Aparecido, Marciano e Jonas
Aparecido, ex-prefeito, e os supostos envolvidos no crime: Marciano Lira e Jonas Lourenço

Aparecido Silva, ex-prefeito de Rurópolis (2004-2012), oeste do Pará, citou o nome de 2 dos 3 supostos envolvidos no assassinato da sindicalista Leila Ximendes, ocorrido em outubro de 2016 na cidade.

A revelação foi feita em áudio que circulou ontem (21) em grupos de WhatsApp.

O assassinato voltou a ganhar enorme repercussão no oeste do Pará depois que a promotora de justiça Mariana Cavalero de Macêdo ajuizou ação penal, no início do mês, contra 3 pessoas acusadas de participação direta no crime. A ação tramita sob segredo de justiça.

Aparecido cita na gravação o vereador reeleito Jonas Lourenço (PT) e Marciano Lira de Almeida, ex-presidente do STTR (Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais) de Rurópolis, como supostos envolvidos na morte da sindicalista.

O Blog do Jeso teve acesso ao áudio.

“Eu não quero condenar o Jonas [Lourenço], eu não quero condenar o Marciano [Lira], mas quero que os criminoso vá pra cadeia”, disse Aparecido.

Ontem à noite, o blog entrou em contato com o ex-prefeito para questioná-lo sobre a autenticidade do áudio. Ele ouviu, mas não respondeu. Disse que iria retornar a ligação hoje. O que ainda não aconteceu.

Um outro áudio de Aparecido Silva chegou ao blog nesta manhã.

Nele, o ex-gestor nega que tenha afirmado que Jonas Lourenço e Marciano Lira “seriam os assassinos” da sindicalista integrante do STTR.

E rebate na gravação uma mensagem postada ontem nas redes sociais por Marciano Lira. Nela, o sindicalista faz críticas ao ex-prefeito que “tem uma longa ficha no judiciário e condenações no TCM, TCE e TCU”. Também negou participação no assassinato de Leila Ximendes.

“Todas as mentiras que estão circulando, ou sendo plantadas intencionalmente acerca da minha pessoa e deste triste e covarde assassinato serão devidamente esclarecidas perante o poder judiciário”, escreveu o atual secretário municipal de Infraestrutura.

Leia a íntegra da mensagem abaixo.

CONTRAPONTO

O blog entrou em contato com o vereador Jonas Lourenço, mas ele não retornou as mensagens. A assessoria da Prefeitura de Rurópolis não respondeu ao questionamento sobre a autenticidade da mensagem atribuída ao secretário de Infraestrutura. O espaço continua aberto aos contrapontos.

A MENSAGEM DE MARIANO

“Olá, sou Marciano Lira de Almeida! Estou tendo meu nome citado em conversas de grupo de whatssap. Primeiramente quero dizer que sou cidadão ruropolense, tenho moradia nesta cidade a 34 anos, nascido nesta cidade, a qual amo, minha família vive aqui, tenho esposa, um filho e meus país que aqui vivem, sempre trabalhei e continuo trabalhando para sustentar minha família e ver o desenvolvimento desta cidade. Quero esclarecer que sou uma das pessoas mais interessadas em esclarecer a morte da Leila, que era diretora financeira do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Rurópolis.

Desde o início, sempre me coloquei a disposição da justiça para contribuir com o esclarecimento do caso, inclusive para relembrar a todos que estão falando, a Leila era uma pessoa muito próxima da minha família, minha amiga, convidada a ser madrinha do meu filho, companheira partidária, sempre defendemos as mesmas posições políticas. Após os fatos, sempre me dediquei tentando buscar informações, pedido de providências, que pudessem contribuir para o esclarecimento do crime.

Agora, o que acho inadmissível é transformarem o caso em uma rixa política como tenho visto nos grupos, não admito uma pessoa com uma longa ficha no judiciário por atos de improbidade administrativa, má gestão recursos públicos, suspeita de desvio de dinheiro, condenações no TCM, no TCE e TCU vir a público apontar o dedo pra mim, que nunca respondi a qualquer processo anteriormente.

Quero aproveitar e fazer um apelo, para que essa pessoa tão boa, e tão querida pela população devolva os valores aos quais já foi condenado, o Município agradece! Quanto a qualquer conversa caluniosa, mentirosa e sorrateira sobre desvio de valores no Sindicato dos Trabalhadores no período que estive a frente, coloco todas as contas a disposição da justiça, pois temos documentos diversos que comprovam que tudo era aprovado pelo conselho fiscal, depois nas assembleias ordinárias com transparência dos atos para a visualização e ressalva de dúvidas, conforme deve ser a gestão de qualquer recurso, seja ele público ou de uma entidade.

Então, todas as mentiras que estão circulando, ou sendo plantadas intencionalmente acerca da minha pessoa e deste triste e covarde assassinato, serão devidamente esclarecidas perante o poder judiciário, e ainda a responsabilização da propagação de noticias mentirosas, com a devida responsabilização destas. “

NOVO ÁUDIO DE APARECIDO

Leia também sobre o caso:
Juíza assume comarca de Rurópolis, onde tramita a ação sobre o crime de Leila Ximendes

  • 584
    Shares

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

Um comentário em: Em áudio, ex-prefeito cita nome de supostos envolvidos na morte de sindicalista; ouça

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *