O bom e o mau gestor: Alenquer versus Oriximiná. Por Evaldo Viana
Prefeitura de Alenquer: Tom Farias destinou apenas 0,18% para investimentos. Foto: Arquivo BJ

Nas eleições de 2020, o povo brasileiro compareceu às urnas a fim de escolher prefeitos e vereadores capazes de bem representá-lo e de dar solução aos muitos problemas da órbita de competência do poder público municipal.

Alguns municípios tiveram a felicidade de escolher prefeitos sérios, capazes e realmente empenhados e comprometidos com o povo que os elegeram. Outros, infelizmente, votaram em figuras despreparadas, incompetentes e sem nenhum comprometimento com a coisa pública.

— LEIA também de Evaldo Viana: Como podemos ajudar o futuro governo Tom Farias?

Não precisa ser um observador atento e conhecer de finanças para identificar os bons dos maus, pois o resultado do trabalho, ou sua ausência, é facilmente observável no dia a dia do município, nos serviços prestados e nas obras realizadas pelo governo municipal.

Além do resultado concreto, também se pode distinguir os bons gestores dos sofríveis por meio da análise dos balanços e relatórios que o município publica a cada dois meses (Relatório Resumido de Execução Orçamentária – RREO).

A análise do RREO do 3º bimestre de 2021 de dois municípios da região pode nos fornecer dados e informações necessárias para identificarmos o bom e o mau gestor.

Veja-se o caso do município de Oriximiná, governado pelo Delegado Fonseca. De janeiro a junho, a Prefeitura de Oriximiná obteve receitas de R$ 123,59 milhões, dos quais R$ 79,54 milhões foram destinados ao pagamento da folha de pessoal, R$ 39,84 milhões para as demais despesas de custeio e R$ 13,08 milhões para investimentos.

Os investimentos (realização de obras e aquisição de bens duráveis) representaram, portanto, 10,58%.

— SOB SUSPEITA: Câmara aprova CPI para investigar aluguel de veículos pela gestão de Willian Fonseca.

Já a Prefeitura de Alenquer, administrada pelo prefeito Tom Farias, que contou com Receitas de R$ 57,97 milhões no período de janeiro a junho ( até o terceiro bimestre), destinou R$ 41,06 milhões para o pagamento da folha de pessoal, R$ 9,91 milhões para outras despesas correntes e apenas e miseravelmente R$ 107.905,31 para investimentos (obras), ou seja, a insignificância de 0,18%.

O prefeito Fonseca investiu 10,58% do dinheiro do povo oriximinaense, o que explica as muitas obras que tem realizado no início do seu governo.

O prefeito Tom Farias conseguiu a triste, lamentável e miserável proeza de destinar a esmola de 0,18% dos recursos do povo alenquerense para investimentos, o que explica, evidentemente a completa ausência de obras públicas municipais no município de Alenquer.

Até o momento, pode-se dizer, com segurança, que o prefeito de Oriximiná pertence à classe dos bons gestores, daqueles que merecem aplauso e reconhecimento pelo trabalho e seriedade que tem realizado.

— CONFIRA: Os podres das finanças do governo Josino segundo o governo Tom.

O gestor de Oriximiná, Delegado Fonseca, tem o nosso respeito e admiração. O gestor Tom Farias, por outro lado, e infelizmente, terá de fazer correção no rumo do seu governo se tem a pretensão de ocupar um lugar na galeria dos bons gestores.

O prefeito Tom Farias tem a nossa torcida para que deixe de ser um prefeito medíocre e sofrível.

OBS.: Até então, segundo dados obtidos pela prestação de contas dos prefeitos de Alenquer até 2020, o pior desempenho em matéria de investimentos foi em 2017, primeiro ano do Governo Juracy, que investiu 0,51% das receitas correntes líquidas.

<strong>Evaldo Viana</strong>
Evaldo Viana

É servidor público federal, filiado ao PV, pelo qual foi candidato a prefeito de Alenquer na eleição de 2020. Escreve regularmente no BJ.

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

4 Comentários em: O bom e o mau gestor: Alenquer versus Oriximiná. Por Evaldo Viana

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Antônio Ribeiro disse:

    O que leva um médico a deixar sua clínica na capital do estado do amazonas, para trabalhar como secretário da prefeitura de Alenquer? Meus amigos, esses caras perderam a noção do ridículo!!! (quando a esmola é grande, o santo desconfia).

  • Curioso de MTA disse:

    Podemos dizer que essa mediocridade é compartilhada por outros gestores da Calha Norte. Em Monte Alegre, por Exemplo, Matheus Almeida emprenhou apenas 0,31% das receitas do município em investimentos.

  • João Viana Araújo disse:

    Parabéns pelo conhecimento, coragem, desprendimento em prestar informações ao cidadão alenquerense, sobre a triste situação de nosso desditoso torrão que, ao longo de muitas décadas, sofre a desventura de não ter no executivo e câmara pessoas comprometidas com o bom desempenho de suas responsabilidades, fazendo boa gestão em favor do povo ximango.

  • José Roberto dos Santos disse:

    Essa matéria é muito contraditória, será que quem escreveu não sabe que o prefeito de Oriximiná está prestes a perder o cargo por ter feito mau uso na contratação de funcionários pra prefeitura de Oriximiná e é acusado de outros problemas que ele enfrenta com a justiça por improbidade administrativa?