Cinco homens sentam no banco dos réus hoje em júri popular em Santarém

Publicado em por em Justiça, Santarém

Cinco homens sentam no banco dos réus hoje em júri popular em Santarém
O júri popular desta quinta-feira (21) será presidido pelo juiz Gabriel Araújo. 5 réus serão julgados. Foto: Reprodução

Cinco homens sentam no banco dos réus para julgamento em júri popular a ser realizado nesta quinta-feira (21) em Santarém (PA), a partir das 8h.

Os réus Oseas Andrade da Silva Junior, Gerlan Almeida, Pedro Daniel Cruz da Silva, Abizael Sousa da Silva e Rafael de Sousa Alves são acusados de terem tentado matar Marcelo Victor Ribeiro Guimarães no dia 19 de janeiro de 2015, na serra do bairro Diamantino.

No dia do crime, segundo as investigações, os acusados teriam comprado uma arma de fogo, tipo revólver, calibre 38, com objetivo de investigar e monitorar o suspeito de ter roubado uma motocicleta, que seria de propriedade de Abizael. Utilizaram um Volkswagen Gol, cor branca, para vigiar os passos do suspeito.

Os cinco, ao verem Marcelo Guimarães conduzindo uma moto numa rua, o teriam derrubado com o carro e depois o sequestraram. A vítima teria sido torturada e ameaçada de morte, para confessar sobre o paradeiro da moto roubada.

Na serra do bairro Diamantino, os 5 entraram numa mata, até chegarem num lugar onde encontraram a motocicleta. Sob mira de arma de fogo, derrubaram Marcelo ao chão, atingindo-lhe em seguida com pisões e chutes.

Couro cabeludo

Gerlan chegou a apontar o revólver para matar a vítima, porém a arma não disparou. Já nas mãos de Rafael, Marcelo recebeu um tiro na cabeça. Pedro Daniel, ao tentar atirar também no refém, não acertou com o seu disparo.

Dado como morto, deixaram-no na mata. Mas Marcelo, reagindo ao tiro, levantou e caminhou pela rodovia Santarém/Curuá-Una, até conseguir uma carona com uma pessoa conhecida, que o levou à casa de seu pai.

Na 16ª Seccional de Polícia Civil de Santarém, a vítima soube que havia um projétil entre o couro cabeludo e o crânio, motivo do sangramento e excesso de sangue na sua cabeça. Com isso, a denúncia foi feita e os suspeitos posteriormente detidos.

Todos foram denunciados por tentativa de homicídio qualificado, por tortura em curso e concurso de agentes.

Presidido pelo juiz Gabriel Veloso de Araújo, o julgamento dos 5 réus será aberto ao público em geral.

— O JC também está no Telegram. Siga-nos e leia notícias, veja vídeos e muito mais.


Publicado por:

Uma comentário para

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *