Publicado em por em Justiça, Mojuí dos Campos, Negócios

O procedimento faz parte do inquérito aberto pelo MP para apurar o caso

Contador envolvido em licitação sob suspeita em Mojuí irá depor na próxima semana
Mojuí dos Campos, gestão de Marco Antônio alvo de investigação do MP. Foto: Aldeia News

Marcado para próxima semana o depoimento de Edmar Júnior de Oliveira Imbeloni, contador, ao Ministério Público do Pará, através da 9ª Promotoria de Justiça (Defesa da Probidade Administrativa) de Santarém.

O procedimento faz parte do inquérito civil (IC) aberto pelo promotor Diego Belchior Santana, para apurar a contração, por inexigibilidade e preços acima de mercado, do escritório de Edmar Imbeloni pela Prefeitura de Mojuí dos Campos (PA), 10 dias depois do prefeito Marco Antônio Lima (MDB) tomar posse do cargo, em janeiro de 2021.

O contador já foi comunicado da hora (às 15h), dia (quinta-feira, 7) e local (na sede do MPPA em Santarém) do depoimento. Imbeloni deve comparecer com o advogado responsável por sua defesa nesse caso, Joniel Abreu.

Só no ano passado, o escritório de contabilidade do investigado recebeu dos cofres públicos quase meio milhão de reais – 98% a mais do que o município pagou pelo mesmo serviço em 2020, último ano da gestão do ex-prefeito, por dois mandatos, Jailson Alves (2013-2016 e 2017-2020).

Denúncia sobre licitação fraudulenta em Mojuí vira inquérito no MP
Adrielly, Edmar, Hélcio “Didid”, Glaydson e Edicley: envolvidos no caso. Foto-montagem: JC

Além do contador, estão envolvidas na denúncia e já prestaram depoimento ao MP os seguintes servidores (secretários municipais) de Mojuí:

① Helcias Lima Filho (Gestão Administrativa). Leia o depoimento dele.

② Adrielly Lima, esposa do prefeito e titular da Semtras (Trabalho e Assistência Social). Eis o teor do depoimento dela.

③ Glayton Jean Rodrigues (Saúde). Aqui o depoimento do secretário, e

④ Ediclei Jadson Gomes, ex-titular da Semed (Secretaria Municipal de Educação). Confira o que ele disse ao MP.

Para o promotor Diego Santana, o depoimento de Imbeloni se faz necessário “a fim de dirimir quaisquer dúvidas quanto à ocorrência, ou não, de sobrepreço” na contratação do escritório do contador, bem como se inexigibilidade adotada pela Prefeitura de Mojuí para fechar o negócio tem amparo legal, ou seja está em conformidade com a Lei das Licitações (8.666/93).

Desde fevereiro deste ano (dia 2), o portal JC tem publicado uma série de reportagens sobre essa licitação. Entre elas, esta: Contador investigado pelo MP cobrou quase 34% mais caro só pela LDO de Mojuí.


Publicado por:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.