anos, a levou ao hospital municipal de Almeirim por conta de febre e problemas respiratórios.

— LEIA AINDA: MP investiga suposto caso de nepotismo que envolve secretária de Educação

E terminou 24 dia depois, quando a bebê morreu por falta de oxigênio – e no colo da mãe – no interior de um carro da prefeitura, tipo picape, atolado na estrada, a caminho da cidade de Laranjal do Jari, no Amapá, para onde se deslocavam em busca de socorro médico mais qualificado.

“Aguardamos as apurações da polícia e do Ministério Público, para que venha à tona a verdade sobre os fatos”, relatou o advogado Rafael Moura, que assumiu a defesa da família da pequena Kemilly nesse caso.

“Na oportunidade, estamos prestando todo apoio psicológico à família, em especial à mãe, que ficou com a sua filha nos braços desde o último suspiro, às 2h da madrugada, dentro do carro, até às 6h da manhã esperando resgate, que só foi feito por um carro que passava na estrada no sentido de Almeirim”.

Em entrevista ao portal BJ nesta manhã de quinta (2), Rafael Moura adiantou que irá judicializar o caso tanto na esfera penal como na cível, para que os responsáveis sejam exemplarmente punidos.

Desfalecida

Em nota, a Prefeitura de Almeirim, através do hospital municipal, disse que “todo suporte” foi oferecido à bebê, “dentro de nossas limitações e estruturas”.

“A opção vista no momento de lutar pela vida da criança, que recebemos em estado desfalecida no hospital, foi via terrestre, pois a permanência do presente quadro clínico [dela] não apresentava prognóstico favorável”, justificou.

A versão da família na polícia

BO sobre a morte de uma bebê em Almeirim (PA) by Blog do Jeso on Scribd

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *