Pistoleiro foi preso de madrugada na fila do embarque para São Paulo

3 facetas de Bruno Venâncio: retrato falado, magro e quando foi preso na madrugada de hoje

A Polícia Civil do Pará confirmou hoje, 5, a prisão do pistoleiro Bruno Oliveira, 22 anos, acusado de executar o empresário Albenor Sousa, em Itaituba, e o prefeito Jones William, de Tucuruí.

Segundo a polícia, nesta terça-feira, 5, o sergipano Bruno Marcos de Oliveira, o “Bruno Venâncio”, foi preso por policiais civis da Divisão de Homicídios, por volta de 3 horas da manhã, no aeroporto internacional de Val-de-Cans, em Belém.

O pistoleiro se preparava para embarcar em um voo para São Paulo.

Ao ser abordado pelo delegado Eduardo Rollo, ele apresentou uma carteira de identidade com o nome falso de Anderson Barros do Nascimento.

Assim, ele acabou sendo autuado em flagrante por falsidade ideológica.

Contra Bruno existem 3s mandados de prisão expedidos pela Justiça de Tucuruí, pela morte do prefeito, e de Itaituba, pela morte do empresário, e pela Justiça de Sergipe.

NA FILA DO EMBARQUE

Ele é apontado como autor de mais de 20 homicídios do tipo crime de encomenda.

Conforme o delegado Eduardo Rollo, o preso estava sendo investigado pela equipe policial da DH que tinha informações sobre o deslocamento dele via aérea desde Altamira com destino a Belém, onde faria uma conexão para seguir viagem até a capital de São Paulo.

Ao desembarcar em Belém, o delegado passou a acompanhar os passos do acusado até localizá-lo na fila de embarque.

“Assim que foi ele foi localizado, foi conduzido para a Delegacia-Geral, para ser ouvido em depoimento sobre os crimes”, destalha o delegado.

Bruno nega a autoria dos assassinatos, porém ele foi reconhecido por testemunhas dos crimes.

Segundo o delegado-geral Rilmar Firmino, após a morte do prefeito de Tucuruí, o pistoleiro fugiu da região sudeste e foi para Itaituba, onde assassinou o empresário Albenor Sousa com 2 tiros na cabeça.

Imagens de câmeras de monitoramento do posto de combustíveis, onde a vítima foi executada, registraram o momento em que o criminoso entra no local e atira na vítima.

CRIMES DE ENCOMENDA

Conforme Firmino, Bruno é suspeito de ter cometido outro homicídio, em Novo Repartimento, no sudeste do Pará.

Todos os crimes têm a mesma característica.

“Ele age sempre com o rosto à mostra e à luz do dia. Tanto que a morte do prefeito ocorreu à tarde e diante de várias testemunhas. Ele se mostra uma pessoa fria e calculista”, ressalta Firmino.

As investigações irão continuar visando localizar e prender outras pessoas envolvidas nos crimes. Bruno vai permanecer recolhido à disposição da Justiça.

Com informações da Polícia Civil do Pará e redação do site Jeso Carneiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *