Repasse da Alcoa para Acorjuve é bloqueado para pagar calote de R$ 320 mil
Gerdeonor numa das fotos de Vanildo Maia, em 2007

Parte do repasse, cerca de R$ 320 mil, feito periodicamente pela Alcoa à Acorjuve (Associação das Comunidades de Juruti Velho), por participação nos resultados da lavra de bauxita em Juruti (PA), foram bloqueados pela Justiça.

A decisão foi tomada pelo juiz Valdeir Salviano da Costa, da 1ª Vara Cível e Empresarial de Santarém, para garantir o pagamento de uma dívida da Acorjuve com o fotógrafo profissional Vanildo Maia Pinheiro.

 

O caso se arrasta há 8 anos na Justiça. Em julho do ano passado, transitou em julgado, conforme o blog noticiou. A Justiça chegou a bloquear as contas da associação, presidida por Gerdeonor Santos, mas só encontrou R$ 4 mil

Resolveu, então, a pedido da defesa do fotógrafo, a cargo do advogado Gilmar Diniz Júnior, alcançar o valor da dívida na principal fonte recursos da Acorjuve — a Alcoa. A mineradora já foi notificada da decisão. E garantiu ao Blog do Jeso que irá cumprir a ordem judicial.

O valor corrigido da dívida é de R$ 319.894,90.

— LEIA também: PSOL terá candidato a prefeito pela 1ª vez em Juruti; ex-petista foi lançado hoje

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

3 Comentários em: Repasse da Alcoa para Acorjuve é bloqueado para pagar calote de R$ 320 mil

  • E QUANDO A JUSTIÇA VAI PRENDER O GEDENOR PELO DESVIOS DAS CASAS DO INCRA DE JURUTI VELHO OU VÃO DEIXAR PRESCREVER

  • Matéria sem fundamento, sem veracidade do fato, baseado apenas em dados empirico . Esse dito fotógrafo se utiliza de artimanha para tentar se dar bem !

    • Matéria fundamentada na decisão judicial. Por tanto, não há nada empírico ou falso em relação ao que foi noticiado. Mais: o acusado sequer entrou com recurso contra sentença, que transitou em julgado. Portanto, avalizou a decisão em primeira instância.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *