Soneto de um apelo

Quero cada fio do teu novelo
Para poder envolvê-lo
No teu corpo de modelo
No meu corpo de amante

Quero me enrolar nos teus cabelos
Nos teus braços, nos teus pelos
Os meus sonhos-pesadelos
No teu corpo diamante

Quero que este meu apelo
Seja o nosso maior selo
De um só corpo em barbante

E que eu possa esses fios desfazê-los
Sem tamanhos atropelos
Numa noite lancinante…

– – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

Jota NinosDe Jota Ninos, poeta tapajônico. Poesia inspirado no artigo Por que as peludas enloquecem os homens.

Leia também:
Retorno, de Neucivaldo Moreira.
Ânsia de Amor, de Célio Simões.
Poema para quem quer que seja, de Hamilton Fernandes.
Tempoesia, de Jota Ninos.
Soneto, de Luiz Ruas.
Breve tempo, de Alonso Rocha.
Ausência, de Felisbelo Jaguar Sussuarana.
Fios do tempo, de Jota Ninos.

  • 1
    Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *