Vídeo. Por que a China vai construir uma ferrovia no PA

O que há por trás do interesse da China em construir uma ferrovia no Brasil, ligando o Mato Grosso ao Pará, com saída pelo Porto de Barcarena?

Em um post didático, com a inclusão de um vídeo, o blogueiro Paulo Henrique Amorim (Conversa Afiada) explica esse empreendimento bilionário, que também desperta o interesse da Rússia.

Abaixo, o vídeo, feito por agência estatal russa de notícias.

Neste link, a íntegra do post.

Protocolo entre Brasil e China prevê ferrovia no Pará

ferrovias_valec

Coluna Painel, da Folha de S. Paulo, hoje (16):

Dilma e o presidente da China, Xi Jinping, assinam amanhã um protocolo milionário na área de infraestrutura.

Os chineses querem investir na construção de ferrovia que ligará Mato Grosso ao Pará, com saída pelo porto de Barcarena.

O governo considera o porto paraense um ponto estratégico de escoamento da produção de soja do Norte do país.

Casas de reserva no Xingu vão ter placas de energia solar

Com o apoio do escritório da Emater em Porto de Moz, no Xingu, 100 famílias da reserva extrativista Verde Para Sempre passarão a ter, até o final do ano, energia ininterrupta em suas propriedades, a partir de um sistema de captação por placas solares.

Com a instalação e mais o recebimento de freezeres, os ribeirinhos das margens dos rios Jaurucu, Aquiqui, Uiuí, Acaraí e Guajará não só viverão com mais conforto e qualidade, como impulsionarão suas principais atividades rurais: a produção de muçarela de búfala e a pesca artesanal.

Placa solar

Exemplo de placa solar fixada em uma residência. Foto: Edson Grandisoli

“De imediato, por exemplo, podemos prever um aumento de pelo menos 30% na produção de queijo de cada família, que hoje gira em torno de 80 a 140 quilos por semana. Isso se dará com a capacidade de armazenamento refrigerado, o que vai beneficiar também o pescado”, explica o chefe interino do escritório local da Emater, o técnico em agropecuária José Morais.

Quase todos esses extrativistas nunca puderam usufruir de eletricidade em suas casas. Alguns possuem geradores, mas a capacidade não ultrapassa três horas. De acordo com a Emater, mesmo em época de chuvas, será possível garantir uma captação razoável, porque cinco horas de sol já seriam suficientes para abastecer um dia inteiro.

(mais…)

TCU trava arrendamento de portos do Pará

Transatlântico (Santarém - PA)

Porto de Santarém: arrendamentos parados. Foto: Celivaldo Carneiro

O TCU (Tribunal de Contas da União) travou, mais uma vez, o processo de concessão de arrendamentos nos Portos de Santos e do Pará.

O ministro Raimundo Carreiro decidiu pedir vista do caso após a leitura do voto do relator, Aroldo Cedraz, favorável à liberação dos estudos.

Leia também:
Agência da Receita em Novo Progresso é estratégica, diz contadora.

O pedido de Carreiro surpreendeu o plenário, pois ocorreu no momento da votação do relatório, quando tudo indicava que o processo seria liberado.

Mais uma vez, o governo não poderá leiloar as áreas. O prazo regimental para que o caso volte ao plenário é de duas sessões, mas ele poderá ser analisado antes ou depois disso.

O processo envolvendo os arrendamentos – em Santos, Belém, Santarém, Vila do Conde e Terminais de Outeiro e Miramar – entrou na pauta do TCU em dezembro.

Leia mais em TCU suspende processo de concessão em Santos e no Pará.

Fonte: Portal Holanda

Banpará bate meta e planeja presença em 100 cidades

Jorge Peixe AntunesO Banpará (Banco do Estado do Pará) bateu a própria meta, que previa inicialmente a presença em 78 dos 144 municípios paraenses até o fim de 2014.

A nova perspectiva é que o banco esteja presente em 100 municípios paraenses até o fim do ano. Este alcance representa um crescimento de 75% no número de cidades atendidas desde 2011.

“Em 2011, atuávamos em 57 municípios. Foi justamente quando iniciamos o nosso plano de expansão. A meta era chegar a 78 cidades, meta que já foi superada. Esse trabalho é muito importante, pois no interior chegamos a lugares que não têm nenhum banco”, explica o santareno diretor de Crédito e Fomento do Banpará, Jorge Antunes (foto).

Antes de abrir uma nova agência, a superintendência de planejamento e orçamento do banco faz uma avaliação para medir os números de empregos, Produto Interno Bruto (PIB) e empreendimentos instalados, mas, independente disso, o Banpará também assume o papel de incentivador da economia.

Leia mais em Banpará estará em 100 municípios paraenses até o fim do ano.

Fonte: Agência Pará

Leia também:
Apadrinhada por multiprocessado é exonerada da Sagri
.

Obras da usina de Belo Monte em fase final

Belo Monte. Foto Estadão

O enorme canal que vai ligar o Rio Xingu ao reservatório intermediário da hidrelétrica de Belo Monte [foto] começa a ganhar formas e mudar a paisagem local.

Os 20 quilômetros de extensão da obra já foram abertos e estão em estágios diferenciados de trabalho.

Por enquanto, apenas 1 km está concluído. Outros estão em fase de revestimento do leito e taludes do canal ou na etapa de aprofundamento do terreno.

A expectativa é concluir todo o trabalho até o fim do ano. Mas a meta não será uma tarefa fácil de cumprir, especialmente com o histórico de paralisações desde o início das obras da hidrelétrica.

Além disso, parece um trabalho sem fim. A construção do canal, que na prática é um rio artificial construído no meio da Amazônia para desviar a água do Xingu, exige a escavação de 110,8 milhões de m³ de rocha e solo – volume equivalente ao Canal do Panamá.

Todo esse material encheria 5 milhões de caminhões basculantes.

Hoje 1.400 máquinas, tratores e caminhões trabalham freneticamente para cumprir os prazos do canal, que terá 25 metros de profundidade, 210 metros de largura na base e 360 metros na superfície.

(mais…)

Em 5 anos, déficit habitacional do Pará caiu 3,6%

O Idesp (Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará) disponibiliza na próxima semana, em sua página da internet, um boletim com considerações referentes ao desempenho do déficit habitacional do Pará e os principais fatores de influência dos resultados destacados.

Leia também:
Agrônomo, Humberto Filho assume a direção da Emater.

Esse boletim foi elaborado com base em informações apresentadas, em nota técnica, pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) referente ao déficit habitacional brasileiro de 2007 a 2012, com base em dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), do IBGE.

O documento do Idesp ressalta que a estimativa do déficit habitacional do Pará passou de 14,9% do total de domicílios em 2007 para 11,3% em 2012, o que representa uma redução de 32.977 domicílios em situação de déficit habitacional.

Para efeito de cálculo, considera-se que o déficit em questão é a soma de quatro componentes (retiradas as interseções): domicílios precários (soma dos domicílios improvisados e dos rústicos), coabitação familiar (soma dos cômodos e das famílias conviventes secundárias com a intenção de constituir um domicílio exclusivo), ônus excessivo com aluguel urbano e adensamento excessivo de domicílios alugados.

Leia mais em Déficit habitacional do Pará cai 3,6 pontos percentuais em cinco anos.

Governo trabalha por fábrica de cimento em Santarém

Uma das 40 fábricas de cimento da InterCement no mundo. Há 16 só no Brasil

Um dos diretores da Seicom (Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Mineração), Rodrigo José Garcia, passou o dia inteiro de ontem (18) em Guarulhos (São Paulo) tratando com executivos da Intercement sobre a instalação de uma fábrica de cimento em Santarém.

Os investimentos para o empreendimento estão orçados em 800 milhões de reais.

Leia também:
Os avanços de Santarém e oeste do Pará, por Olavo das Neves.

A Intercement faz parte do Grupo Camargo Corrêa.

A empresa planeja abrir uma fábrica de cimento na Amazônia – em Manaus ou Santarém.

Desde o final do ano passado, ela estuda em qual das duas cidades irá implantar o projeto.

A holding InterCement tem sede em Portugal. A empresa está presente em 9 países, principalmente na América Latina e África. Com as marcas Cauê, Cimento Brasil e Cimpor, e ocupa a segunda posição no mercado brasileiro.

Licitação de R$ 2 milhões para vicinais em Mojuí

Foi a empresa itaitubense Tapajós Construtora e Terraplenagem e Transporte que venceu a milionária licitação (concorrência) para serviços de recuperação e abertura de vicinais que dão acesso a projetos de assentamento em Mojuí dos Campos.

O serviço está orçado em R$ 2,1 milhões – recursos do Incra e contrapartida do município comandado pelo tucano Jaílson Costa.

Leia também:
Incra assina convênio de R$ 2 milhões com Mojuí.

Voçorocas em Santarém

Do leitor que se assina Afonso Teles, sobre o post vc. repórter. Prefeito abandona as ruas da periferia:

Isso não é privilégio só de Juruti, aqui mesmo em Santarém, no bairro Jardim Santarém, no coração da cidade, tem crateras maiores do que essa!

Vamos lá, prefeito Alexandre [Von], não queira se igualar ao prefeito de Juruti!

Vamos tapar as voçorocas urbanas.

Página 1 de 5612345...Última »
css.php