Júnior Hage vence eleição e é novo prefeito de Monte Alegre; mandato será de 6 meses

Publicado em por em Monte Alegre, Pará, Política

Júnior Hage vence eleição e é novo prefeito de Monte Alegre; mandato é de apenas 6 meses
Júnior Hage, ex-deputado estadual, agora exercerá pela primeira vez cargo de prefeito. Foto: Facebook

Júnior Hage (PP) é o novo mandatário do município de Monte Alegre (PA). Ele foi eleito neste domingo (9) em eleição suplementar decidida pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) no início deste ano.

Os então ocupantes dos cargos do Executivo – Matheus Almeida (prefeito) e Cabo Leonardo (vice) – foram cassados pela mais alta corte eleitoral do país.

Júnior Hage venceu com relativa facilidade o pleito: teve mais que o dobro de votos da 2ª colocada, Josefina do Carmo (MDB). A apuração iniciou logo após a votação, iniciada às 8h e encerrada às 17h.

Anselmo Picanço (PSD) ficou em 3º lugar. Na última colocação, o candidato do Avante, João Tomé.

Pouco antes das 18h, o TRE deu como matematicamente definida a eleição em favor de Júnior Hage, com mais de 84% dos votos computados.

Dia 12 de julho será realizada a diplomação dos eleitos. O vice de Júnior Hage é Ernande Silva.

Júnior terá mandato de 6 meses

Localizado na região do Baixo Amazonas, Monte Alegre possui um eleitorado de 51 mil pessoas, distribuídas em 243 seções instaladas em 129 locais de votação dos quais 27 estão localizados em área urbana; 95 em áreas rurais; 4 em área ribeirinha e 3 em comunidades quilombolas.

Concorreram a prefeito Anselmo Raimundo Correa Picanço (PSD), João Tomé Filho (Avante); Josefina Carmo (MDB) e Júnior Hage (PP).

O mandato do eleito terá duração de apenas 6 meses (até 31 de dezembro) com direito à candidatura para reeleição no pleito do mês de outubro, que ocorrerá normalmente no município.

Suplementar

A eleição suplementar de Monte Alegre foi marcada após a determinação do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), em decisão por 7 votos a 0 em março deste ano, que cassou os mandatos de Matheus Almeida (prefeito) Cabo Leonardo (vice), eleitos no pleito de 2020.

Eles foram cassados por terem sido beneficiários na prática de ilícito eleitoral, com determinação de inelegibilidade por 8 anos subsequentes às eleições de 2020 do prefeito antecessor, Jardel Vasconcelos, e imediato cumprimento da decisão do TSE.

Os números finais

Encerrada a apuração, computados todos os votos, assim ficou a votação dos candidatos que participaram da disputa.

— O JC também está no Telegram. E temos ainda canal do WhatsAPP. Siga-nos e leia notícias, veja vídeos e muito mais.


Publicado por:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *