Publicado em por em consumidor, pessoas, Política, Turismo

A TAM patrocinou na manhã de ontem (27),no aeroporto do Galeão (Rio de Janeiro),um deprimente espetáculo de truculência e deselegância – desnecessariamente, diga-se de passagem – contra o violonista Sebastião Tapajós e os músicos que o acompanham no projeto “Da Lapa ao Mascote”. A companhia aérea impediu que o santareno embarcasse no voo […]

Sebastião Tapajós
Sebastião Tapajós: violão valioso

A TAM patrocinou na manhã de ontem (27),no aeroporto do Galeão (Rio de Janeiro),um deprimente espetáculo de truculência e deselegância – desnecessariamente, diga-se de passagem – contra o violonista Sebastião Tapajós e os músicos que o acompanham no projeto “Da Lapa ao Mascote”.

A companhia aérea impediu que o santareno embarcasse no voo 3420, com chegada em Santarém às 15h10, com seu inseparável violão.

Foi a primeira vez em mais de 30 anos de carreira, com milhagem internacional graúda, inclusive, que o artista se deparou com tal exigência.

Para não perder a viagem, Sebastião Tapajós teve que despachar o seu caríssimo instrumento.

Tiveram que fazer idêntica ação os demais integrantes da trupê amazônica.


Publicado por:

160 Comentários em Empresa aérea constrange violonista

  • Ae rapaziada que quer aprender a tocar cavaquinho, eu andava com muita dificuldade em tocar o instrumento, mais encontrei umas aulas que estao me ajudando muito, clique no meu nome e veja!

  • É só comprar um assento adicional para acomodar o instrumento. Não é justo ocupar o espaço da bagagem de outro passageiro só porque é um músico. E a empresa também não deve ser obrigada a dispor de um espaço maior do que o previsto a todos os outros passageiros também só porque é um músico.

  • Que vexame Dona TAM, quer mais o quê? Tá mandando no espaço aéreo nacional e agora quer explorar passageiros?!! Respeite ao menos a PRIORIDADE, o artista Babá Tapajós já passou dos¨60, que é que há??? Bata o pó branco de seu tapete vermelho e deixa o Sebastião Tapajós desfilar, ele é da Academia de Letras e Artes de Santarém!!!

  • Então voces estão se agredindo desnecessario, o Tapajos é sem duvida um exelente musico,não se compara ao que aconteçe com a musica de hoje das midias,porem o povo está sem cultura e os mecanismos querem vender não importa o que…,a tam é outra quer vender suas passagens,já vi musicos abandonarem seus instrumentos e viajarem apreensivos porque realmente aconteçe até com protetores de instrumentos pesados,realmente violão violino,cavaco são muito frágeis talvez o problema seja as cordas de aço que poderiam ser usadas por loucos do voo para eventuais sequestros,o material de aço talvez seja,no raio x já deveria ser resolvido esse problema.de qualquer forma,é dificil o musico querer tocar em outro instrumento,e fretar um avião também seria inviavel,e o tratamento e quebra dos instrumentos fica por conta da sorte desses guerreiros do som..postem comentarios uteis e não se agridam..opinião e não imposição

  • Rídiculo!!! a atitude da TAM, que todos os músicos pensem antes de comprar uma passagem pela TAM. Eu heim! nem pensar.

  • Pelo que sei a norma em vigor eh que instrumentos como violao, violino ate uma certa medida DEVEM ser transportados como mala de mao se estiverem em bags ou cases flexiveis, nao os rigidos. Isso acontece em voos domesticos e internacionais… normal. Tem que se averiguar o motivo especifico nesse caso. As cias aereas tambem descumprem muitas normas!!! Todos sabem disso.

  • É realmente muita ignorancia da TAM E PRESUNÇÃO no comentário dessa Thil: Existe a determinação da TSA (transportation Security Administration https://www.tsa.gov/traveler-information/musical-instruments que TODO MUSICO TEM DIREITO DE VIAJAR ACOMPANHADO DO SEU INSTRUMENTO uma vez q as cias aereas nao se responsabilizam pela integridade dos mesmos. Isso está publicado no site e vale de regra para regulamentar os voos no mundo todo. A TAM cometeu uma infamia e abuso de poder, tomara que aconteça com essa cia o mesmo que aconteceu com a UNITED, que quebrou o violão de um musico, ele pos um clip no YouTube , bombou e a UNITED teve que pagar um acordo bem alto!!
    https://m.guardian.co.uk/news/blog/2009/jul/23/youtube-united-breaks-guitars-video

  • Acho que os passageiros desse vôo, perderam a chance de participar de uma seresta do nosso Sebastião em pleno vôo. Aí para sacramentar a viagem, era só acrescentar alguns maparás assados com limão, desses que estão servindo nas escolas. O perigo maior seria os pilotos sentirem o cheiro (pitiú) dos “prateados” e abandonarem o comando para provar do mapará com farinha puba…

  • – Por que as companhias não possuem uma forma segura de despachar este tipo de equipamento? Que seja diferente do frágil, que bem sabemos nem sempre tem o correto cuidado!
    – Por que se sentir no direito de ocupar o espaço de bagagem de mão de 3 passageiros? E se o voo estiver lotado? E se mais quinze violões estiverem no mesmo voo?
    – São só estes equipamentos musicais que custam caro? Apenas uma ilustração, em viagem de treinamento, despachei diversos equipamentos que somados ocupavam um espaço menor que um violão. Um outro passageiro despachou uma lata de tinta que estourou durante o voo e pintou metade da bagagem. E meu equipamento caro? E uma semana de treinamento que ficou prejudicada?
    – E se os aviões tivessem um local para acomodação de bagagem frágil debaixo do banco por exemplo? ou outro local qualquer na cabine de passageiros, mesmo que seu uso tivesse um custo adicional?
    – Que tal parar de pensar num violão (com todo respeito) e pensar mais nas necessidades e direitos dos passageiros?

  • Ok. Pode até ser certo o impedimento de entrar com os instrumentos como bagagem de mão, mas que isso seja pra todos, pois quando entramos no avião haviam outros instrumentos de outros músicos. Como disse Sebastião Tapajós ” tá fazendo isso só pq eu sou do Norte?”.

  • Brasileiro sempre querendo levar vantagem em tudo. Pior que tem gente que defende.

    Dane-se o valor do instrumento, valor monetário ou sentimental. Ele ocupa o espaço de 3 bagagens de mão e não deve ser transportado para não prejudicar outros passageiros que utilizam aquele compartimento com bom senso.

    Trata-se também de uma norma de segurança, diga-se de passagem.

    Independente do artista ser Mozart ou Gustavo Lima, ele não é diferente de ninguém. Se ele se acha especial ou se alguém aqui acha que ele é especial para merecer tratamento diferenciado, que frete um avião particular para ele levar o violão do jeito que quiser.

    A verdade é que brasileiro quer se dar bem em tudo e não quer pagar pelo que serviço que irá utilizar. Ele vai transportar um objeto frágil, caríssimo, e não quer usar o meio adequado para isso? Por que não contrata a TAM CARGO, empresa especializada no transporte de mercadorias? Você acha que o Louvre transporte Picasso em bagagem de mão?

    Não, ele quer utilizar o serviço que as pessoas usam no dia-a-dia pois é mais barato. Só que esse serviço não conta com a atenção especial pois 90% das bagagens das pessoas não possuem valor de R$ 40.000. E é por isso que o serviço não é especial, pois é preciso ser comum para ser barato.

    1. Existe uma determinação da TSA que determina que TODO MUSICO TEM O DIREITO DE VIAJAR ACOMPANHADO DO SEU INSTRUMENTO, como bagagem de mão, uma vez que as companhias aéreas não se responsabilizam pela integridade dos mesmos. Um bom instrumento chega às vezes ao valor de U$ 7.000 ou mais. Queria ver se obrigassem voce a despachar seu laptop ou Tablet sem garantia!!

    2. Não concordo com sua opinião, Thil.
      Levar seu instrumento consigo não se refere à “levar vantagem em tudo”, de que você trata acima.
      Todo instrumentista sabe do cuidado que se deve ter com o instrumento, e normalmente do descuido que as empresas aéreas têm com as bagagens despachadas.
      Nas viagens internacionais nunca ouvi falar de pessoas impedidas a embarcar com seu instrumento (violino ou violão).
      Antes de julgar talvez seja necessário conhecer um pouco dessa realidade pela qual passam profissionais da área da música.
      Quem é músico sabe da realidade.

    3. “Foi a primeira vez em mais de 30 anos de carreira, com milhagem internacional graúda, inclusive, que o artista se deparou com tal exigência.” Compreendeu idiota???

      1. Por que chamar alguém de idiota, se você próprio tem informações superficiais sobre o caso em questão. O que se há de fazer é apurar a fundo o caso para saber se, de fato, houve algum abuso ou transgressão, ou apenas o cumprimento de normas de segurança, claro, sem constrangimento ilegal… enfim… a rede virou terra-de-ninguém onde a lógica e a inteligência não são quesitos sine qua non. Se houve abuso, temos que denunciar e cobrar que a empresa seja punida.. se não, avaliar ou , quiçá, discutir até mesmo a mudança de regras esdrúxulas…. Não cabe sair atirando para todos os lados feitos porra-louca, sem conhecimento de causa, baseado em impressões sublliminares…
        .

    4. Querido ou querida Thil,você que não trabalha com a arte sublime da música não entende o valor que um instrumento desses possui. A questão é que em voos nacionais é sim permitido levar instrumentos na bagagem(viajo regularmente e nunca tive problemas em nenhuma empresa) e apenas em voos internacionais não é permitido. Você deve bem trabalhar na referida empresa,que já conseguiu a proeza de quebrar um prato de condução de 20 pol. de bateria,dentro de um case reforçado com os funcionários muito “carinhosos” em seu cuidado, ao defender tal conduta com um monstro sagrado da m úsica brasileira. Agora se fosse o referido “cantor” que mencionou ele poderia colocar uma baleia e não ligariam. O problema não é o brasileiro quere tirar vantagem em tudo,e sim não haver respeito com aqueles que REALMENTE DIFUNDEM A CULTURA NACIONAL E DEVERIAM TER MAIS CONSIDERAÇÃO!

  • essa Tam e o pessoal do atendimento da mesma… podiam bem, ir tomar pelo cú a dentro…. esse Manuel e outros babacas q ñ sabem o q dizem, tb…

  • Já aconteceu comigo tb, e foi na GOL.
    Na TAM nunca tive problemas…Nao sao casos restritos a empresas especificas, e sim situações aleatorias.
    Só quem é musico que entende esse tipo de situação. Não adianta explicar pra outra classe.
    O melhor exemplo que poderia dar é: vá viajar, e despache sua mae/filha. Pronto.

    Abraço.

  • Bem vejo que tme muita gente que acha que a empresa esta certa pelo fato de ser uma regra.
    Vamos la entao… ate concordo nesse ponto que excede sim grande parte das vezes o tamanho. Sou musico tb, baixista e vez ou outra tenho que conversar e muito para conseguir embarcar com meu instrumento que custa R$ 25000 quando vou com dois aproximadamente R$40000 em uma bag dupla. Intrumentos sao feitos geralmente de madeira e que sofrem com cariacao de teperatura, numa viajem destas ele pode empenar no minimo e o mais grave é a falta de cuidado que os oporarios que despacham as malas tratam este equipamento. Ja ouvi e acho qeu muitos ja ouviram tb a historia de que quanto tem o nome FRAGIL ai que eles tiram onda. Gracas a deus geralmente a tripulação ajuda e muito as vezes ate guardando o intrumento num compartimento especifico para eles.O instumento de um musico nao é sua bagagem é seu material de trabalho. Sem ele nao e possivel trabalhar, um inrtumento danificado ou extraviado para uma banda que vai se apresentar gera uma complicacao enorme. Quantos musicos nao ja tiveram instrumentos danificados ou extraviados? Outro ponto é que caso haja dano tenha certeza que a empresa Aerea vai querer tirar o “dela da reta”. E mesmo que se entre com um processo quando for receber esse diheiro vai demorar bastante…e como o musico vai se apresentar? Enfim o ideal e que que deveria ser permitido o embarque com instrumentos musicias de pequeno porte como , violino, baixo, guitarra pois sao poucos instrumentos ou quase nenhum por voo. Nao iria incomodar ninguem.

    1. Nenhum dano ocorreu com o instrumento e ele foi despachado como qualquer outra bagagem que ofereça risco a segurança dos passageiros.
      Só porque a bagagem é cara ou tem valor sentimental, isso não lhe de o direito de levá-la como bagagem de mão. Caso contrário, outros instrumentos musicais como: bateria e piano teriam
      esse mesmo direito.
      Constrangedor mesmo é ter que explicar o porquê de não termos esses “direitos”.
      Abraços!

      1. Nenhum dano ocorreu nesse caso, não pense que é sempre assim. E a comparação não é válida. Caso tenha passado despercebido, violões não tem o mesmo tamanho de baterias e pianos.

      2. Muito inteligente a sua comparação de piano com violão. Primeiramente, pianistas não viajam com o seu instrumento. Já os bateristas guardam seus instrumentos em cases de madeira, bem mais resistentes que os de outros instrumentos. É também preciso conhecer mais sobre como as empresas resolvem os problemas de avarias ou danos permanentes nos instrumentos. Conheço um caso onde a empresa simplesmente achou justo pagar o valor em passagens aéreas. Agora me diga se você acha justo se ver de uma hora pra outra se transformando em um agente de viagens para vender passagens que recebeu de bônus para só aí ter o seu instrumento de trabalho de volta. Não adianta dizer que se acontecer algo o músico deve procurar o seu direito. Todos sabemos como é lenta a nossa justiça e se tratando de um instrumento de trabalho ter que esperar uns 5 anos para ter o caso julgado não me parece muito produtivo?? Em qualquer vôo, no mundo inteiro os músicos andam com os instrumentos que são possíveis levar como bagagem de mão. Vc vai me dizer que aqui no Brasil tem que ser diferente?
        Não é apenas por ser caro e ter um valor sentimental. É por ser caro, ter valor sentimental e as empresas não cuidarem nem se responsabilizarem em caso de danos… Somente isso!
        Gostaria que você explicasse o risco que tem carregar um case de violão dentro de um avião…
        Não há um raio x nos aeroportos? detector de metal? revista de bagagem e passageiros??

      3. O Gabriel, sua resposta é algo que chega a ser engraçado!!! Constrangedor é chegar em determinado lugar pra se fazer uma apresentação e ter seu instrumento desviado ou danificado!!! Bateria e piano são grandes, acho que sabe o que são, se não souber procure em imagens do GOOGLE.

    2. Eu tambem sou musico e passei esse constrangimento recentemente numa viagem a Portugal pelo “Ano do Brasil em Portugal”, evento patrocinada pelo governo. Tive que fazer varias idas e vindas ao aeroporto para pesagem e medidas dos instrumentos que iriamos usar no show. Fizemos todo o procedimento e mesmo assim tivemos problemas ao desembarcar. Fica a pergunta; porque essa perseguição aos musicos que ralam o ano todo pára conseguir bons trabalhos e quando pintam são mil exigencias desnecessarias. Uma guitarra não apresenta nenhum problema se embaracada no bagageiro do avião e não causara dano algum a ninguem. Enfim são medidas que as empresas Tap e Tam estão tomado, cobrando ate 500 euros por instrumento e que as outras empresas estao pensando em adotar. Precisamos tomar providencias a respeito ou vamos acabar não mais viajando com instrumento. Eles nada sabem sobre musica e arte em geral Infelizmente.

    3. e o Sr esqueceu de complementar que mesmo colocando as vezes mais de R$100.000,00 em instrumentos musicais, o cachê do pobre músico é o mesmo desde 1990.
      Logo, lembremos que mais vale um centavo de um pobre do que meia fortuna de um milionário.
      Sempre que falarmos em música, nunca podemos esquecer da ignorância com que a profissão é tida no Brasil e que o cachê do infeliz que segue por esse caminho, nunca é maior que um salário mínimo.

  • Essa empresa está merecendo campanha igual a que fizeram contra a Fly United quando quebraram o violão do artista e não queriam indenizá-lo! Já tive problemas também com a referida empresa TAM. Quebraram todo o case do da minha Ibanez e quase que meu instrumento foi ao chão pois até o cadeado que coloquei foi arrancado pela turma de gremlins que cuida do despacho de bagagens! O pior é que nos obrigam a assinar um termo onde se eximem de qualquer responsabilidade com o bem transportado! É uma piada esta TAM! Vai falir em breve! Força grande Paulinho Tapajós! Essa empresa é igual às outras, já você e seu talento são únicos!!!

  • Já tentaram fazer o mesmo comigo, mas foi inútil. Viajo com o meu violão há mais de 40 anos e já briguei com muita gente, mas entro com ele no avião, pois é impossível despachar um instrumento na bagagem. JAMAIS! Em último caso eu não viajaria e processaria a empresa.

  • PQP!.
    Que espaço rico em gente recalcada, mal amada, sem informação…
    Um instrumento desse ocupa o espaço da bagagem de três passageiros.
    Nos Estados Unidos ou na Europa não viaja com o violão no colo ou em cima não.
    São simplesmente normas internacionais de segurança aérea.
    Boa noite.

    1. Sou concertista de violão, moro em Londres e viajo para tocar concertos em diversos países do mundo. Tirando cias low cost, como Ryanair, SEMPRE embarco com meu instrumento, e muito poucas vezes tenho tido problemas aqui na Europa com cias como British Airways, Air France, etc. Lufthansa em voos para a Asia as vezes dá problema. Existe uma lei aprovada para entrar em vigor em 2014 na Europa para liberar instrumentos musicais a bordo, como JÁ EXISTE nos EUA, depois de muitas brigasprincipalmente contra a United Airlines. O violão não ocupa bagagem de 3 passageiros nem a pau, nem aqueles violões mexicanos. Ele VALE sim, muito mais que a bagagem de três passageiros. E não existem normas internacionais com relação a isso, mas sim normas de cada cia de acordo com suas prioridades ou ignorância do fato que não é um objeto que ocupa tanto espaço como se pensa, e que não vale tanto quanto dizemos que vale. Acredite, 10.000 euros para um violão de concerto é uma quantia quase padrão.

    2. roger vc esta totalmente equivocado!! eu ja viajei inumeras vezes pro USA indo e voltando com a minha guitarra como carry on, isso depende somente do tipo de case q vc esta levando o instrumento. hardcase tem sim q ser despachado mas soft case dependo do instrumento pode sim ser levado como carry on!!!!

    3. Porem você se esqueceu de pensar que nos EUA ou em alguns países da Europa, os cuidados com as bagagens são obedecidos.

  • Independente do artista, qualquer instrumento deve ser acondicionado em um lugar com todo o cuidado que merece.

  • Todos vocês que ficam lembrando das “normas” de volume da cia. com certeza NUNCA tiveram um instrumento DESTRUÍDO, sem ressarcimento e com atendimento péssimo, por esta cia. Ao desembarcarem, no caminho até a esteira de bagagem, parem no meio do caminho e fiquem reparando em como os carregadores lidam com os volumes, INCLUSIVE A SUA MALA.
    É falta de respeito, SIM, com o músico. Só quem toca sabe a importância de um instrumento, seja ele barato ou caro. Ainda mais músicos da importância do S. Tapajós. Sinto vergonha de como estas cias, e seus funcionários, tratam seus clientes, e como mostram absoluta falta de tato no relacionamento e no tratamento de pessoas.

  • Empresas aéreas brasileiras, detestam músicos…É uma realidade. Na Europa, já é o contrário.Uma lástima o que aconteceu com esse músico de altíssimo valor.

    1. Concordo totalmente, funcionários mal preparados e empresa que dificulta a vida do cliente, deveria processar a TAM!!!

  • Também sofri um grande constrangimento no vôo 3445 – Brasília-Rio às 19:51, no dia 16/12/12. Como tenho 1,96m de altura, precisei trocar de assento pois, minhas pernas, simplesmente, não cabiam na tal 21D. Pedi, com toda educação, à comissária Andréia, se ela poderia me deslocar para outro assento, caso sobrasse alguma vaga, mas tive como resposta apenas um não, dizendo que eram ordens e para eu “falar com o Presidente”, se não estivesse satisfeito…
    Esperei EM PÉ até encerrar o embarque, ao lado dela que me ignorou e se afastou até que, ao final do procedimento de embarque, sentei num dos diversos assentos vagos. Nisso, a vi comentando a meu respeito com as outras comissárias, e com um despachante de nome Bruno, que veio até onde eu estava para tirar satisfações. Argumentei que não cabia na minha poltrona, mas ele, totalmente despreparado, insistia, para eu sair, querendo me obrigar a voltar para o meu assento, falando em tom suficientemente alto para que todos os passageiros ouvissem. Chegou inclusive a me ameaçar, dizendo que, caso eu não obedecesse, ele iria” resolver de outra forma”. Falava também que EU estava prejudicando todos os passageiros, pois, seria uma falta de respeito com os que tinham pago para sentar nas poltronas “mais confortáveis”, o que não era verdade, já que, pelo menos, dois passageiros próximos disseram que não pagaram nada…
    Em seguida, a comissária Thayse Berti me insultou dizendo: “você devia ter decidido isso antes, no “check in”, e virava as costas, dizendo que ia chamar os seguranças… Apesar de constrangido, não me exaltei, e repetia em tom baixo, mas firme, que não iria sentar lá pela simples razão de não caber, e assim o fiz.
    Por fim, disseram que “da próxima vez iria ser diferente”, o quê, é claro, não ocorrerá, pois nunca mais pretendo voar pela TAM. Recebi um tratamento totalmente inadequado e desnecessário,inclusive, por parte do “Presidente” que nunca respondeu à minha reclamação no site da empresa, além de ser destratado pelos três funcionários: Andréia, uma loura de sobrenome italiano; Bruno, o despachante, e Thayze Berti, que demonstraram ser totalmente despreparados para lidar com problemas simples.
    Felizmente, tenho testemunhas arroladas ali mesmo que comprovam tudo o que digo, mas, com essa Justiça parcial e morosa que temos, sei que nunca serei reçarcido moralmente pela empresa por mais esse constrangimento ilegal dispensado a seus clientes.
    Ponho-me à disposição para eventuais esclarecimentos.

  • É um problema que tem de ser visto por dois lados: o da segurança, que tem normas internacionais não admitindo exceções e o chamado ‘bom senso”, abstração na área da argumentação que presume critérios de razoabilidade. Como se sabe, é um atributo que não é bem distribuído. Não está em jogo a excelência do músico, essa é inquestionável, ele é merecedor de todos os aplausos e agradecimentos. Faltou bom senso aos dois lados, porque Tapajós poderia ter tido um contato anterior com a companhia aérea e possivelmente o fato teria tido outro desfecho. Na margem, o que não aparece e causa espécie, irritação e não raro, desentendimentos raivosos, sobretudo a nós, brasileiros, é o fato de que, no Brasil, tais regras não serem aplicadas. Valem para uns, para outros não. Os critérios são os mais estapafúrdios, via de regra, estão associados ao poder e ‘status’ de um dos lados. É quase certo que algumas ‘celebridades’ pertencendo ao ramo do sertanejo ou do axé embarcariam com seus instrumentos e parafernálias, e seriam cortejados , inclusive, com pedidos de autógrafos. Companhias aéreas deveriam ter alguma área que pudesse avaliar tais exceções. Um instrumento musical tem a mesma importância da pasta cheia de “gadgets” de um grande executivo de uma transnacional, com a diferença de não ser possível backup, ele é único e de valor inestimável. Sabe-se que os compartimentos de bagagem das aeronaves não têm a mínima segurança, nem tampouco podem receber objetos delicados, o que aumenta mais ainda a necessidade do tal ‘bom senso’, ou uma solução pragmática que pudesse atender a exceções dessa natureza.

  • É inadmissível que em pleno século xxi ainda haja lugar para este tipo de coisa. Nossa querida TAM, vc tem que pedir desculpas à este ilustre Brasileiro que tem nos honrado há muitos anos com suas mãos Santas e elevado o nome de nosso Brasil aos quatro cantos do Mundo. Tenham mais respeito com seus passageiros ilustres. E os não ilustres também e suas bagagens.

  • A noticia não explica as razões para tal fato. O músico já deve ter feito viagens inúmeras vezes com seu violão. A pergunta é: o que foi que aconteceu? Por que dessa vez não permitiram? Eu mesmo viajei no mês de abril passado pela TAM e embarquei com meu violão sem nenhum problema.

  • É uma lástima o ocorrido com um dos melhores Violonístas do mundo!!! Nosso país está passando por uma crise de ignorância cultural de grande vulto. Esse Violonísta vem representando o Brasil em todo o planeta, há muito tempo, e com certeza, destacando com excelência o petencial e as competências de nosso povo. Seria de bom tom, uma retratação da companhia aérea, pois equivocar-se é normal, e gestos de humildade de educação serão sempre bem vistos.
    Recomendo, ainda, que seja desenvolvido um projeto de educação geral no âmbito dos funcionários da referida companhia aéra, pois truculência e deselegância, não cabem em quaisquer situações.
    Mestre Sebastião Tapajós, desculpe-os eles não sabem o que fazem!!!!!!

    1. Em um Brasil cada vez mais pobre de música, um Sebastião Tapajos passa por um incômodo desses. Me sinto envergonhado de ser brasileiro!

    2. Também toco violão e ando de avião. Se eu tenho que despachar o meu instrumento, porque o Sebastião não pode?

      1. querido anônimo, podia dar nomes aos comentários, assim como se apossa de letras e músicas de outros.

    3. Pois é, se ainda existisse entre nós,o queridíssimo cronista Sérgio Porto incluiria essa da TAM
      no FEBEAPA (Festival de Besteira que assola o Pais).Mestre Tapajós, ainda bem que nem vc nem seu violão nos abandona,quanto aos cultos funcionários dessa empresa,esses a cultura já os rejeitou.

    4. Eu tenho a manha contra esses ignorante…nao levo o violao ao balcao de embarque deixo com algum acompanhate…na hora de embarcar pego o violao e entro na aeronave…la dentro damos um jeito…nunca falhou! temos que viver diblando os ignorantes!

    5. Tive o mesmo problema com a Tam aqui em Miami 🙁
      O atendimento e consideraçāo ao usuário mudou para pior depois que deixou de ser uma empresa brasileira ! So Bad !!!!!

  • A culpa é Dilma e desses petralhas, que ficam roubando dinheiro do estado e dando bolsa esmola. E Lula? deve estar viajando mundo afora. Poderia estar lá no aeroporto defendendo o povo brasileiro que tá morrendo de fome. Imagina quando for na copa. Aliás, Dilma fica construindo estádios enquanto a TAM fica tomando violão de artista. Por isso que aqui não tem cultura nem se investe em educação. Eu li na Veja que a culpa do preço do tomate estar tão alto é porque os médicos cubanos comunistas de Hugo Chaves estão comendo tudo. Pau nesses comunistas que são a favor do casamento gay. Querem acabar com a família brasileira. Brasil, país de tolos!

    1. rsrrsrrrrr… acho engraçado que tudo que acontece é culpa da galera do PT, será que se a galera quer dar o bubum é do PT, também? eiiiiii… meu fio vá procurar o que fazer e larga o PT DE mão!!! afff…

    2. E de ignorantes como vc, desse sensu comum que você tem. Vai a merda. Seja mais objetivo em seus argumentos. Comunismo é um modelo econômico e não tem nada a ver com sexualidade. Ignorante. Vê se fode mais e reza menos que vc vai ser mais feliz, Sua bicha católica. Agora o presidente tem que fazer plantão em aeroportos pra ver se a empresa está agindo corretamente ou não. Larga de ser stúpido.

      1. hahahahahhaahahahahahahahah
        vamos cuidar do medicos cubanos gente so isso, ja que é pra fazer comentarios nada a ver! hahahahaa

    3. O Brasil não é composto só de tolos, de burros preconceituosos também!
      Ô fulano, concatena as ideias; você bateu o recorde de quantidade de besteira por palavra escrita. Nas suas palavras “(…) Aqui não tem cultura”, aí eu te pergunto: o que seria cultura? Cultura seria vomitar as besteiras que a veja publica ou um bom exemplo da nossa cultura seria a arte/música de Sebastião Tapajós? Cara, o silêncio, às vezes, é uma virtude!

    4. Ei Manoel,,bem que o pessoal da TAM podia deixar o violão embarcar junto com seu dono, mas você colocar a culpa na Dilma é uma das maiores ignorância que eu já vi deste FACE, você mostra que não entende nada de politica,, você deve ser um imbecil que não sabe distinguir a galinha do ovo..,.Vai estudar que você ganha mais…

    5. A culpa é dessa classe média que não assume o Brasil como ele é. Filhos da puta burgueses. Só pensam no seu umbigo!

    6. Senhor Manoel,

      Desculpar eu por não escrever bem português.
      Eu ler esta notícia, por um amigo brasileiro que comentar no facebook.
      Eu gostar muito de música, e ficar triste quando artistas são mal tratados.
      Mas, eu não entender seu texto, não entender porque fala você de presidenta de seu país
      numa notícia de uma empresa privada.
      E depois fala de governo de outro país ainda.
      Escrever coisas muito misturadas.
      No segunda guerra, jovens alemães tinham este comportamento por propaganda nazista.
      Povo alemão, colocava tudo culpa em judeu.
      Por ter estudado um pouca psicologia, lhe digo que deva ficar longe de jornais e tv e outras meios, pois estar misturando muito coisas.
      Política não ser algo muito fácil, em Europa as coisas estão muito mal, muita pessoas sem emprego. Seu governo, fez diferente de que fez outros governos em Europa, e por isso Brasil esta indo bem. Hoje, muitos amigos Brasileiros voltaram pra seu país, e muita europeu aqui esta indo pra Brasil trabalhar. Antes deste governo PT, não via brasileiros voltando. Eu não ver nada de comunista nele, ler que governo vai privatizar portos, em Europa só Inglaterra ter isso, países aqui querem ter controle sobre seu destino, empresas sempre querer interesses de seus donos e nem sempre são a do povo de seu país. Talvez, você não saber o que é comunista. As coisas que seu governo faz hoje pra seu povo, são muito menores que os países aqui em europa fazem, e não temos comunista aqui. Tem aqui ricos e grandes empresas querendo tirar coisas do povo, mas o povo aqui lutar muito pra europa ser o que ser hoje.

    7. Cara se for mesmo irônico como parece, seu comentário foi genial, agora se vc pensa mesmo isso que escreveu se mate que ainda da tempo.

    8. Manoel, você e sua ignorância me constrangem muito mais, comparado ao constrangimento do Mestre TAPAJÓS. Pra começar, faz comentários políticos numa esfera impossível. Mistura os assuntos e reclama de coisas surreais. Aprenda a língua, primeiramente. Depois, pare de ler a Veja.

    9. Teu comentário mostra o teu desprezível nível intelectual. E ai me pergunto como consegues sobreviver com apenas 2 neurônios!!!

    10. Olha o governo tem culpa de muita coisa, mas a TAM é uma empresa privada que nada tem a ver com isso. As normas quem para transportes de carga tb são feitas pela TAM. O governo nada pode fazer com relação a isso. Tampouco tem a ver com os gays que só querem ter os mesmos direitos de poder se casar que você tem. Ou com a absurda importação de médicos cubanos. E meu senhor me diga, o que é a família brasileira? Pegue qualquer estudo do IBGE que você verá que 80-85% das famílias é monoparental, porque homens engravidam mulheres e não assumem, ou se casam, depois se separam e não criam os filhos, seu conceito de família é tão equivocado quanto sua associação esdrúxula entre a TAM e as mazelas do governo PT.
      A atitude da TAM é tosca, mas o músico viajou de TAM por escolha dele, o acontecido foi uma lástima, mas a solução, é não voar mais pela empresa. Ao contrário do que pessoas como você afirmam, não vivemos em uma ditadura, e podemos escolher entre mais de uma opção de companhia aérea. A escolha é livre e do consumidor.

    11. Olá Manoel,

      Desculpe, mas seu comentário não tem nada a ver com o assunto, poxa gente se explodir uma bomba no Afeganistão a culpa é do governo? O problema foi com a TAM peço-lhe que leia novamente o texto, menos preconceito e mais inteligência nos comentários, a democracia é boa é o que temos de melhor, mas vamos ler e interpretar o texto.

      Abraço,

      Marcos

  • Fosse quem fosse: Imagem horrível da empresa (TAM),mostra que a empresa não respeita ninguém! Caso de polícia sim!!!

  • Admiro a obra de Sebastião. Já o ví tocar 3 vezes pessoalmente e seu talento é indiscutível. O que muitas vezes fazemos é misturar as coisas. A maioria dos instrumentos musicais (incluindo o violão) ultrapassa o tamanho regulamentar de bagagens de mão. Quer dizer que o cumprimento de uma norma é “constrangimento” ou mesmo “espetáculo de truculência e deselegância”? Não vamos misturar as coisas. Se as companhias aéreas muitas vezes liberam que o música carregue seu instrumento consigo dentro da aeronave, nada mais é do que bom senso, visto a fragilidade do objeto ou qualquer outro fator. Agora, caso a companhia aérea impeça, cabe também bom senso do músico para acatar tal regulamentação, o que diga-se de passagem, não é novidade pra ninguém. Isso não é uma regulamentação nova, muito menos pouco divulgada. Existem empresas específicas para transporte de itens delicados e frágeis. Bom senso pessoal

    1. Sebastiao tapajos ja viajou só pra alemanha mais de 90 vzs… e nunk nenhuma companhia aerea barrou ele…. cmo é qu pode os kras da tam fazer a gnte dspachar nossos instrumentos de mao qu sao levissimos… e qundo entramos na aeronave dntro do bagageiro tava até o pau de malas enormes e pesadas… fora instrumentos como guitarra e teclado qu eu vi e tirei varias fotos e filmei inclusive… qum tem qu ter bom senso é a propria empresa… alem de respeito com os clientes … pois si eu pago carissim por um serviço é obrigação da empresa ter todo cuidado cm meu material… alem do mais tenho varias fotos de caixas e malas por cima dos nossos instrumentos…. fora qu nossos instrumentos ficou no sol em uma poça de lama meu bag de luxo ficou quebrado teclado molhado bag do sax arranhado e a empresa TAM ainda falou na nossa kra qu nao se responsabilizaria si acntecesse algo cm nossos equpamentos ou mala…. qu tipo de empresa é essa qu a gnte paga por um servisso e nao tem cuidado com nossos pertences…. é a primeira qu eu vejo dpois de inumeras viagens qu ja fiz….. pelos 4cantos!!!!!

    2. Tb tenho a mesma opinião, se a norma da cia é essa, independe da figura que esta transportando o objeto, viajo com minha banda, várias vezes de avião e os instrumentos sempre foram separados, é uma questão de segurança, se uma cia aérea permitir isso ela estara cometendo uma infração grave, igual aquela do latino, essa mania do brasileiro de achar que artista, politico e ricos devem ter privilegios é errada!

      1. Qual o privilégio de carregar o instrumento em um avião? Eu na verdade só vejo inconveniências.
        Melhor mesmo seria estar livre, sem dividir espaço com o instrumento. Mas não há uma norma de Cia nenhuma em relação a isso e quando ocorrem danos ou avarias elas nunca se responsabiliza. Quem tem um instrumento de luthier e vive de música sabe o quando foi difícil juntar a grana pra comprar… Em caso de danos, o músico passaria alguns anos para resolver o problema judicialmente. Vc passaria anos sem o seu instrumento de trabalho?

    3. Eu, há coisa de 3 anos atrás, fui para Buenos Aires, participar de um encontro de corais, e como violonista, fui chamado para acompanhar um coral de São Paulo. Na viagem, pensei que teria que despachar o meu violão, mas me informaram que eles não despacham para evitar problemas de extravio, dano ao instrumento, essas coisas. Caso fosse um instrumento maior, aí sim acredito que deve ser feito o despache, mas meu violão teve que ir comigo.

    4. Pelamordedeus, meu filho, você tem consciência de quanto custa um violão de luthier como o do Tapajós? Já procurou saber da grande quantidade de instrumentos musicais, objetos de trabalho e de arte, que são quebrados por incompetência de empresas aéreas, e como elas nunca se responsabilizam por isso? Se elas, as empresas, tivessem bom senso ao despachar os instrumentos dos músicos, aí você poderia falar que seria bom senso não carregá-los dentro do avião.

    5. Bom dia soldon, com todo respeito, mas você vai me desculpar.
      Acatar a companhia aérea, e quebrar um violão que pra começar em um preço considerável, normalmente feito por encomenda, ou seja, é único. Na maioria dos casos eles danificam o instrumento e já era! Não tem volta não tem indenização que resolva.

    6. As regras e regulamentos devem ser observadas e tenho certeza que o maravilhoso Sebastiao,não se sentiu constrangido e com certeza o caso é mais um exagero da mídia. Parabens ao Soldon pelo comentário lucido.

      1. Jandira, conversei com o violonista. Ele disse que o pior desse episódio “foi o constrangimento”. Não há nada de exagero.

  • Semana passada queriam me impedir de embarcar com as pilhas recarregáveis necessárias para dar um curso de vídeo, foi o maior quiprocó no aeroporto de marabá.

  • A TAM sempre foi uma bosta. O desesreito não é com o Tapajós individualmente, é com o músico, com a figura do músico. Instrumento vai na mão, fim de papo.

  • Regras são regras. Não importa quem seja. O fato é que não é recente esta mudança. Antes de despachar, as bagagens são medidas em uma espécie de medidor de bagagens de mão. Com certeza um violão em um kase ultrapassa essa medida. Então, por favor vamos compreender as medidas de segurança. Admiro muito o trabalho deste tão renomado mestre do violão. Assim como não tenho reclamações desta companhia aérea, que por sinal, é uma das únicas preocupadas comoos excesso de bagagens de mão. Aproveito a oportunidade para parabenizar minha colega Monique Marinho pelo projeto realizado junto aos músicos santaremos. Um grande abraço.

    1. Eliane, as empresas aéreas não se responsabilizam por danos causados aos instrumentos musicais, que são objetos extremamente caros e que são peças de arte e de trabalho. É mais que sabido por qualquer músico que durante o despacho de um instrumento musical as chances dele ter algum problema e quebrar são grandes demais, que as empresas jogam qualquer coisa de qualquer peso sobre estes, que mesmo dentro de fortes cases ainda acabam sofrendo os mais diversos tipos de danos. Se as empresas aéreas tratassem com um mínimo de respeito aos músicos, se despachassem com o cuidado necessário, aí sim poderíamos falar que regras são regras, mas se as regras só servem para fazer os outros de otários, então elas devem ser combatidas.

      1. Pelo que eu entendo, cias aéreas devem respeitar leis internacionais de segurança. Muitas vezes, elas cortezmente, facilitam a vida dos passageiros arranjando uma maneira de acomodar bagagens frágeis. Não sou música, mas por que não procuram uma forma de Produzir uma embalagem resistente, permanente e têrmica para que os instrumentos possam ser despachados sem perigo de avarias e evitando situações como essa?

        1. Ivone, vc pode então me falar mais sobre essa lei internacional? A qual órgão ela pertence, número…
          Nós que somos músicos, viajamos diversas vezes estamos dizendo em posts e mais posts aqui nessa notícia de que os músicos do mundo inteiro viajam com os seus instrumentos no braço e em poucos casos há problema. Não há lei internacional. Mesmo pq há diversas formas de detectar se num case de instrumento há alguma ameaça ao voo.
          Não adianta ficar viajando, inventando leis pra defender os caras. Mais uma vez eu vou dizer, os caras quebram e não se responsabilizam. PONTO FINAL BICHO!!!

    2. O violão ultrapassa a medida em altura, Eliane, mas não em volume já que é a regra diz que cada passageiro tem o direito de levar 2 bagagens de mão dentro da cabine. Acho totalmente discriminatório o músico não poder levar seu instrumento! Isso sem contar que um dano qualquer a um violão como esse, pode muitas vezes não ter reparo… Instrumentos musicais são únicos, não são como um computador ou um móvel qualquer que quando quebra é fácil substituir ou consertar… Muitos deles são históricos, violinos por exemplo, tem 100, 200 anos, são quase como peças de museu que merecem o maior cuidado possível. Então tem que haver mais sensibilidade das companhias aéreas quanto a este fato, músicos são clientes também, justamente, regras devem ser para todos!

    3. Talvez vc não tenha reclamações por não ter que carregar o instrumento.
      Se parar para pesquisar músicos que tiveram seus instrumentos quebrados e não foram ressarcidos pensaria diferente.
      Pow, os caras quebram e não tão nem aí, qual a dificuldade de entender isso???

  • As cias aéreas deviam manter uma melhor postura quanto ao caso de instrumentos musicais. Para o músico, é a mesma coisa do que despachar a amada no bagageiro, estou errada?
    Vim essa semana de Maceió e a banda Rosa de Saron estava no mesmo voo, com seus preciosos baixos, guitarras e violões na mão.

        1. Me diga qual o perigo real??? Há algum equipamento nos instrumentos musicais que póe em risco a tripulação?? Viaja não meu irmão… Conheces a revista de bagagem?? Pelo amor de Deus. É cada louco…

  • Dei sorte qdo viajei com meu baixo Line6 pra Curitiba..foi comigo dentro da aeronave tanto na ida como na volta. Ainda quiseram barrar em Stm, mas expliquei q era caro e nao me separava dele..detalhe, fui na GOL.
    Ele é maior com certeza q o violão encantado do babá….lamentável o ocorrido

    1. VERGONHOSA ESSA ATUAÇÃO DA GOL, ESTA DESCUMPRINDO LEIS INTERNACIONAIS DA VIAÇÃO E COLOCANDO EM RISCO TODA A TRIPULAÇÃO E OS PASSAGEIROS

  • Talvez se fosse o Michel Teló ou as mulhers frutas, teriam passado sem problemas. Êta pais pra valorizar “artistas” que produzem aquilo que chamamos de Pseu de Cultura.

  • No mínimo um desrespeito e ignorância em não reconhecer o grau de importância deste artista e a relação com seu instrumento.
    Já tive várias malas danificadas em voo e creio que todos já devem ter passado por algo similar e mesma irritação com o prejuízo.
    Imagine um dano a um violão de Sebastião Tapajós!
    Valha-nos quem,amigos?
    Viva Sebastião!

  • Indignação é muito pouco para demonstrar minha repulsa a esse fato. Tal fato se da pela pelo tamanho da ignorância de certas pessoas, esse mesmo violão que exaltou como ninguém o nome deste país em palcos internacionais, nas mãos desse inigualável artista Sebastião Tapajós, agora viaja mudo em um compartimento de bagagens que nós sabemos muito bem como são tratadas. Minha revolta é ver saber que esse instrumento que tanto bem faz aos nossos sentidos não possa viajar ali quietinho, mas somos obrigados a viajar com algumas madames, ou pelo menos assim se acham, com aquelas grandes bolsas recheada por um cachorro, que por vezes incomoda pra caramba, isso pode? Meu Deus, eu te peço, daí-me muita paciência, ou então os números da mega, mas pra detonar sozinho, pra poder ir pra bem longe e não ter que saber dessas coisas em meu país. Punto e basta!!!

  • Lamentável esse episódio! Sebastião é um paraense conhecido no mundo inteiro pelos concertos musicais que participa e deveria ser, isso sim, reverenciado pela recepção da TAM e comissários de bordo!

  • Mestre Tião,
    Quando tem um acidente com um violão de US$6.000, eles querem pagar US$100! Lamentável…
    Saudações Curupiras; abs, Fernando

  • Tião, Perdoai-os, eles não sabem o que fazem… Quando tem um acidente com o nosso instrumento, eles querem dar US100 pra gente, pra pagar um violão de US5.000! Saudações Curupiras. Abs

  • Que vergonha!!! Falta de respeito é pouco!
    Tem que divulgar bastante isso. Essas empresas precisam sentir o que é ser constrangido, coibido, tolhido!! Bando de imbecis!

