Retorno

É pesada a tristeza que carrego.
O amor distanciado alucina.
Encarcera o desejo que não finda
Quanto mais longe
Mais lamento
Mais ensina.

Volte aos meus braços como sempre
Num retorno carregado de saudades
Pelo tempo de outrora já vencidos
Das vaidades existentes distraídas.

Dividido quero te encontrar.
Não sou dono do desejo envolvente
Nem do encontro desses rios que ora vejo
Nem da tarde quente que exploro.

Não te peço!
Imploro-te:
Tire-me essa pesada sombra que agora visto.
Volte aos meus braços entre beijos.
Num retorno carregado de saudades
E traga a alegria que em mim vistes

– – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

neucivaldoDe Neucivaldo Moreira, poeta amazônico nascido em Santarém.

Leia também:
Ânsia de Amor, de Célio Simões.
Poema para quem quer que seja, de Hamilton Fernandes.
Tempoesia, de Jota Ninos.
Soneto, de Luiz Ruas.
Breve tempo, de Alonso Rocha.
Ausência, de Felisbelo Jaguar Sussuarana.
Fios do tempo, de Jota Ninos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *