Blog do Jeso


União gay: amazonense casa na Irlanda

No site do D24AM:

O amazonense Adriano Vilar se casou com o irlandês Lenn Cunningham e se tornaram o primeiro casal gay registrado civilmente e reconhecido pelo governo europeu. A cerimônia aconteceu no ano passado, na Irlanda do Norte.

A legislação irlandesa permite a união civil entre pessoas do mesmo sexo desde a última quinta-feira. Mas o caso de Adriano e Lenn foi diferente. Por coincidência, o casal foi ao Serviço de Imigração para regularizar o status do amazonense, que vivia no país com o visto de estudante há dois anos.

“As pessoas não sabiam o que fazer. Eles nunca haviam lidado com uma parceria civil legalizada envolvendo gays. Foi quando eles vieram e disseram: ‘Parabéns, vocês são o primeiro casal gay a ser reconhecido pelo governo como parceiros’. Ficamos chocados e nem podíamos acreditar”, lembrou Cunningham.

Adriano também comemorou: “Minha primeira reação foi: ‘O que? Isso é sério?’ Eu vivia muito inseguro apenas com o visto de estudante”, disse

As informações foram publicadas pelo site The Irish Times.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

29 respostas a União gay: amazonense casa na Irlanda

  • Augusto disse:

    Convenhamos que se fosse um paraense, o jornal “A Critica” de Manaus estaria ridicularizando ou fazendo algo dessa natureza, mas não vou pagar na mesma moeda com os amazonenses, pois eu, como um paraense que quer, exige e retribui respeito, assim como não trocarei piadinhas ou indiretas para com eles, pois assim demonstro que nós não ligamos para essas besteiras criadas por eles.

    • Anderson Calado disse:

      Se nós os amazonenses parecêssemos com os argentinos,eu não sei,mas o caminho pode ser esse,a caminho do Mundial de 2014 no Brasil,não só os paraenses como o resto do Brasil(SP,RJ,MG,BA,RS,etc.)vão certamente estranharão com um jogo da Argentina sendo realizado aqui em Manaus/AM…………

  • Alex - Orgulhoso de ser PARAENSE disse:

    Essa notícia é pai de’gua e esse comentário eu não deixarei de fazer. Tinha mêêêêêêrmo que ser um amazonense. Como sempre digo aqui em Manaus quando dizem que paraense ladrão: “Paraense é ladrão… mas não é gay!!!!”.

    Se a FIFA bobear os amazonenses transformarão cada dia de jogo da copa em uma parada gay. A problema aqui é tão sério que até o aniversário da cidade é no dia 24.

    Aqui dizem que o paraense vai na peixaria e pede robalo com farinha (com “nha” mesmo). Já o amazonense só pede pacú.

    Enfim, essa é mais uma prova da pederastia do amazonense.

    • Rafahel Jean disse:

      Nossa esse comentário foi tão infeliz que o autor merecia ser jogado na fogueira, além de preconceito contra os amazonenses ainda é preconceito contra o homoeorotismo, infelizmente foi um paraense que escreveu, alguém da minha própria terra, por isso país não avança: por causa de mentes tacanhas como essa

      • João Jr Olieira disse:

        Olha homossexualismo tudo bem, mas homoerotismo já é querer atenção, nada contra quem gosta, isso é de cada um, eu prefiro mulher simples assim, cada um que viva sua vida de acordo com o que bem entender e lhe satisfazer, só não gosto e de pessoas que se dizem Gays exagerarem em certas coisas ou palavreados, principalmente quando isso ocorre na frente do meu filho, só que se eu for tomar algum tipo de atitude poderei ser tachado de preconceituoso, mais e o meu direito fica onde? Terei que parar de frequentar praças? Haja visto que “os incomodados que se retirem!”. Esse é o maior problemas dos homosexuais querer ser mulheres peruas e não Gays assumidos.

    • Adriano Vilar disse:

      Eu sou a pessoa da foto, o Amazonense! Muito obrigado pelo carinho de alguns e falta de maturidade de outros. Nao posso cobrar algo de alguem se a mesma nao tem para dar (Educacao, Respeito e Humanitarismo) e fico muito orgulhoso em saber que pessoas de outras cidade fora da minha falam de mim. O povo Irlandes sempre que passo na rua dizem: Parabens pela sua CONQUISTA e sinta-ta me casa pois a irlanda adota qualquer tipo de Acao que faca bem a Sociedade Irlandesa (Familia). Assim como Paraense sairam de suas cidades pra estudar na europa amazonenses tbm saem assim como muitos outros brasileiros tbm saem em busca de conhecimento e cultura. peco a gentileza de apenas RESPEITAR A VIDA de cada pessoa!
      Tenho amigos paraenses aqui em Dublin e nunca brigamos ou tivemos qlqr tipo de rivalidade, ao contrario sempre trocamos ideias e conhecimentos.

      Forte abraco à todos!

      Adriano Cunningham Vilar

  • Paulo Lima disse:

    Salve Jeso,

    Tem umas discussões pseudo-históricas, artificiais, que me impressionam em muitos lugares do Brasil. Santarém não escapa a essa regra. Parece que ter um inimigo se lhe qualifica para um embate, para uma diferenciação. Todo mundo por aqui estudou que a colonização da nossa região foi levada mais à sério pelos portugueses somente no século XVIII. Em 1751, por decreto Real, também o Estado do Maranhão passou a denominar-se Estado do Grão-Pará e Maranhão, tendo a sua capital sido transferida da cidade de São Luís para a de Belém do Pará. O território então compreendia as regiões dos atuais estados do Amazonas, Roraima, Pará, Amapá, Maranhão e Piauí. Sobre o Amapá nem vou falar, foi Pará até pouco tempo, para a História. Ou seja, quais as grandes diferenças culturais entre nós? Língua? Religião? Costumes? Origem? Tradições milenares? Nada é milenar no Brasil.

    Agora, rivalidades históricas entre paraenses e amazonenses parecem mais diversão e passa-tempo de setores da mídia. Antropologicamente são extratos culturais gerados de uma mesma miscigenação. Não é a toa que as toadas de Parintins fazem todo o sentido aqui e em Juruti. São mais amazônicas que a cultura emergente do sertanejo e do forró, influências recentes.

    O conservadorismo no olhar sobre as relações homossexuais é que são exógenas.

    Essa coisa de cuspir no chão é de fora, com todo o respeito e admiração que eu, mais que muitos, tenho por Luiz “Lula” Gonzaga, o Rei do Baião!

  • Wellton Costa disse:

    Sou Paraense, de Santarém, e nunca entendi a “rivalidade” entre manauaras e paraenses (santarenos), acho isso ridículo, pois o povo do norte precisa se unir para ficar tão forte quanto as outras regiões, para haver outra união, onde só o Brasil ganha.

    Sinceramente, essa rivalidade é criação de crianças de 12 anos, ao meu ver.

    Sobre o casal: eu sempre gostei da frase “O importante é estar bem consigo mesmo, sem machucar o próximo”… então, se ele tá feliz e não tá agredindo ninguem, ótimo. E foi importante você colocar isso no Blog, Jeso, pois é interessante saber desse marco histórico na história da europa e, por que não dizer, história do Mundo, onde o primeiro casal gay oficial da europa tem um amazonense.

    Não é vergonha alguma, isso prova apenas que o mundo tá deixando de ser ridiculo a ponto de ter preconceito com a vida das outras pessoas.

  • Maralice disse:

    Tenho que endossar o parabéns do nobre blogueiro, ao comentário do Wellton. O mundo precisa deixar de ser ridículo e hipócrita, queiramos ou não, é preciso respeitar as diferenças para alcançarmos a paz tão sonhada. Como afirma Wellton o preconceito é infantilidade boba!

  • Aramis de Castro disse:

    Acho que de todos os comentários que li aqui, se valeram apena ter lidos uns dois ou três foi muito.

    Esse tal de “Alex – Orgulhoso de ser PARAENSE” deve bem fazer parte dos quase 200 mil que participam da Parada Gay de Belém todos os anos.

    Se as pessoas não gostassem tanto de cultivar o falso-moralismo e a hipocrisia, isso não seria espanto, escandalo ou qualquer tipo de ‘anormalidade’.
    Cuidado! Pois quem cospe pra cima, sabe muito bem que o cuspe pode voltar e cair na cara.

Deixe uma resposta

Videos
Canal direto
Canal Diteto
Twitter


Colunistas
Sites e blogs
Publicidade