Exclusão do MDB da eleição de Juruti sobe para o TSE; Lucídia já foi diplomada
Lucídia Batista e o vice-prefeito eleito no dia da diplomação. A exclusão do MDB será julgada pelo TSE. Foto: Divulgação/MDB

Subiu nesta segunda-feira (21) para o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) o processo sobre a exclusão do MDB da eleição (majoritária e proporcional) deste ano.

O TRE-PA (Tribunal Regional Eleitoral do Pará) enviou à corte em Brasília (DF), ontem à tarde, os autos do processo, para novo julgamento. É que o MPE (Ministério Público Eleitoral) recorreu da decisão em Belém.

 

Mais votada, com 48,56% dos votos, Lucídia Batista (MDB) participou do pleito sub judice pelo fato da Justiça Eleitoral em Juruti ter impugnado o registro de candidatura do MDB – o marido de Dona Lucídia, como é mais conhecida, comandava o partido ilegalmente (está com os direitos políticos suspensos).

A legenda recorreu ao TRE e conseguiu anular a sentença de primeiro grau, em votação à unanimidade. A decisão colegiada abriu possibilidade de Lucídia ser diplomada, o que ocorreu na semana passada.

Inconformado com decisão do TRE, o MPE recorreu ao TSE, a quem caberá agora se posicionar sobre o caso.

Em caso similar, ocorrido em Santo Antônio de Tauá, também com o MDB, o TSE manteve a decisão do TRE paraense.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *