Por fraude, juiz retira tempo do PDT da propagada de rádio e TV da coligação de Maria
Claytoney Ferreira, respondendo pela 83ª ZE em Santarém. Foto: Arquivo/BJ

Em decisão liminar (urgente), a Justiça Eleitoral em Santarém (PA) determinou que a coligação Juntos por Santarém não inclua em sua propaganda eleitoral no rádio e TV o tempo do PDT “até a resolução do mérito [sentença]” do caso. Motivo: suposta fraude.

A decisão foi proferida neste sábado (3) pelo juiz Claytoney Passos Ferreira, diretor do Cartório Eleitoral de Santarém e respondendo pela 83ª ZE (Zona Eleitoral).

 

A ação judicial eleitoral de nulidade, com pedido de liminar, foi ajuizada pela coligação Santarém Seguindo em Frente, que tem como candidato à reeleição o prefeito Nélio Aguiar (DEM), com apoio de mais 10 partidos – Republicanos, PTB, Cidadania, PMB, PSD, Avante, Podemos, PL, Solidariedade e MDB.

O magistrado decidiu acatar o pedido de liminar para não favorecer a coligação que reúne o PT, PP, PCdoB, PDT, Rede, PSB e Pros.

“No que tange ao perigo da demora, o entendo como manifesto, considerando que cada partido integrante da coligação pode agregar mais tempo à propaganda eleitoral gratuita no rádio e televisão, o que acrescenta nítida vantagem”, justificou.

A propaganda eleitoral gratuita no rádio e na TV começa no próximo dia 9 de outubro.

A fraude

De acordo com a coligação de Nélio Aguiar, o PDT realizou sua convenção no dia 15 de setembro, sem deliberar nada sobre participação em coligação majoritária (prefeito e vice), o que só foi feito no dia 17 – já fora do prazo.

Pior: só colocou no sistema eletrônico da Justiça Eleitoral (Candex) a ata e a lista de presença no dia 24, 7 dias depois da data.

 

“Pelo cotejo das duas atas, enxergo que não fora deliberado pelos convencionais, na convenção realizada no dia 15/09/2020, a formação de coligação majoritária para o pleito a ser disputado, assim como não fora sequer mencionado eventual delegação, notadamente porque não se encontrava nas ordens do dia”, ressaltou Claytoney Ferreira na liminar.

O PDT local é presidido por Raimundo Trindade Rego.

Procurada, a coligação encabeçada pelo PT disse que ainda não foi notificada da decisão. E, assim que for, fará a devida defesa junto à Justiça Eleitoral.

Leia a íntegra da liminar da lavra do juiz Claytoney Ferreira.

LEIA também: Não tem fake news na matéria, afirma MPE sobre acusação de prefeito contra o blog

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *