Aos leitores e leitoras do blog, feliz 2014, repleto de conquistas, regado de saúde, prenhe de amor e que ele, o porvir do novo ano, desabroche de dentro de você.

Obrigado pela audiência em 2013!

Abaixo, o poema sobre essa passagem da lavra do poeta Carlos Drummond de Andrade.

Receita de Ano Novo

Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor de arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação como todo o tempo já vivido
(mal vivido ou talvez sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser,
novo até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?).

Não precisa fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar de arrependido
pelas besteiras consumadas
nem parvamente acreditar
que por decreto da esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.

Para ganhar um ano-novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo de novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.

– – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

De Carlos Drummond de Andrade, poeta brasileiro nascido em Minas Gerais.

Leia também:
Esperança, de Mário Quintana.
Ancorado, de Antônio José e Carlos Randall.
Soneto, de Junqueira Freire.
Lágrima de Preta, de António Gedeão.
Aos olhos dele, de Florbela Espanca.
A ausente, de Vinícius de Moraes.
Recados, de Fabrício Carpinejar.

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

3 Comentários em: Poesia. Receita para 2014

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Maralice disse:

    Como diz as ”poderosas” esse Drummond me deixa babando!!!!

  • Esperançoso sim, pessimista, jamais disse:

    Que 2014 nos traga muita saúde e paz.Que Deus nos ilumine e faça com que aceitemos as diferenças de nossos semelhantes e respeitemos suas opiniões com o fito construtivo.Muito sucesso ao Blog do Jeso, que nosso muro de lamentações, tribuna popular se firme como uma ferramenta de construção de uma sociedade mais respeitada por nossos dirigentes, façamos a nossa parte como cidadãos empenhados em contribuir para uma comunidade bem amparada e atendida em suas necessidades básicas de sobrevivência.BOM ANO NOVO PARA TODOS.

  • Luiz Aurélio Imbiriba da Rocha disse:

    Jeso, desejo um 2014 de muita paz, saúde e sucesso. Abração.