tarcila campos, juízaEm comentário neste blog, a propósito do post Advogado rebate nota de repúdio da Amepa, a juíza titular da comarca de Óbidos, Tarcila Campos (foto), rechaçou as acusações e críticas a ela imputadas pelo presidente da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) em Santarém, Ubirajara Bentes Filho, de que, entre outras, trata mal os advogados que militam naquela cidade e que pouco permanece na comarca.

” (..) este Causídico [Ubirajara Filho] tem usado destes artifícios para denegrir a honra desta Magistrada que reside na Comarca de Óbidos e, labora diariamente na comarca, da qual ainda é titular, sendo que todas as vezes que a mesma se ausentou ou se ausenta da comarca foi por motivo de força maior devidamente justificado nos autos”, escreveu a juíza.

Abaixo, a íntegra da defesa feita por ela:

Estrelinha

Caro Jeso,

Venho, respeitosamente, por meio deste lhe informar que somente nesta data tive acesso a seu Blog e tomei conhecimento das acusações feitas pelo Representante da Seção da OAB/PA em Santarém/PA, em seu Blog, muito embora tenha anteriormente tomado conhecimento da nota de Repúdio da AMEPA, a qual aduz a respeito do conteúdo de tais acusações.

Todavia, gostaria informar 1) Que a Comarca de Óbidos/PA dispõe de Seccional e, Representante Legal, o qual reside na Comarca de Óbidos/PA e, frequenta regularmente o Fórum de Óbidos/PA, podendo assim dar informações fidedignas a sociedade a respeito da minha conduta como Magistrada quanto ao trato com advogados e, jurisdicionados;

2) Que o Dr. Ubirajara Bentes nunca realizou nenhuma audiência ou ato judicial na Comarca de Óbidos/PA presidido por esta Magistrada, nada podendo relatar assim a cerca do meu trato para com os advogados e os jurisdicionados, devendo assim como muito bem requerido por Vossa Senhoria apresentar provas acerca das denúncias recebidas nesse sentido para comprovar os fatos a que se reporta nesse sentido;

3) Que muito embora o Dr. Ubirajara Bentes assevere em suas denúncias que a OAB e a Corregedoria estão apurando a minha conduta em face das denúncias realizadas pelo mesmo, bem como que serão tomadas providencias junto ao CNJ e ao Tribunal de Justiça do Estado do Pará contra a minha pessoa, essas alegações até a presente data não passaram de meras alegações, pois até a presente data não foi interposto nenhuma Representação pelo mesmo junto aos Órgão competentes em desfavor desta Magistrada pelo Ilustre Advogado Representante da OAB/PA Seção Santarém/PA;

4) Por fim informo que este Causídico tem usado destes artifícios para denegrir a honra desta Magistrada que reside na Comarca de Óbidos/PA e, labora diariamente na Comarca da qual ainda é titular, sendo que todas as vezes que a mesma se ausentou ou se ausenta da Comarca foi por motivo de força maior devidamente justificado nos autos e, que todas as providências a cargo desta Magistrada são devidamente providenciadas, no entanto a mesma não realiza a atividade jurisdicional como um todo sozinha dependendo de toda uma máquina jurisdicional e, de vários órgãos e, operadores do direito, como Ministério Público, Defensoria, Advogados, Servidores, etc., sendo que o Causídico em questão tem se utilizado desse artifícios e, especialmente de encontros da OAB e, de Operadores do Direito com a presença de Representante do Tribunal para manchar a honra desta Magistrada pelo meio verbal sem apresentar provas e, ingressar pela via adequada, qual seja Representação junto a Corregedoria de Justiça e/ou Pedido de Providencias junto ao CNJ, para as providencias cabíveis, ante a falta de veracidade de suas alegações, se depreendendo assim que tem como única finalidade se utilizar desses meios manchar a honra dessa Magistrada em retaliação a alguma decisão desta Magistrada e, a sua promoção pessoal.

  • 2
    Shares

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

19 Comentários em: Juíza rebate críticas feitas por presidente da OAB

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • JOSÉ MARIA disse:

    Que saudades das gestões dos Doutores RODOLFO e RICARDO GELLER…

    1. JOSÉ MARIA disse:

      PERDÃO: É RODOLFO GELLER.

  • JOSÉ MARIA disse:

    Que saudades das gestões dos Doutores RODOLFO e RICARDO GUELLER…

  • joao da costa filho disse:

    Como cidadão tenho direito de me manifestar,não milito na área mas moro em Óbidos e já presenciei em julgamentos problemas entre as partes citadas,sabemos que a Dra.Tarcila tem um gênio vamos dizer “bem forte”,só que não podemos criticar seu caráter e profissionalismo mas educação vem de berço diziam os mais experientes.

  • Luiz Fernandes de Oliveira disse:

    Caro Célio Simões, parece que não o conheço pessoalmente, nem por isso, não gostaria de conhecê-lo; seria um prazer ! Sinceramente, você esta divinamente correto, essa contenda entre profissionais do direito, não satisfaz o brio de valores e muito menos a auto-estima de ambos os lados em litígio. Que se dê uma trégua, ou um time nesta questiúncula para a sociedade. Que só desgasta. “Vamos dá o dito, pelo não dito”. Paz no coração ! Fui …,

  • Luiz Fernandes de Oliveira disse:

    Não esqueçam que, “Na discussão nasce a luz”. Só entro nesta ..,

  • Célio Simões disse:

    Caro Jeso, infelizmente a eventual falta de condições materiais para os magistrados exercerem a jurisdição, acaba por levar a um natural confronto com os advogados. Estes, críticos e combativos até por dever de ofício, têm suas responsabilidades acrescidas ao reivindicarem atuação mais efetiva dos juízes, quando estão à frente de algum órgão diretivo da OAB. O que li no texto da lavra da Dra. Tarcila Campos em seu blog causou-me surpresa, admito, pois com a mesma já advoguei na Comarca de Óbidos, tendo dela merecido invariavelmente um tratamento respeitoso e cortês. Penso que para aclarar essa pública e desgastante divergência, que está colocando em lados opostos a MM Dra. Tarcila Campos e o nobre Dr. Ubirajara Bentes, presidente da Sub-Seção da OAB de Santarém, precisa ser ouvido (inclusive pela imprensa) o Dr. Antônio Sales Guimarães Cardoso, digno Presidente da Sub-Seção da OAB de Óbidos, que com a autoridade de seu cargo e sua vivência diuturna como erudito militante no fórum daquela cidade, será a voz isenta e equidistante de paixões para opinar em definitivo sobre as denúncias, assim motivando, se improcedentes, o encerramento dessa lamentável contenda, cujo dividendo mais imediato, obscuro e visível é o inegável prejuízo à cidadania e ao Direito, atributos que não podem, numa sociedade civilizada, prescindir jamais nem de uma advocacia responsável, nem de uma magistratura independente e de alto nível.

    1. Jeso Carneiro disse:

      Boa sugestão, caro Célio. O blog vai ouvir o presidente da OAB/Óbidos. Grato.

    2. Fernando Silva disse:

      Dr. Célio Simões,
      O senhor precisa advogar mais em Óbidos, mesmo tendo nascido aqui, parece estar, com todo respeito, alienado da nossa realidade. Venha pra Óbidos, venha advogar aqui, pelo menos, por uns seis meses. Depois dê sua opinião. Nesse caso, o senhor se prende ao que diz a Juíza sem pesquisar o passado, sem nunca ter defendido os seus colegas dos arroubos, das vaidades e do mau humor da sua amiga.

  • Luiz Fernandes de Oliveira disse:

    ADVOGADO, tu não és advogado de Óbidos, coisa alguma. Em Óbidos, que conheço, deve ter somente dois a três advogados, todos eu conheço, se identifica então. Mostra tua identidade numérica na OAB. Respeita o presidente da OAB da seccional de Santarém, Adv. Ubirajara Bentes Filho, denominado BIRINHA, notável profissional e professor universitário. Este merece toda admiração da classe a qual pertence e da população do Oeste/PA. E, a minha também. Mauro, concordo com número, gênero e grau. O conteúdo postado, não define os termos técnicos, de uma magistrada da área de direito consttucional, muito menos deste tal de advogado; insignificante até pra falar mal de alguém. Em razões de ser e …, A meritíssima juiza, Tarcila, que me perdoe, duas vezes que fui ao fórum de Óbidos, me informaram que ela tinha ido a Belém. Jeso, permita-me, discordar desta vez de você, mas se nós é que somos …, estes doutores que estás se referindo, ” SÃO OS PROFESSORES DA LÍNGUA PORTUGUESA” ? Tá dito.

    1. Fernando Silva disse:

      Concordo com o Luiz Fernandes de Oliveira,
      Pois da linguagem patifarista desse tal ADVOGADO, é possível extrair suas digitais, carregadas de frustração e de ódio. Ele não é de Óbidos, tem cara de bode, usa saiote, avental e mora em Santarém. Trata-se de um bipolar.

  • Jessica disse:

    Este é o BLOG!
    Blog REFERÊNCIA DA AMAZÔNIA.
    Blog do Jeso quase 10 anos.

    Sem foto de cadáveres ,sem vídeos de sexo e,melhor,que respeita a inteligência dos leitores e leitoras.
    https://www.jesocarneiro.com.br/
    Postado por Dinha Flores
    https://dinhaflores.blogspot.com.br/2014/04/blog-referencia-da-amazonia.html

  • Mauro disse:

    Não acredito que tenha sido a própria Juíza quem escreveu isso. Erros gramaticais gritantes, repetição de palavras, ausência de vírgulas… Enfim, um texto muito mal redigido. Destaco que a formalidade gramatical rege o trato Jurisdicional – salvo raras exceções.

    Espero que seja melhor com o direito do que com o vernáculo.

    1. Jeso Carneiro disse:

      Mauro, quem nunca cometeu “crimes” contra a língua pátria que atire a primeira pedra. Ninguém, nem mesmo os “doutores” estão livre deles.

    2. Cleice disse:

      Mauro, acredite como disse a Jessica:
      Este é o BLOG!
      Blog REFERÊNCIA DA AMAZÔNIA.

  • ADVOGADO disse:

    Esse Birinha gosta muito é de aparecer. O que é dele está guardado, ele pensa que vai se eternizar no cargo, está muito enganado. Na verdade é um porra louca.
    A Meritíssima está com toda razão, milito em Óbidos e sempre fui bem tratado pela mesma, assim como os outros advogados que militam aqui.

    1. ubirajara bentes disse:

      Caro Jeso,
      Não sei quem está desenterrando defunto, você ou essa senhora. A resposta à carta da amepa dista do final de julho de 2012, quando Óbidos ainda integrava a Subseção de Santarém e nós, conselheiro da OAB Santarém, integrávamos a Comissão de Defesa das Prerrogativas. A resposta à entidade civil, uma associação (não judiciária) reflete um contexto em que ela, graciosamente, ofendia a todos, não respeitava Advogados, violava prerrogativas de advogados.
      Ela não foi só representada pela OAB, mas por pessoas sérias domiciliadas na própria comarca, numa delas foi chamada a atenção pelo próprio TJPA por se ausentar da jurisdição obidense injustificadamente sem comunicar as partes que estavam com audiências designadas com até um ano de antecedência.
      Pode até ser que ela tenha esquecido, mas participei de audiência pública, na presença da então corregedora do interior, no fórum da cidade de Óbidos, onde confirmei as denúncias feitas pelos colegas militantes contra o proceder dessa senhora (falta de urbanidade) contra Advogados, no exercício da magistratura. A placa ou aviso que ela mantinha na porta do seu gabinete deixava claro a repulsa dela em receber Advogados. No dia que nós chegamos em Óbidos havia proibição de entrada no cartório criminal, fato também relatado à então corregedora, confirmado por populares e por representantes de entidades civis presentes. Onde estava a juíza? Ausente, não participou da audiência, viajou de lancha naquela mesma tarde.
      Quando fomos eleitos conselheiro (2010/2012) e, posteriormente, presidente da OAB Santarém (2013/2015), assumimos o compromisso institucional de defender os Advogados, a Advocacia e a Sociedade, nos limites da lei, como dispõe o art. 133 da Carta Matriz, e isso temos cumprido à risca.
      Se o nome dessa senhora vem à baila nos encontros da Ordem, na presença de Desembargadores e de membros da Corregedoria do TJPA, é porque demandas chegam até a OAB e isso tem que ser levado ao conhecimento das autoridades judiciárias para que seja dado rumo certo ao serviço jurisdicional. Todas as vezes que recebermos denúncias, contra quem quer que seja, de violação das prerrogativas solicitaremos, na forma da lei, que providências administrativas ou judiciais sejam tomadas contra os agressores, contra aqueles que não respeitam os Advogados, contra aquele que insistem desconhecer que “… o advogado é “indispensável à administração da justiça, sendo inviolável por seus atos e manifestações no exercício da profissão, nos limites da lei” (CF/88, art. 133).

      1. Jeso Carneiro disse:

        Caro Ubirajara, neste blog todos têm ao direito ao contraditório. A juíza Tarcila Campos exerce, pois, esse direito ao rebater as críticas/acusações a ela imputadas pelo senhor. Não há “desenterro” de defunto. O contraditório da magistrada, como ela frisou, tem pouco mais de 48 horas que ao blog foi endereçado.

      2. ubirajara bentes disse:

        Complementando:
        Às denúncias feitas na época (maio, junho e julho de 2012) por meio da imprensa regional e estadual e que resultou na nota da amepa (publicada no seu blog, a pedido deles) e, consequentemente, a nossa redarguição seguida da manifestação de dezenas de Advogados que militam no Oeste do Pará (maioria avassaladora), não mudamos uma vírgula. Se tratou com urbanidade um ou outro, foi desrespeitosa com inúmeros outros. Não seria leviano – não é da minha índole, nunca foi, nem da minha família com cerca de uma dezena de Advogados -, de enfrentar pessoas sem que estas tenham atentando contra alguém, no caso Advogados no exercício de suas atividades profissionais.
        Como afirmamos ao norte, quando participamos de uma audiência pública na presença da então corregedora do interior, no fórum da cidade de Óbidos, durante a “operação TQQ”, cumprindo missão institucional na condição de membro da Comissão de Defesa das Prerrogativas dos Advogados da Subseção da OAB Santarém, sustentamos de peito aberto cada uma das denúncias feitas por colegas que militavam e ainda militam na “Cidade Presépio”, do proceder (falta de urbanidade) contra Advogados, foi para preservar nossos colegas de retaliações injustas, pois poderia simplesmente não mais atuar nos feitos daqueles que levantassem a voz contra, atraindo prejuízos incalculáveis aos profissionais do direito, especialmente os domiciliados naquela comarca, que integravam, naquele ano de 2012, a Subseção de Santarém.
        Se alguém está pretendendo surfar cabulosamente com retardo nas redes sociais, pode levar um caldo, mesmo em glass.
        No que tange à Subseção de Óbidos, para os que desconhecem, o sistema OAB é uno. Quanto ao contraditório, é uma garantia constitucional!
        Ponto final!