Blog do Jeso

PMDB

Senador escapou de queda de elevador. Mas foi abatido por delações da Odebrecht

Senador escapou de queda de elevador. Mas foi abatido por delações da Odebrecht, Plenário do Senado

No site Diário do Poder, hoje, 20, sob o título Sorte lotérica:

Dias atrás, o elevador exclusivo dos senadores despencou do 20º andar de uma das torres do Congresso, com Valdir Raupp (PMDB-RO – foto) a bordo.

Só parou após acionado o freio de segurança.

Um dia depois, saíram as delações da Odebrecht. Dessas, Raupp não escapou.

Ler mais

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Condenado por improbidade, ex-prefeito fica inelegível por mais 5 anos

Presidente do PMDB em Juruti, Isaías Batista terá que pagar quase R$ 47 mil por danos aos cofres públicos
Condenado por improbidade, ex-prefeito fica inelegível por mais 5 anos, Isaías Batista Filho

O juiz Flávio Oliveira Lauande condenou por crime de improbidade administrativa Isaías Batista Filho [foto], ex-prefeito de Juruti e atual presidente local do PMDB, a reparação integral do dano relativo às condenações na Justiça do Trabalho decorrentes da contratação irregular de temporários, no valor de R$ 46.770,62.

A sentença oi proferida no último dia 1º de abril.

Leia também
Números. Quanto a Alcoa já repassou para Acorjuve, em Juruti

Ainda na sentença, o juiz proibi Isaías Batista de contratar com o poder público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de 5 anos.

E mais: suspendeu os direitos políticos do réu também pelo período de 5 anos.

Ler mais

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Nova mudança na direção do HMS, a terceira em pouco mais de 100 dias

A farmacêutica Talita Liberal deve deixar o cargo nesta semana. O PMDB já tem um nome para substituí-la

Nova mudança na direção do HMS, a terceira em pouco mais de 100 dias, Hospital Municipal de Santarém
Nova mudança na direção do HMS (Hospital Municipal de Santarém) – a terceira desde que o prefeito Nélio Aguiar (DEM) assumiu o cargo em janeiro deste ano, portanto há pouco mais de 100 dias.

Talita Liberal deve deixar o cargo nesta semana.

Oficialmente, ela sai para se dedicar à conclusão do seu mestrado, em Belém.

A farmacêutica é esposa do vereador reeleito Ronan Liberal Júnior (PMDB). O partido, inclusive, já começa a se movimentar para nomear o substituto dela.
 
NOME DO PMDB
 
O nome de preferência do nº 1 da sigla em Santarém, vereador Antônio Rocha, é do da médica Marina Chahimi, filiada à agremiação.

Ler mais

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Em vídeo, delator da Odebrecht narra como pagou propina a Helder e Paulo Rocha

Fernando Reis, da Odebrecht, detalhou como repassou dinheiro para campanha de Helder em 2014

Rocha, Helder, Salame e Luiz Otávio
Fernando Reis citou Paulo Rocha, Helder, João Salame e Luiz Otávio em seu depoimento

 
No blog Espaço Aberto, sob o título Vídeo mostra empresário delatando Helder Barbalho, postado hoje, 13:

Vejam aí.

O vídeo começou a circular nas redes sociais no início da madrugada desta quinta-feira.

Mostra Fernando Reis, um dos delatores da Odebrecht, contando à força-tarefa da Lava-Jato como o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, recebeu 1,5 milhão [de reais] do departamento de propinas da companhia.

“A combinação de pagamento ocorria sempre com o senhor Luiz Otávio”, diz o delator, referindo-se ao ex-senador Luiz Otávio Campos.

Fernando Reis menciona claramente não apenas o telefone e o endereço de Luiz Otávio, conhecido popularmente como Pepeca, como indica o endereço de um hotel, em São Paulo, onde se reuniram o diretor-superintendente da Odebrecht, Mário Amaro, o então candidato ao governo do Pará, Helder Barbalho, o prefeito de Marabá, João Salame, e o então candidato ao Senado, Paulo Rocha (PT-PA).

Ler mais

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A acusação da Odebrecht contra Helder e Paulo Rocha: propina de R$ 1,5 milhão

A acusação da Odebrecht contra Helder e : propina de R$ 1,5 milhão, ODEBRECHT

O inquérito nº 4.449, do STF (Supremo Tribunal Federal) e que já tem 12 folhas, é o que aparece como acusados os dois únicos paraenses na chamada ‘lista de Fachin’: o ministro Helder Barbalho (PMDB) e o senador (PT).

Segundo delatores da Odebrecht, Helder Barbalho teria recebido 1,5 milhão de reais do Departamento de Operações Estruturadas da Odebrecht em 2014.

Leia também
Ministro da Lava Jato no Supremo abre investigação contra 9 ministros de Temer

O pagamento a Helder se deu em três parcelas.

O ministro figura na lista do propinoduto da Odebrecht com o apelido Cavanhaque – os repasses do setor de propinas da empreiteira eram registrados em um sistema próprio, batizado de Drousys.

Ler mais

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Frase do dia

Frase do dia, de Helder Barbalho

Todos os recursos que recebi como doações para campanha em 2014 foram registrados junto ao TRE, que aprovou todas as minhas contas”

Helder Barbalho, ministro da Integração Nacional, sobre a acusação caixa 2 na eleição de 2014. O nome dele aparece na “lista de Fachin”, do STF, divulgada ontem, 12.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Ministro da Lava Jato no Supremo abre investigação contra 9 ministros de Temer

Do Pará, aparecem também na lista o ministro Helder Barbalho, do PMDB, e o senador Paulo Rocha, do PT
Ministro da Lava Jato no Supremo abre investigação contra 9 ministros de Temer, Ministro do STF da Lava Jato abre investigação contra 9 ministros de Temer, CCJ - Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania

O ministro Edson Fachin [foto], relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), determinou a abertura de inquérito contra 9 ministros do governo Temer, 29 senadores e 42 deputados federais, entre eles os presidentes das duas Casas – como mostram as 83 decisões do magistrado do STF, obtidas com exclusividade pelo Estado.

O grupo faz parte do total de 108 alvos dos 83 inquéritos que a Procuradoria-Geral da República (PGR) encaminhou ao Supremo Tribunal Federal (STF) com base nas delações dos 78 executivos e ex-executivos do Grupo Odebrecht, todos com foro privilegiado no STF.

Leia também
Licitação fraudulenta do lixo feita por Alexandre Von pode respingar no atual prefeito

Os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff não aparecem nesse conjunto porque não possuem mais foro especial.

O Estado teve acesso a despachos do ministro Fachin, assinados eletronicamente no dia 4 de abril.

Ler mais

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Voto de juíza santarena que cassou Simão Jatene no TRE sob suspeita

Luzimara Carvalho foi advogada do multiprocessado Lira Maia, vice na chapa de Helder em 2014

Voto de juíza santarena que cassou Simão Jatene no TRE sob suspeita, Luzimara Moura, juíza do TRELuzimara Carvalho foi advogada do multiprocessado Lira Maia

 
No site Diário do Poder, hoje, 7:

Dos 4 votos que cassaram o governador Simão Jatene (PSDB), no Tribunal de Regional Eleitoral (TRE) do Pará, três são acusados de ligações aos interessados na sentença.

O tucano derrotou, em 2014, a aliança PT-PMDB que juntou Lula, Dilma e o ministro Hélder Barbalho (Integração) no mesmo palanque. O juiz Alexandre Buchacra Araújo, por exemplo, que fez carreira no município de Capanema, filiado ao PT, até participou da campanha derrotada de Barbalho a governador.

Buchacra Araújo foi nomeado por Dilma para o TRE, a pedido do deputado Paulo Rocha (PT-PA), em 23 de dezembro de 2015.

Outro voto contra Jatene foi de Luzimara Carvalho [santarena], advogada de Lira Maia, vice de Helder Barbalho na campanha derrotada de 2014.

Ler mais

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Renan lidera no Senado oposição ao projeto que regulamenta a terceirização

Renan lidera no Senado oposição ao projeto que regulamenta a terceirização, Renan em entrevista

No site Poder360, por Tales Farias, hoje, 29, sob o título Fake news: os rebelados postiços:

Os senadores do PMDB, liderados por Renan [Calheiros, foto] divulgaram [ontem, 29] uma dura carta (leia a íntegra) em que se colocam contra a sanção do projeto de terceirização aprovado pela Câmara.

Assinam o documento:
Marta Suplicy (SP), Kátia Abreu (TO), Eduardo Braga (AM), Elmano Férrer (PI), Rose de Freitas (ES), Hélio José (DF) e Simone Tebet (MS).

Destes, para os governistas, só Katia Abreu é caso perdido.

Ler mais

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Videos
Canal direto
Canal Diteto
Prestação de Contas
Twitter


Colunistas
Sites e blogs
Publicidade