  • Também já passei por problemas com a TAM. Estava embarcando com um pôster para um congresso e eles me obrigaram a despachá-lo. Pedi que colocassem como frágil, enfatizei que era importante. Na descida, o cara jogou meu canudo (de papelão) com o pôster e jogou uma mala gigantesca em cima. O canudo dobrou no meio. Meu pôster ficou amassado e danificado. Tive que mandar fazer outro na cidade onde houve o congresso (por um preço beeem mais caro).

  • Povinho populista é uma droga mesmo. A CIA não permite transporte de instrumentos junto ao passageiro. Não apenas pelo tamanho do instrumento, mas também para evitar que o passageiro toque o instrumento durante o vôo.

    Certíssima a TAM. Não pode, não pode e pronto.

    Chega de mimimi.

    1. “Para evitar que o passageiro toque o instrumento durante o vôo”…

      Isso é uma ironia, certo?
      Você não é tão estúpido a esse ponto, certo?

      1. Vocês estão ignorando um fato básico. A TAM tem razão legal em recusar um violão como bagagem de mão. Pelas regras da ANAC, não há maneira de caber um violão :

        “O peso total não exceda 5 kg e a soma das dimensões da bagagem (comprimento + largura + altura) não ultrapasse 115 cm;”

        Certamente cabe um violino, um cavaquinho uma flauta, um bandolim …
        Certamente não cabe um piano, uma harpa, um contrabaixo ou mesmo um violoncelo …

        O violão está em uma situação especial porque na maioria das aeronaves pode ser acomodado no bagageiro de cima na cabine. Mas você depende da boa vontade da linha aérea em qualquer lugar do mundo.

        O inaceitável na conduta da TAM é não oferecer uma alternativa razoável e nunca informar o passageiro da situação.

    2. Legalista! “Não pode, não pode e pronto”. Voce fala isso por má fé, ignorancia ou porque não consegue raciocinar logicamente? Porque qualquer pessoa sabe que um instrumento pode até rachar com as variações de temperatura do compartimento de bagagem (que não são tão grandes quanto se pensa, mas que existem sim). Além disso, a bagagem é toda maltratada pelos carregadores. Você quer que se faça o que então? Você acha certo o cara que está indo tocar arriscar quebrar o instrumento? E se chegar na cidade do show o instrumento estiver quebrado, como faz?

      Se o problema é ele não tocar durante o voo, basta que se impeça que ele toque durante o voo! Do mesmo jeito que se impediria um cantor de ficar cantando sozinho durante o voo. Nunca ouvi argumento tão estúpido. Afe. O problema não é so do Brasil, nisso voce tem razão, mas isso é motivo pra aceitarmos? Somos macacos que imitam tudo dos outros países?! Além do mais, existem demandas exatamente iguais fora do Brasil, o que mostra que não é nada do nosso povinho supostamente populista. Não se pode ficar sujeito ao arbítrio das companhias. É preciso que haja uma regra clara E VIÁVEL. Querer que despache o instrumento não é viável. O que se deveria fazer é criar um compartimento para esse tipo de bagagem dentro da cabine pressurizada, no fundo da aeronave.

      E povinho populista não tem nada a ver com isso. Primeiro porque isso não é populismo, segundo porque o problema na verdade é esse povinho como você, metido a esclarecido que gosta de posar de sensato e na verdade só sabe disparar contra quem tem problemas que não são os seus próprios. Pensa, pensa uma vez na vida: como é que um músico vai fazer? Vai pagar passagem pro instrumento? Isso é viável financeiramente? Você deve gostar só de música bem pop, daquelas de artistas milionários que podem arcar com esses custos. Por isso voce tá pouco se importando com artistas que fazem tipos de música menos rentáveis.

      1. Essa de tocar durante o vôo , sinceramente em 33 anos de vida e 15 de profissao como musico viajando mundo a fora foi a prieira vez que escutei. Ta ai. hehehhee
        Como o amigo falou acima….cantores nao pode embarcar. putz..rindo muito auqi

    3. Isso porqu vc deve ter um violao ou qualquer instrumento de 300réais.. porqu se tivesse um de 12mil… vc o guardaria dntro da sua alma…porqu saberia oqu ralou pra cmprar e ver um monte de mala e caixas por cima de seu instrumento de trabalho carissimo só na alemanha sebastiao tapajos foi mais de 90vzs….. fora outros paises…. e nunk nenhuma empresa aerea fez isso e qundo chegamos dentro do propio aviao os bagageiros estavao até no pau de malas pesadissimas fora guitarra e um teclado qu vi e tirei varias fotos e filmei!!!!!!!

    4. Que mimimi? Ha 2 anos faço um evento de shows no qual transporto 2 (DOIS) VIOLÕES pros artistas que se apresentam autogrfarem e NUNCA fui proibida de carrega-los comigo na cabine, tanto na ida quanto na volta. Isso que aconteceu foi uma ignorancia do atendimento no balcao, abuso de poder e falta de discernimento. Alem da falta de respeito com um profissional e seu delicado instrumento de trabalho. Falta educacao e preparo pros funcionarios nao so de cias aereas mas de todo o tipo de serviço que lida com o publico. Porque a gentileza e bom atendimento tem de partir deles. Ou entao é melhor ser atendido por uma maquina que nao pensa, nao julga, nao reclama,nao sente fome nao fica cansado… e nao comete esse tipo de falha.

  • É brincadeira como essas coisas acontecem por aqui. Toda vez que tento viajar com meu violão também é uma novela. E a manobra padrão das companhias para esse tipo de coisa é despachar (se tiver com o violão só com bag, já era no meio daquelas malonas pesadas) e classificar como frágil, que, na verdade, não muda em nada o tratamento da bagagem, só o que faz é você assinar um termo que retira qualquer responsabilidade da companhia de qualquer dano que fizerem no seu instrumento!!! Na prática: despacham de qualquer jeito, sem cuidado nenhum e se quebrar o prejuízo é seu!!

  • Uma Empresa que se presta a um papel vergonhoso deste deve ser multada. Uma empresa deve respeitar seus usuários.

  • Viajei apouco mais de um mez para o Chile pela Lan, tambem nao deixaram embarcar meu violão uma Gibson Acoustic de um bom valor comercial e de valor sentimental inestimável… não tem preço….depois de longa discussão com os atendentes da Lan , me pediram que entregasse o instrumento nas mão da comissaria de bordo no embarque, na porta do avião, e eu o fiz , certo e tranquilo, que iria ser bem cuidado….pois bem na retirada de malas, que é onde se retira tambem o instrumento, fui perceber que o case estava estourado na parte inferior quase atingindo o instrumento dentro da caixa, por sorte o instrumento não teve danos…e pelo que vejo todas as companhias aéreas nao tem o menor cuidado, e muito menos respeito pelos principalmente instrumentos, dos músicos .

  • Nunca vi, e mesmo não achei que veria para ver um tamanha falta de respeito e sensibilidade. falta de conhecimento de cultura de prepara profissional e de educação. isso é um absurdo para com qualquer pessoa, mas com Sebastião Tapajós, é sacrilégio e covardia, o musico em questão e um cidadão absolutamente pacifico e é, um honra para uma transportadora poder ter como passageiro um artista desse nível.
    abraço amigo Tião e se você esta na área, se derrubar e penalt.

  • Tal situação reflete o quanto as pessoas desconhecem e desrespeitam nossos artistas de verdade, pois se fosse qualquer artista descompromissado com o fazer musical, mas que arraste multidões eles estenderiam tapete vermelho.

  • Só no Brasil mesmo para artistas desse naipe, de suma importância e referência ter que passar por uma situação vexatória como essa… que vergonha!
    A TAM deve pedir desculpas publicamente por essa humilhação. Sebastião Tapajós é mais importante para o Brasil e para o mundo do que essa bosta de TAM.

  • Aconteceu comigo algumas vezes. Em todas eu me recusei a despachar o instrumento. Eu uma delas eu estava em Sao Paulo e tinha uma apresentação no Rio a noite. Eu disse que SO viajaria com meu instrumento e então virei pro empresario e disse: nos vemos no RJ. Vou alugar um carro e nos encontramos la. Diante da minha atitude a funcionaria, uma pos-adolescente voltou atras e permitiu que eu embarcasse. O argumento para a negativa era: “questao de segurança”. Deu pra notar que a moça entendia tanto de segurança que certamente pensava que “airbag” se referia a um equipamento para proteger os testículos. Para mim, companhias aéreas sao TODAS IGUAIS!

  • È uma falta de respeito, imagine que se com um artista da expressão de Sebastião Tapajós, esta empresa tem este comportamento, imagine com os outro passageiros, este empresa tem que respeitar a todos!!!!!!!!!!!!!

    1. Justamente, Guto! Com todo o respeito que o Sebastião Tapajós merece, a discussão não tem que passar pelo fato dele ser o super músico que é e por isso ser um absurdo fazerem isso com ele. É um absurdo fazerem isso com qualquer pessoa que tem algo para transportar, seja instrumento ou qualquer outra coisa. As companhias têm que encontrar uma solução. Se forem despachar, têm que garantir que vão tratar aquela bagagem da maneira adequada e arcar com os custos se não o fizerem. Se se chegar à conclusão de que determinada bagagem não pode ser despachada por causa de variações de temperatura, umidade e pressão, (como é o caso de instrumentos),a companhia tem que encontrar outra solução para levar na cabine. Eu já viajei algumas vezes e sempre consegui acabar levando na cabine, insistindo para que colocassem junto com os pertences da tripulação etc, mas sempre é tenso. Sempre, até o último momento, eu não tinha certeza que ia conseguir embarcar com o instrumento. Isso não é certo.

      1. isso tinha que ir para a TV…alguém tem contato?
        o fato aconteceu no dia 27/05 pela manhã no voo Galeão – Santarém

  • O fato só ganhou repercussão porque envolveu o violonista Sebastião TAPAJÓS, se fosse com um mero mortal, certamente ninguém teria dado importância. Não estou dizendo que a Tam agiu correto, pelo contrário, errou feio. Mas se até o violonista aí passa por esse tipo de constrangimento, imagine os simples passageiros…..

  • Isso é caso de policia. a TAM TAM, falida e desacreditada? puro preconceito, falta de respeito e acima de tudo, falta de conhecimento. tratar nossa figura mais ilustre, o mestre dos mestres, o mágico das cordas etc……. . Bábá, devias ter tocado para eles uma daquelas valsas lindas, como por exemplo “Karoline” ou então “Ana Luíza”. meu Deus quanto desperdício! TAM TAM, vá para PQP.

  • Um dos mais célebres violonistas do nosso país, extremamente respeitado e admirado no mundo inteiro, provavelmente os funcionários da TAM não faziam a mínima ideia com quem estavam falando. O violão deve custar uma fortuna, sem contar o valor sentimental. Já viajei com violão e em nenhum momento pediram para despachar, inclusive já teve caso do violão ir no compartimento da cabine do comandante. Lamentável o Sebastião Tapajós passar por isso.

  • Ridiculo ja viajei em varios voo com sebatiao tapajos pela propria tam aqui no para, falta de criterio, deselengancia, ignorancia de uns idiotas que operam essa empresa agora os fucnionarios delas podem entrar com aquela malas enorme e suja e ningue fala nada, a companhia deveria patrocinar um curso de bons modos para seus funcionarios

  • Absurdo esse desrespeito com o paraense músico de nosso orgulho. A TAM está se especializando em fazer merda. Tempos desse, deixou o Latino perambulando pela cabine do piloto (área de segurança),agora isso. Nunca voei, não vôo e nem pretendo pela TAM. Comandante Rolim (homem sério) deve se revirar no túmulo a cada mancada internacional dessa….

  • Pobre Sebastião Tapajós, tanto talento, tanto sucesso internacional para se sujeitar à funcionários incapazes de enxergar um palmo adiante do nariz. Volta pra Alemanha Sebastião… lá você é respeitado!

  • E uma vergonha e um desreipeito a um musico internacionalmente conhecido principalmente por esta Cia Aere de BAIXO NIVEL, nao Viajo nem de graca nesta Cia Aerea je famosa pelo extravio de malas e pessima qualidade de servicos alem do mais voa com um equipamento que ja foi comprovado e um dos mais perigosos mesmo com tod tecnologia os AIR-BUS que lideram as estatisticas de acidente Aereos no mundo

  • Estive presente neste episodio. O mais revoltante e que logo acima de nosso acento no aviao havia um teclado…tiramos fotos mais infelizmente nao podemos fazer nada contra essas pessoas,.,.

    1. divulguem..isso tem que chegar em rede nacional ou mundial` — TEM QUE IR PRA TV!!! … alguém tem contato?!

  • Meu baixo esta no valor de 9mil réais…. i nessa viajem chegou em santarem quebrado um asseçorio…. fora o caser do teclado qu veio tudo molhado e o sax cm o bag todo arranhado eu tenho varias fotos qu cmprometem a empresa TAM um monte de caixas e malas por cima dos nossos instrumentos carissimos….. fora qu os instrumentos ficaram pegando sol… em uma poça de agua……. provas eu tenho e bem filmei e tirei inumeras fotos

    1. Ação de dano em cima da empresa…. Só para encher o saco dela.. Fazer o caso chegar ã mídia nacional e logo logo chega na internacional. Um abuso.lamenravel

  • Caro Jeso –

    Imbecilidade e principalmente falta de critérios dessa empresa aérea .
    Por sinal demonstra o atual estado que se encontra pela precariedade no atendimento.
    E essa questão de trazer objetos em mãos mostra o despreparo do que pode e o que não pode.
    Mês passado quando retornei para São Paulo por essa empresa, numa das paradas subiu um cidadão com a família e não teve dúvidas em trazer malas pesadas e grandes para dentro do avião e usou um grande número de compartimentos para colocá-las e em nenhum momento foi questionado … O passageiro do meu lado chamou atenção exatamente pelo fato de autorizarem alguém trazer tantas malas e principalmente volumosas sem qualquer impedimento.
    Por isso, tem-se que ficar indignado pela negativa de se trazer um violão … sabe-se lá como é tratado no despacho …

    Forte abraço

    Antenor Pereira Giovannini

  • Nota zero para a TAM , tambem passei por um dissabor hoje com esta empresa. Eles precisam humanizar o atendimento. Indignada

  • Meu caro Jeso,

    Isso aconteceu, em razão da simplicidade do artista. Caso contrário, fosse um Tiririca da vida, não teria acontecido. Fica feio para a companhia, que não ensina boas maneiras aos seus colaboradores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *