Fotos: Wildson Queiroz
Pontes na PA 254. Foto: Wildson Queiroz

por Wildson Queiroz (*)

O trânsito de carros entre os municípios de Alenquer e Monte Alegre, via PA-254, está interrompido devido a quebra de duas pontes de madeira: uma na comunidade Tropical, que está avariada há mais de um ano, e outra no Km 45.

Por conta disso, o transporte de cargas e passageiros entre os dois municípios está complicado.

Dois desvios foram feitos por dentro de igarapés, para amenizar a situação, mas com as fortes chuvas o nível da água tem subido rapidamente, interrompendo de forma definitiva a trânsito de veículos entre as duas cidades.

Pontes na PA 254. Foto: Wildson Queiroz

A viagem entre Alenquer e Monte Alegre dura agora até 8 horas

As pessoas que precisam se deslocar de uma cidade para outra enfrentam um verdadeiro martírio. A viagem que, em condições normais, dura no máximo 4  horas, agora é feita em até 8 horas.

Quando o ônibus chega na ponte Tropical, os passageiros são obrigados a descer para que o veículo tente passar pelo primeiro desvio. Na segunda ponte, os passageiros descem novamente. Só que desta vez carregando suas bagagens para atravessarem a ponte a pé e entrarem em outro veículo que os aguarda do outro lado.

Para o agricultor Francinaldo Maciel, morador da comunidade Tropical, o desrespeito e a omissão das autoridades estaduais e municipais é latente. Todos os dias ele atravessa a ponte juntamente com seus filhos se equilibrando nas vigas que sobraram. Ele relata também que um motociclista que não conhecia a estrada já caiu na ponte e sofreu vários ferimentos.

Pontes na PA 254. Foto: Wildson Queiroz

Com as pontes quebradas, os ônibus passam por desvio dentro de igarapés.

A noite a situação é ainda mais perigosa, já que não existe iluminação artificial e nem placas avisando que as pontes estão quebradas, colocando em risco a vida das pessoas que dependem da estrada para se deslocar de um município ao outro.

Para a dona de casa Maria de Assunção, 68 anos, que apresenta dificuldades de locomoção com fortes dores nas pernas, a vida ficou muito mais difícil. Há vários dias ela não sai de casa e nem vai a cidade fazer compras com medo de cair em uma das pontes. O único transporte da família é uma carroça de boi que nunca mais foi utilizada. Para poder receber sua aposentadoria, ela entrega o cartão com a senha para que um vizinho possa fazer o saque na cidade.

“Eu queria eu mesmo ir no banco pegar meu dinheiro, mas eu tenho medo de cair na ponte”, lamenta a aposentada.

Quem também reclama muito são os proprietários de ônibus. Com as fortes chuvas, os veículos chegam a ficar horas atolados aguardando socorro, muitas vezes correntes são amarradas aos pneus, mas nem isso tem resolvido. Na maioria das vezes, motoristas e passageiros ficam na estrada esperando o veículo ser rebocado. Os custos com peças de reposição e manutenção também aumentaram bastante, encarecendo ainda mais as passagens.

A conservação de estradas e construção de pontes na PA-254 é de responsabilidade do 10º Núcleo Regional do Setran, com sede em Alenquer, que tem a frente o engenheiro Otávio Lobato.

Em conversa por telefone, ele informou que a licitação para a construção das duas pontes já foi feita, a ponte da comunidade Tropical será construída pela empresa Monte Alegre e a ponte do Km 45 pela Cabano Engenharia.

Ainda de acordo com Otávio Lobato, os serviços de recuperação e construção devem ser iniciados na próxima semana.

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

9 Comentários em: Pontes quebradas há mais de 1 ano na PA-254

  • Meu Deus
    Qua absurdo!!!
    Talvez se tivessemos vencido a eleição no plebiscito alguma coisa poderia ser feito, mas como fomos massacrados pelos PARAZINHOS daí é pra pior INFELIZMENTE.
    Abraços

  • Se a desculpa das autoridades é não conhecer, ou não ver o problema, agora não mais existe. O blog revela para toda a sociedade mais este drama. O mínimo que se espera é que o Poder Público, em suas diferentes composições, demonstre alguma sensibilidade para com o sofrimento dessas pessoas que precisam se deslocar por estradas tão precárias. Por ser uma rodovia PA, e como o governador fez tanta questão de manter a unidade, de ter sob seu controle um estado forte e grande, é hora dele honrar sua palavra e mobilizar as estruturas governamentais para solucionar de forma imediata e definitiva esta situação calamitosa. E cadê o nosso vice governador? Também é hora de seus assessores fazerem algo que preste. Informem a ele, mostrem a ele estas imagens e peçam que ele, sendo desta região, faça valer sua presença no topo do escalão administrativo paraense.

  • Engraçado como são as coisas… no antigo governo q/ só fazia farra c/ o dinheiro público , bebida alcoolica a vontade e trabalho em prol da população paraense q/ é bom, NADA ou quase NADA!
    Pq foi q/ a Ana Júlia foi a única governadora na história do Pará q/ tentou se reeleger e não conseguiu? A mulher estava ‘nadando em dinheiro’ , veio o LULa aqui (ele c/ a popularidade nas alturas) PEDIR voto p/ ela e mesmo assim a ex-governadora do PT não se reelegeu, PERDEU! POR QUE SERÁ HEIN???
    Agora o tal de Jatene ,GOVERNADOR q/ é o culpado do inverno ser forte e arrebentar c/ as pontes velhas q/ a Ana Júlia tbm não fez, ela só sabia todo mundo sabe o que!!!
    As pontes são necessárias e como vai a área urbana de Santarém?? Está sem buracos e valas ??
    Como vai a UFOPA q/ o Lira Maia tbm implantou aqui em Santarém ??
    O Jatene deveria sim ter nos ajudado a vencer o plebiscito, pois esta é a nossa vontade, deveria ser atendida! AGORA VIM DIZER Q/ O VELHO É O MAIOR E ÚNICO FDP ISSO É ERRADO!

  • Por essas e outras que eu era a favor da divisão do Estado. Em Monte Alegre, por exemplo tem outro problema sério que é a inoperância da COSANPA. Lá a população compra água de umas empresas que proliferaram por lá, devido a inoperância da COSANPA, pois todo santo dia falta água. Além do aeroporto que também não funciona.

    Cleonice Macedo
    Plano Piloto – Brasíla.

  • E os deputados Megale,Von,Nilson Pinto,Lira Maia que foram bem votados em Alenquer o que fazem?Sera que a ponte de concreto sobre o Rio Curua e prioritaria ou refazer a estrada que esta intransitavel e as multiplas pontes pequenas que estao desabando?Sera que uma balsa motorizada sobre o rio curua devido ao baixo transito resolveria o problema? E o Prefeito Joao Piloto que apesar da enorme rejeiçao diz ser o candidato do gov Jatene? E a lei da ficha limpa nao vai funcionar para barrar os CORRUPTOS?.Sera que a GLOBO nao vai fazer uma reportagem sobre a CORRUPÇAO no PARA? E a POLICIA FEDERAM ,MINISTERIOS PUBLICOS,TRIBUNAIS de CONTAS nao fazem nada ?

  • Putz Jeso !!

    Tu queres desacreditar o Governo do Bla…bla…bla…

    É propaganda enganosa a tua !

    Não é essa ponte aí que tu mostra ! É uma fotomontagem barata !

    Eu vi a maquete dela ! Juro que vi a maquete da Ponte verdadeira !!!

    Tiberio Alloggio

  • Senhores e Senhoras.
    Temos pontes que durante o verão os barcos não passam por pouca altura da ponte e durante o inverno fica dentro da água.
    Solicitamos atenção para as construções de pontes:
    – Altura com relação a maior enchente, para não ficar em baixo da água durante as cheias e para não impedir o ir e vir dos barcos durante o verão e inverno.
    – A construção em concreto pré-moldado pode diminuir em muito o tempo de construção.
    OBS. Na região próximo a Belém há pontes que foram construídas em concreto pré-moldado, logo caso não seja possível fabricar na região Oeste, as peças poderiam ser fabricadas em Belém e transportadas de balsa para a região.
    Com boa vontade há solução.

  • É demais.

  • Alguém pode me explicar por que os municipio são tão próximo e a rodovia que liga os dois faz um desvio tão grande. ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *