Defesa de ex-prefeita que tem 10 imóveis e 200 reses será feita pela Defensoria Pública
Prédio da DPU em Santarém, na Borges Leal. Foto: Google Street View

A defesa da ex-prefeita de Prainha (PA) Patrícia Hage em um dos processos contra ela em tramitação na Justiça Federal em Santarém será feita pela Defensoria Pública da União.

A decisão, do juiz Domingos Daniel Filho, foi tomada na quinta-feira (2). Ele é o titular da 1ª vara.

 

“A acusada, ciente de todo o conteúdo da demanda [processo], não constituiu advogado”, justificou o magistrado, determinando que a peça jurídica, ajuizada pelo MPF (Ministério Público Federal), seja encaminhada à DPU (Defensoria Pública da União), “para apresentação da defesa preliminar”.

Na eleição de 2016, quando disputou a reeleição – e perdeu -, Patrícia Hage (PSDB) declarou à Justiça Eleitoral ter bens avaliados em R$ 346 mil, entre os quais 10 imóveis, um deles em Belém, avaliado em R$ 204 mil, e quase 200 cabeças de gado.

Sem advogado, a DPU designará um defensor público para defender a ex-prefeita. Defensor público é o profissional formado em Direito que presta assistência jurídica para pessoas que não podem pagar um advogado particular.

Negado o arquivamento de processo por improbidade de ex-prefeita de Prainha
Patrícia Hage, prefeita entre 2013 e 2016 de Prainha. Foto: Arquivo BJ

LEIA também: Diplomas falsos na Semed: MP denuncia esposa do nº 2 do DEM e mais 16; veja os nomes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *